Salvação

A salvação é um termo que genericamente se refere à libertação de um estado ou condição indesejável. O conceito de salvação eterna, salvação celestial ou salvação espiritual faz referência à salvação da alma, pela qual a alma se livraria de uma ameaça eterna (castigo eterno ou condenação eterna) que esperaria depois da morte. Na teologia, o estudo da salvação se chama soteriologia e é um conceito vitalmente importante em várias religiões.

A palavra salvação, tem sua origem no grego soteria, transmitindo a ideia de cura, redenção, remédio e resgate; no latim salvare, que significa `salvar´, e também de `salus´, que significa ajuda ou saúde.

Visões da salvação

As religiões orientais por serem mais estatistas e comunitárias colocam na sociedade a questão do arrependimento e do perdão, ao contrário por exemplo da Igreja primitiva.[1]

Cristianismo

A salvação[2] é um dos conceitos espirituais mais importantes no cristianismo, junto com a divindade de Jesus Cristo e a definição do Reino de Deus.

Após a queda do gênero humano, através da desobediência a Deus, é o Próprio Deus quem salva os homens. Através da sua Graça (dom, favor não merecido).

Deus ama os homens desde toda eternidade, mesmo sabendo que iriam desobedecê-lo. Assim, já tinha o remédio para a humanidade, Ele entregaria seu Filho, Jesus, que daria a vida como resgate de muitos, para o perdão dos pecados e para a santificação do gênero humano.

A salvação vem somente por meio da fé em Jesus Cristo

Catolicismo

O Catecismo da Igreja Católica ensina em seu parágrafo §614: (Este sacrifício de Cristo é único. Ele realiza e supera todos os sacrifícios. Ele é primeiro um dom do próprio Deus Pai: é o Pai que entrega seu Filho para reconciliar-nos consigo. É ao mesmo tempo oferenda do Filho de Deus feito homem, o qual, livremente e por amor, oferece sua vida a seu Pai pelo Espírito Santo, para reparar nossa desobediência.)

Tudo começa em Deus, ele amou os homens primeiro. Tudo que os homens podem fazer de bom vem de Deus. Diz o parágrafo §2011 da Catecismo da Igreja Católica: A caridade de Cristo em nós constitui a fonte de todos os nossos méritos diante de Deus. A graça, unindo-nos a Cristo com amor ativo, assegura a qualidade sobrenatural dos nossos atos e, por conseguinte, seu mérito (desses nossos atos) diante de Deus, como também diante dos homens. Os santos sempre tiveram viva consciência de que seus méritos eram pura graça.

Tradicionalmente, entre os cristãos, uma meta principal é obter a salvação. Outros sustentam que a meta principal do cristianismo é cumprir a vontade de Deus, aceitando seu reinado, ou que os conceitos são equivalentes. Em muitas tradições, obter a salvação é sinônimo de "ir para o Céu" depois da morte, enquanto que muitos também enfatizam que a salvação representa uma troca de vida enquanto se permanece na terra. Vários elementos da teologia cristã explicam por que a salvação é necessária e como se obter.

A ideia de salvação se baseia em que existe um estado de não-salvação, do qual o indivíduo (ou a humanidade) necessita ser redimido. Para a maioria dos cristãos católicos e protestantes, este é o juízo de Deus sobre a humanidade devido a sua culpa no pecado original (devido ao Lapso ou a "Queda" de Adão) e a outros pecados atualmente cometidos por cada indivíduo, já que se reconhece pecados em todos.

Ortodoxismo

As igrejas ortodoxas rejeitam o conceito agostiniano de pecado original, expressão que nem sequer existe na patrística grega, e vêem a salvação como uma escala de melhoramento espiritual e purificação da natureza tanto humana como geral, que foi danificada na queda.

Segundo a soteriologia católica, a salvação, que é oferecida por Deus, realiza-se, após a morte, no Céu. Essa salvação, que conduzirá o homem à santidade, à suprema felicidade e à vida eterna, deve ser obtida através da fé em Jesus Cristo e da pertença à Igreja fundada e encabeçada por Ele. Assim é dada a Salvação.

