Repolho

O repolho, subespécie da Brassica oleracea, grupo Capitata, é uma variedade peculiar de couve, constituindo um dos vegetais mais utilizados na cozinha, em diversas aplicações (sopas, conservas, acompanhamentos, massas, etc). É uma planta bianual, herbácea, da família das Brassicaceae ou crucíferas, as folhas superiores do caule aparecem encaixadas umas nas outras, formando o que é designado como uma "cabeça" compacta (daí o título de Capitata, dada ao grupo cultivar).

Este tipo cultivar formou-se por selecção a partir de espécies silvestres, mais semelhantes às couves-de-folhas do grupo Acephala (sem "cabeça"), originárias da região em torno do mar Mediterrâneo, cerca do ano 100 d.C.. Entre as variedades que, por sua vez, comporta, podemos citar a couve-roxa (considerada também como fazendo parte de outro grupo: Capitata Rubra) e a couve-lombarda (que também se pode considerar do grupo Sabauda). A chamada couve-chinesa, semelhante ao repolho, pertence a uma espécie diferente, do género Brassica (Brassica rapa, var. pekinensis).

O repolho é usado cozido ou em saladas. Como se conservava facilmente, foi um vegetal particularmente utilizado antes da invenção da refrigeração como meio de conservação de alimentos frescos. O chucrute (em que se usa especialmente a variedade Krautman), constituído por repolho fermentado é um acompanhamento muito apreciado em determinadas culturas (não tanto nas mediterrânicas).

As lagartas de algumas borboletas da família Pieridae alimentam-se de algumas variedades de repolho (são conhecidas como "lagartas-das-couves" ou "borboleta-das-couves"), constituindo, por vezes, autênticas pragas.

O sumo da couve-roxa (ou o caldo onde foi cozida) pode ser utilizado como indicador de pH, ficando vermelho em soluções ácidas e azul em soluções alcalinas.

A couve é ainda usada frequentemente como principal ingrediente em dietas de emagrecimento, como a dieta da sopa que é, contudo, criticada pelos nutricionistas por ser desequilibrada.

Repolho
Cabbage

Classificação científica
Reino: Plantae
Divisão: Magnaeoliophyta
Classe: Magnoliopsida
Ordem: Brassicales
Família: Brassicaceae
Género: Brassica
Espécie: B. oleracea
Cultivares
Brassica oleracea, grupo Capitata

Composição química

A composição química do repolho a cada 100 gramas é[1]:

Calorias 25,0
Água 93,0 g
Carboidratos 4,3 g
Proteínas 1,4 g
Gorduras 0,2 g
Sais Minerais 1,1 g
Vitamina A 235 UI
Vitamina B1 110,0 mcg
Vitamina B2 60,0 mcg
Vitamina B5 0,4 mg
Vitamina C 41,3 mg
Fósforo 32,0 mg
Ferro 0,57 mg
Cálcio 53,0 mg
Potássio 247,0 mg
Sódio 27,0 mg
Enxofre 25,0 mg

Cultivo

Repolos
Cultivo de repolho na Galiza, Espanha

Existem diversas variedades, com exigências de cultivo diferentes, tempo de maturação diferentes e que implicam também