Protestantismo

Conforme a Bíblia, para os protestantes a Salvação vem pela fé em Cristo Jesus. Tendo Jesus sofrido na cruz do Calvário o castigo do pecado, pode agora dar a salvação ao pecador. É qual uma permuta: Jesus Cristo leva sobre si o pecado do ser humano e este pode obter o perdão que Cristo dá, ao se tornar o único e pessoal Salvador do pecador confesso e crente.[3]

  1. Pecado - O que é pecado? Pecado é a quebra da lei dada por Deus: "Todo aquele que comete pecado, comete também iniquidade; e o pecado é a iniquidade." (1 João 3:4 [4]). Além disso, para ser pecador, é necessário apenas ter cometido uma falha, independente de quão grande ou pequena essa possa parecer: "Todavia, se cumprirdes, conforme a Escritura, a lei real: Amarás a teu próximo como a ti mesmo, bem fazeis. Mas, se fazeis acepção de pessoas, cometeis pecado, e sois redarguidos pela lei como transgressores. Porque qualquer que guardar toda a lei, e tropeçar em um só ponto, tornou-se culpado de todos. Porque aquele que disse: Não cometerás adultério, também disse: Não matarás. Se tu pois não cometeres adultério, mas matares, estás feito transgressor da lei." (Tiago 2:8-11 [5]). Sendo assim, somos todos pecadores, conforme a própria Bíblia diz: "porque todos pecaram e necessitam da glória de Deus" (Romanos 3:23 [6]).
  2. Consequência do Pecado - A consequência do pecado é a morte: "Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna, por Cristo Jesus nosso Senhor." (Romanos 6:23 [7]).
  3. Morte - O que significa a morte? A Bíblia fala de duas mortes, a primeira é a morte física e a segunda é a morte espiritual, ou seja, a separação eterna de Deus, oposta à vida eterna com Deus. A morte física, é a morte pela qual todos passaremos, exceto se estivermos vivos e tivermos crido em Jesus quando ele retornar: "Eis aqui vos digo um mistério: Na verdade, nem todos dormiremos, mas todos seremos transformados; Num momento, num abrir e fechar de olhos, ante a última trombeta; porque a trombeta soará, e os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados.(1 Coríntios 15:51,52 [8]). Já a morte espiritual se refere à eternidade, a uma separação eterna de Deus: "Bem-aventurado e santo aquele que tem parte na primeira ressurreição; sobre estes não tem poder a segunda morte; mas serão sacerdotes de Deus e de Cristo, e reinarão com ele mil anos." (Apocalipse 20:6 [9]); "E a morte e o inferno foram lançados no lago de fogo. Esta é a segunda morte." (Apocalipse 20:14 [10]).
  4. Salvação - A salvação vem somente por meio da fé em Jesus Cristo: "Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim. (João 14:6 [11]). Crer em Jesus significa crer que a sua morte na cruz foi o pagamento do preço dos nossos pecados e que por causa da sua ressurreição iremos ressuscitar um dia e viver com Deus eternamente: "Levando ele mesmo em seu corpo os nossos pecados sobre o madeiro, para que, mortos para os pecados, pudéssemos viver para a justiça; e pelas suas feridas fostes sarados." (1 Pedro 2:24 [12]); "A saber: Se com a tua boca confessares ao Senhor Jesus, e em teu coração creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo." (Romanos 10:9 [13]); "Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna." (João 3:16 [14]).
  5. Graça - A salvação vem pela graça. Ou seja, é um favor imerecido, não depende do que façamos. Nós devemos tão somente crer no trabalho que Deus já fez, na morte e ressurreição de Cristo na cruz e como consequência receberemos o que não merecíamos, a salvação: "Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus. Não vem das obras, para que ninguém se glorie" (Efésios 2:8-9 [15]).
  6. Consequência da Salvação - A salvação traz como consequência a vida eterna com Deus: "Na verdade, na verdade vos digo que aquele que crê em mim tem a vida eterna." (João 6:47 [16]); "E o testemunho é este: que Deus nos deu a vida eterna; e esta vida está em seu Filho." (1 João 5:11 [17])
  7. Vida Eterna - A vida eterna com Deus é descrita como um lugar onde não há choro, nem morte, nem dor, dentre muitas outras coisas maravilhosas: "E ouvi uma grande voz do céu, que dizia: Eis aqui o tabernáculo de Deus com os homens, pois com eles habitará, e eles serão o seu povo, e o mesmo Deus estará com eles, e será o seu Deus. E Deus limpará de seus olhos toda a lágrima; e não haverá mais morte, nem pranto, nem clamor, nem dor; porque já as primeiras coisas são passadas." (Apocalipse 21:3,4 [18]); "E a cidade não necessita de sol nem de lua, para que nela resplandeçam, porque a glória de Deus a tem iluminado, e o Cordeiro é a sua lâmpada. E as nações dos salvos andarão à sua luz; e os reis da terra trarão para ela a sua glória e honra. E as suas portas não se fecharão de dia, porque ali não haverá noite. E a ela trarão a glória e honra das nações. E não entrará nela coisa alguma que contamine, e cometa abominação e mentira; mas só os que estão inscritos no livro da vida do Cordeiro. (Apocalipse 21:23-27 [19]). "E morará o lobo com o cordeiro, e o leopardo com o cabrito se deitará, e o bezerro, e o filho de leão e o animal cevado andarão juntos, e um menino pequeno os guiará. A vaca e a ursa pastarão juntas, seus filhos se deitarão juntos, e o leão comerá palha como o boi. E brincará a criança de peito sobre a toca da áspide, e a desmamada colocará a sua mão na cova do basilisco. (Isaías 11:6-8 [20])

Islamismo

Para os muçulmanos, o propósito da vida é viver de forma de agradar a Allah para poder ganhar o Paraíso. Se crê que na puberdade, uma conta de dívidas de cada pessoa se abre e isso será usado no Dia do Juízo para determinar seu destino eterno. O Corão também sugere a doutrina da predestinação divina. Corão 4:49, 24:21, 57:22. O Corão ensina a necessidade de e boas obras para a salvação. A doutrina muçulmana da salvação é que os incrédulos (kuffar, literalmente ‘o que recusa a verdade’) e os pecadores estão condenados, mas o arrependimento genuíno dá como resultado o perdão de Allah e a entrada ao paraíso ao morrer.

Hinduísmo

A salvação, para o hindu, é a libertação da alma do ciclo da morte e da reencarnação e se obtêm ao alcançar o nível espiritual mais alto. É a meta final do hinduísmo, que considera o "céu" e o "inferno" ilusões temporárias. Este conceito se chama mokṣa (em sanscrito, ‘libertação’) ou mukti.

Budismo

As Quatro Nobres Verdades delineiam a essência da soteriologia budista. O sofrimento (dukkha) é tratado como uma enfermidade, da qual se pode curar pelo entendimento das causas e ao seguir o Nobre Caminho Óctuplo. O Nobre Caminho Óctuplo inclui moralidade e meditação. Os meios para alcançar a libertação e se desenvolvem com mais profundidade em outros ensinamentos budistas.

Ver também

Ligações externas

  1. Paul Tillich: Main Works, De Guyter, New York, 1988, p. 188
  2. CRISPIM, Claudio (4 de novembro de 2017). «Por que o homem precisa de salvação?». estudosbiblicos.org
  3. Fonte ABC Doutrinário // Ilgonis Janait. 7ª edição revisada - Rio de Janeiro: JUERP, 2000
  4. I João 3:4
  5. Tiago 2:8-11
  6. Romanos 3:23
  7. Romanos 6:23
  8. I Coríntios 15:51-52
  9. Apocalipse 20:6
  10. Apocalipse 20:14
  11. João 14:6
  12. I Pedro 2:24
  13. Romanos 10:9
  14. João 3:16
  15. Efésios 2:8-9
  16. João 6:47
  17. I João 5:11
  18. Apocalipse 21:3-4
  19. Apocalipse 21:23-27
  20. Isaías 11:6-8
Aliança do Norte

A Aliança do Norte, oficialmente Frente Islâmica Unida para a Salvação do Afeganistão (em pachto: Jabha-yi Muttahid-i Islami-yi Milli bara-yi Nijat-i Afghanistan) foi uma organização político-militar criada pelo Estado Islâmico do Afeganistão em 1996, com o fim de unir diversos grupos demográficos afegães que vinham combatendo uns aos outros para lutarem juntos contra o Taliban. A organização apoiou os Estados Unidos e suas forças aliadas a partir de 7 de outubro de 2001 durante a invasão americana, e se juntou à luta pela capturar do líder do Taliban, Mohammed Omar, e o líder da rede terrorista Al-Qaeda, Osama bin Laden.

Batismo

O batismo (AO 1945: baptismo) é um rito, feito normalmente com água sobre o iniciado através da imersão, efusão ou aspersão. Este rito de iniciação está presente em vários grupos, religiosos ou não, onde destacam-se os cristãos. O batismo é o sacramento através do qual o Sacrifício Pascal de Jesus Cristo se aplica às almas, tornando-as, em primeiro lugar, filhas de Deus Pai, mas também membros da Santa Igreja de Cristo e abrindo o caminho para a salvação eterna.

Caridade

Caridade, é a doação voluntária de ajuda aos necessitados, como um ato humanitário.

Comitê de Salvação Pública

O Comitê de Salvação Pública (em francês: Comité de salut public), criado em 30 de maio de 1793, foi o órgão executivo da Convenção, comandava os exércitos e administrava as finanças públicas da França na época da Revolução Francesa. Mais tarde, sob o poder dos jacobinos, o órgão conduzia a política do terror na Revolução Francesa. Sua figura de maior destaque foi, após julho de 1793 Maximilien de Robespierre. Em 27 de julho de 1794 após a desagregação e falência da situação política da Convenção, os Comitês de Governo – Salvação Pública e Segurança Gal se dissolveram, culminando, no Nono Termidor do calendário revolucionário, na deposição de Robespierre e o fim do Estado do Terror.

Doutrina da Igreja Católica

A doutrina da Igreja Católica, ou apenas doutrina católica, é o conjunto de todas as doutrinas que a Igreja Católica professa como verdades de fé. Segundo o Catecismo de São Pio X, a doutrina católica foi ensinada por Jesus Cristo para mostrar aos homens o caminho da salvação e da vida eterna. As suas partes mais importantes e necessárias são: o Credo, o Pai Nosso, os Dez Mandamentos e os sete sacramentos.Esta Igreja cristã acredita que a sua doutrina foi sendo gradualmente revelada por Deus através dos tempos, atingindo a sua plenitude e perfeição em Jesus Cristo, que é considerado o Filho de Deus, o Messias e o Salvador do mundo e da humanidade. Mas, a definição e compreensão dessa doutrina é progressiva, necessitando por isso do constante estudo e reflexão da Teologia, mas sempre fiel à Revelação divina e orientada pela Igreja.Para os católicos, a fé consiste na sua livre entrega e amor a Deus, prestando-Lhe "o obséquio pleno do seu intelecto e da sua vontade e dando voluntário assentimento à revelação feita por Ele". Essa revelação é transmitida pela Igreja sob a forma de Tradição apostólica. A fé em Deus "opera pela caridade" (Gal 5,6), por isso, a vida de santificação de um católico obriga-o, para além de participar nos sacramentos, a executar a vontade divina. Este objetivo pode ser alcançado, com a graça de Deus, mediante a observância dos Dez Mandamentos e dos outros ensinamentos revelados, que se resumem nos mandamentos de amor ensinados por Jesus. Por conseguinte, o católico é também impelido a praticar boas obras e a cumprir as regras de vida propostas pela única Igreja fundada e encabeçada por Jesus. Essa entrega a Deus tem por esperança última a sua própria salvação e a implementação do Reino de Deus, que atingirá a sua plenitude no fim do mundo. Nesse reino eterno, onde o mal será inexistente, os homens ressuscitados para o Juízo Final e que alcançaram a salvação, ou seja, os santos, passarão a viver eternamente em Deus, com Deus e junto de Deus.A doutrina católica está resumida e explicada no Credo niceno-constantinopolitano e em variadíssimos documentos da Igreja, como o Catecismo de São Pio X, o Catecismo da Igreja Católica (CIC) e o Compêndio do Catecismo da Igreja Católica (CCIC).

Eclesiologia

Eclesiologia (da grego ekklesia e logos)

é o ramo da teologia cristã que trata da doutrina da Igreja, seu papel na salvação, sua origem, sua disciplina, sua forma de se relacionar com o mundo, seu papel social, as mudanças ocorridas, as crises enfrentadas, suas doutrinas, a relação com outras denominações e sua forma de governo eclesiástico.

Evangelização

Evangelização ou evangelismo consiste na pregação do Evangelho cristão (a mensagem da salvação em Jesus de Nazaré segundo a fé cristã), constituindo-se assim num ato proselitista realizado visando à aquisição de adeptos à religião cristã, a uma denominação ou igreja. Posteriormente, a palavra também veio a ser usada para significar algum ato proselitista que vise a produzir conversão ou mudanças de hábitos, crenças e valores não necessariamente cristãos.

A palavra "evangelista" provém da palavra εὐάγγελος ("eu-angelos"), do grego koiné, que significa "boas novas" ou "boas notícias" e que também serve de base para o nome dos quatro primeiros livros do Novo Testamento bíblico chamados "Evangelhos". Por essa causa, os autores destes quatro livros são denominados evangelistas - Mateus, Marcos, Lucas e João. Ainda que seja provável que o termo tenha ganho seu extenso uso devido aos Evangelhos e seus autores, considera-se, contudo, que a evangelização no âmbito do cristianismo tenha se iniciado com o ministério de Jesus Cristo, que, fazendo discípulos e instruindo-os segundo a sua doutrina, os preparou para espalhar a sua mensagem religiosa, tendo ele mesmo pregado essa mensagem durante o seu tempo de ministério, segundo prega a fé cristã.

Exército de Libertação Popular

O Exército de Libertação Popular (chinês tradicional: 人民解放軍, chinês simplificado: 人民解放军) é o conjunto das forças militares da República Popular da China e do Partido Comunista da China. O Exército é composto por cinco braços principais, sendo estes: Forças Terrestres, Força Aérea, Marinha, e ainda a Força de Mísseis Balísticos e a Força de Apoio estratégico. Com 2.3 milhões de militares, é o maior exército do mundo em número de ativos e representa o segundo maior investimento em defesa do planeta.

O Exército atua sob o comando da Comissão Militar Central do Partido. Seu Comandante em chefe é o Dirigente do Comitê Militar Central (geralmente o Secretário-geral do Partido Comunista da China). O Ministro da Defesa Nacional, que opera sob o Conselho de Estado, não exerce nenhuma autoridade sobre o Exército.

Foi fundado em 1 de Agosto de 1927, sendo o braço militar do Partido Comunista da China. Seu nome original era Exército Vermelho dos Operários e Camponeses da China, ou simplesmente "Exército Vermelho". A insígnia do Exército consiste em estrela vermelha, dispondo os caracteres 八一, contornados por folhas de trigo. A utilização da insígnia é regulada pela Lei Militar de 1984.

Em setembro de 2015, o Dirigente da Comissão Militar Central da República Popular da China, Secretário-Geral do Partido Comunista da China e também Presidente da República Popular da China, Xi Jinping, anunciou que o efetivo do exército seria diminuído em 300.000 soldados.

Exército de Salvação

O Exército de Salvação é uma denominação cristã protestante e uma das maiores instituições de caridade do mundo. Foi fundado em 1865 por William Booth, ministro metodista, juntamente com a esposa Catherine Mumford, em Londres, Inglaterra no auge da Revolução Industrial. Atua em 126 países, através de igrejas, lojas beneficentes, abrigos, centros comunitários, hospitais, escolas, lares para idosos, creches, centros de recuperação, veículos e equipes de emergência.No Brasil o Exército de Salvação chegou em 1922 e desde então atua junto às comunidades através de suas sedes locais (igrejas e unidades sociais), sedes regionais e a sede nacional em São Paulo. Está presente na Região Sul, Sudeste, Centro-Oeste e Nordeste do Brasil.Em Portugal o Exército de Salvação chegou em 1972 e está presente nas cidades de Porto, Castelo Branco, Sintra, Lisboa e São Brás de Alportel (Algarve).

Em Angola o Exército de Salvação está presente desde 1985 e em Moçambique desde 1986.

Graça

O vocábulo graça provém do latim gratia, que deriva de gratus (grato, agradecido) e que em sua primeira acepção designa a qualidade ou conjunto de qualidades que fazem agradável a pessoa que as têm. No começo do século XX, costumava-se dizer: "qual é a sua graça?" para perguntar "como você se chama?". Este costume, que ainda hoje se mantém em alguns lugares, vinha da cerimônia de batismo dos católicos, na qual o indivíduo se torna cristão e, segundo a doutrina católica, recebe a graça de Deus e, junto com a graça, o nome. A palavra graça provém também de grátis, derivado do latim gratiis (pelas graças, gratuitamente) e gratificar, que desde o século XV equivalia a agradecer.

Igreja Católica

Igreja Católica (o termo "católico", derivado da palavra grega: καθολικός (katholikos), significa "universal", "geral" ou "referente à totalidade"), chamada também de Igreja Católica Romana e Igreja Católica Apostólica Romana, é uma Igreja cristã com aproximadamente dois mil anos de existência posta sob a autoridade Papal do Bispo de Roma e sucessor do apóstolo Pedro. Seu objetivo é seguir ao ensinamento e à pessoa de Jesus Cristo e de Maria, dos Santos e anjos em vista do Reino de Deus, e concede um papel nesta missão à Maria, Mãe da Igreja. Para este fim, a Igreja Católica administra os sacramentos e prega o Evangelho de Jesus Cristo. Atua também em programas sociais e instituições em todo o mundo, incluindo escolas, universidades, hospitais e abrigos, bem como administra outras instituições de caridade, que ajudam famílias, pobres, idosos e doentes.A Igreja Católica se considera a igreja estabelecida por Deus para salvar todos os homens, embora admita a possibilidade de salvação dos que não a seguem. Esta ideia é visível logo no seu nome: o termo "católico" significa global em grego. Ela elaborou sua doutrina ao longo dos concílios a partir da Bíblia, comentados pelos Pais e pelos doutores da Igreja. Ela propõe uma vida espiritual e uma regra de vida aos seus fiéis inspirada no Evangelho e definida. Regida pelo Código de Direito Canónico, ela se compõe, além da sua muita bem conhecida hierarquia ascendente que vai do diácono ao Papa, de vários movimentos apostólicos, que comportam notadamente as ordens religiosas, os institutos seculares e uma ampla diversidade de organizações e movimentos de leigos.

A Igreja Católica, pretendendo respeitar a cultura e a tradição dos seus fiéis, é por isso atualmente constituída por 24 igrejas autônomas sui iuris, todas elas em comunhão completa e subordinadas ao Papa. Estas Igrejas, apesar de terem a mesma doutrina e fé, possuem uma tradição cultural, histórica, teológica e litúrgica diferentes e uma estrutura e organização territorial separadas. A Igreja Católica é muitas vezes confundida com a Igreja Católica Latina, uma das suas 24 Igrejas autônomas e a maior de todas elas.

Desde o dia 13 de março de 2013, a Igreja Católica encontra-se sob a liderança do Papa Francisco. O último papa antes do argentino foi o Papa Bento XVI, que abdicou do cargo no mesmo ano. Quando de sua entronização, ela contava aproximadamente com 1,2 bilhões de membros (ou seja, mais de um sexto da população mundial e mais da metade de todos os cristãos), distribuídos principalmente na Europa e nas Américas mas também noutras regiões do mundo. Sua influência na História do pensamento bem como sobre a História da arte é considerável, notadamente na Europa.

Junta de Salvação Nacional

A Junta de Salvação Nacional (JSN) foi um grupo de militares designados para sustentar o governo do Estado Português em Abril de 1974, após o golpe de estado que derrubou o Estado Novo. Esta Junta esteve em funcionamento desde o comunicado do presidente António de Spínola, emitido às 01:30 do dia 26 de Abril de 1974, até à tomada de posse do Governo Provisório, ocorrida a 16 de Maio do mesmo ano. Embora com características diferentes, sem poder executivo directo, manteve-se até ser extinta após os acontecimentos de 11 de Março de 1975, sendo substituída pelo Conselho da Revolução instituído a 14 de Março de 1975 pela Assembleia do Movimento das Forças Armadas.

Junta de Salvação Pública

A Junta de Salvação Pública foi a designação dada ao órgão político-militar que assumiu o poder durante o golpe de 28 de Maio de 1926. A junta foi criada em Lisboa, logo no dia 28 de Maio, sob a chefia do almirante José Mendes Cabeçadas, lançando nesse dia um manifesto. Nos dias imediatos assumiu a plenitude do poder político, recebendo a demissão, primeiro do Governo e depois, já com o seu líder nomeado presidente do Ministério, do presidente da República. O nome escolhido para a junta foi o mesmo que fora utilizado oficiosamente pela junta sidonista de 17 de Março de 1918.

Metodismo

O metodismo foi um movimento de avivamento espiritual cristão ocorrido na Inglaterra do século XVIII que deu origem a Igreja Metodista em 1739 e enfatizou a relação íntima do indivíduo com Deus, iniciando-se com uma conversão pessoal e seguindo uma vida de ética e moral cristã. Outra ênfase forte do movimento foi o seu engajamento em questões de assistência e ação social. O metodismo foi liderado pelos Reverendos John Wesley (1703-1791) e seu irmão Charles Wesley (1707-1788), considerado um dos maiores expoentes da música sacra protestante, ambos ministros da Igreja Anglicana.

Missa

Santa Missa, ou celebração da eucaristia, é a principal celebração religiosa da Igreja Católica e da Igreja Ortodoxa, também realizada, com algumas variáveis, nas tradições Reformadas, Anglicanas e Luteranas.

Para estas igrejas, a missa é o cumprimento do mandamento de Cristo de fazer o que Ele mesmo fez na Última Ceia e é o sacramento em que se recebe o Corpo e o Sangue de Cristo sob a matéria do pão e do vinho, atualizando, de acordo com a Igreja Católica Romana o supremo sacrifício de Cristo na cruz (o Mistério Pascal) e tornando assim presente a salvação, renovando a Santa Ceia ou comemorando um banquete festivo em memória da salvação efetuada por Cristo.

Na Igreja Católica, a missa pode ser celebrada todos os dias, excepto na Sexta-feira Santa. Os fiéis católicos participam da missa aos Domingos e nas festas de guarda. Teologicamente, a missa mais importante é a dominical, pois, na liturgia da igreja, é nesse dia que Jesus Cristo ressuscita. No decorrer do Ano Litúrgico, a maior Missa e mais importante é a que se celebra na noite do Sábado de Aleluia, chamada Vigília pascal, que possui uma estrutura diferente de todas as outras.

Predestinação

Predestinação (do termo latino praedestinatione) é uma destinação antecipada: à salvação, a grandes feitos etc. Em teologia especificamente, é a doutrina segundo a qual todos os eventos têm sido determinados por Deus. Já João Calvino interpretou a predestinação bíblica com o significado de que Deus quer a condenação eterna para algumas pessoas e a salvação para outras.

Além disso a Predestinação é uma teoria onde cada pessoa tem seu destino desde o nascimento, ou seja, cada pessoa tem seu caminho trilhado por Deus antes de nascer.

A Predestinação tem lados bons e lados ruins. Como assim? A Predestinação tem partes onde hora você comete pecados e perde o caminho feito por Deus, e hora você tem ganhos, como Calvino diz: Os bens materiais são o auge do seu caminho bem trilhado, e bem feito sem pecados.

Protestantismo

O protestantismo é uma das três principais divisões do cristianismo, junto com o catolicismo e a ortodoxia, sendo a segunda com o maior número de adeptos e a última a ser criada. Com mais de 900 milhões de adeptos em todo o mundo compreende aproximadamente 40% de todos os cristãos. Originou-se com a Reforma Protestante, um movimento contra o que seus seguidores consideravam erros na Igreja Católica. Desde então, os protestantes rejeitam a doutrina católica romana da supremacia papal e dos sacramentos, mas discordam entre eles sobre a presença real de Cristo na Eucaristia. Eles enfatizam o sacerdócio de todos os crentes, a justificação pela fé (sola fide) em vez das boas obras e a autoridade da Bíblia sozinha (e não com a tradição sagrada) na fé e na moral (sola scriptura). As "Cinco Solas" resumem as diferenças teológicas básicas em oposição à Igreja Católica Romana.O protestantismo é popularmente considerado como tendo começado na Alemanha em 1517, quando Martinho Lutero publicou suas 95 Teses como uma reação contra abusos na venda de indulgências pela Igreja Católica Romana, que pretendia oferecer remissão de pecado aos seus compradores. No entanto, o termo deriva da carta de protesto dos príncipes luteranos alemães em 1529 contra o édito da Dieta de Speyer, que condena os ensinamentos de Martinho Lutero como heréticos. Embora existissem rupturas anteriores e tentativas de reforma da Igreja Católica Romana - notadamente por Pedro Valdo, John Wycliffe e Jan Hus — somente Lutero conseguiu desencadear um movimento mais amplo, duradouro e moderno. No século XVI, o luteranismo se espalhou da Alemanha para Dinamarca, Noruega, Suécia, Finlândia, Letônia, Estônia e Islândia.As denominações reformadas (ou calvinistas) espalharam-se na Alemanha, Hungria, Países Baixos, Escócia, Suíça e França por reformadores como João Calvino, Huldrych Zwingli e John Knox. A separação política da Igreja da Inglaterra do papa sob o governo do rei Henrique VIII fez surgir o anglicanismo na Inglaterra e no País de Gales, parte do movimento mais amplo da Reforma. Os protestantes desenvolveram sua própria cultura, com importantes contribuições na educação, nas ciências humanas e nas ciências gerais, na ordem política e social, na economia e nas artes, e em muitos outros campos.O protestantismo é diversificado, sendo mais dividido teologicamente e eclesiásticamente do que a Igreja Católica Romana, a Igreja Ortodoxa Oriental ou a Ortodoxia Oriental. Sem unidade estrutural ou autoridade humana central, os protestantes lideraram o conceito de uma igreja invisível em vez de um corpo de clérigos ou figuras institucionais. Algumas denominações têm um alcance mundial, enquanto outras são confinadas a um único país. A maioria dos protestantes são membros de um punhado de famílias denominacionais protestantes: anglicanos, reformados, luteranos, batistas, metodistas, congregacionais e protestantes unidos. Os pentecostais., neo pentecostais, igrejas não denominacionais, carismáticas, independentes e outras estão em ascensão e constituem uma parte significativa no desdobramento do cristianismo protestante., porém não são propriamente protestantes, mas sim evangélicos. Os Adventistas, Mórmons e Testemunhas de Jeová não são protestantes ou evangélicos e sim paracristãos. Os defensores da teoria da ramificação consideram o protestantismo uma das três principais divisões da cristandade, juntamente com a Igreja Católica Romana e a Ortodoxia (tanto ortodoxa quanto oriental).

Sacramentos católicos

A Igreja Católica celebra os sete sacramentos, que são: batismo, confirmação (ou crisma), eucaristia, reconciliação (ou penitência), unção dos enfermos, ordem e matrimônio. A doutrina, "todos os sacramentos estão ordenados para a Eucaristia «como para o seu fim»)". Na eucaristia, renova-se o mistério pascal de Cristo, atualizando e renovando assim a salvação da humanidade.

O sacramento católico é um ato ritual destinado aos fiéis, para eles receberem a graça de Deus, e situações da vida cristã. Eles foram instituídos por Jesus Cristo como "sinais sensíveis e eficazes da graça [...] mediante os quais nos é concedida a vida divina" ou a salvação e foram confiados à Igreja. Através destes sinais ou gestos divinos, "Cristo age e comunica a graça, independentemente da santidade pessoal do ministro", embora "os frutos dos sacramentos dependam também das disposições de quem os recebe".

Ao celebrá-los, a Igreja Católica, através das palavras e elementos rituais, alimenta, exprime e fortifica a sua fé e a fé de cada um dos seus fiéis. Estes sinais de graça constituem uma parte integrante e inalienável da vida cristã de cada fiel. Os sacramentos são necessários para a salvação dos crentes por conferirem a graça de Deus, "o perdão dos pecados, a adoção de filhos de Deus, a conformação a Cristo Senhor e a pertença à Igreja".

Acredita-se que o Espírito Santo prepara para a recepção dos sacramentos por meio da palavra de Deus e da fé que acolhe a palavra nos corações bem dispostos. Então, os sacramentos fortalecem e exprimem a fé. O fruto da vida sacramental é ao mesmo tempo pessoal e eclesial. Por um lado, este fruto é para cada crente uma vida para Deus em Jesus; por outro, é para a Igreja o seu contínuo crescimento na caridade e na sua missão de testemunho.

A igreja vê aos sacramentos como gestos de Deus na vida de cada crente, expressando-se simbólica e espiritualmente, por conseguinte, eles são considerados:

sinais sagrados, porque exprimem uma realidade sagrada, espiritual;

sinais eficazes, porque, além de simbolizarem um certo efeito, produzem-no realmente;

sinais da graça, porque transmitem dons diversos da graça divina;

sinais da fé, não somente porque supõem a fé em quem os recebe, mas porque nutrem, robustecem e exprimem a sua fé.

Terminator Salvation

Terminator Salvation (bra: O Exterminador do Futuro: A Salvação /prt: O Exterminador Implacável: A Salvação) é um filme americano de 2009, uma ficção científica pós-apocalíptica escrita por John Brancato e Michael Ferris, e dirigida por McG.

É o quarto filme da franquia The Terminator, com o ator Christian Bale como John Connor o futuro líder da resistência e Sam Worthington como o ciborgue Marcus Wright. O filme também apresenta um Kyle Reese do primeiro The Terminator (br: O Exterminador do Futuro) como um adolescente, interpretado por Anton Yelchin, além de mostrar a origem do T-800. Terminator Salvation é ambientado no ano de 2018 e tem como eixo do enredo a guerra entre a humanidade e a Skynet. O filme foi lançado em 21 de Maio de 2009 nos Estados Unidos e 5 de Junho no Brasil.

Jesus Cristo
Bíblia
Teologia cristã
Tradição cristã
História
Denominações
Tópicos

Noutras línguas

This page is based on a Wikipedia article written by authors (here).
Text is available under the CC BY-SA 3.0 license; additional terms may apply.
Images, videos and audio are available under their respective licenses.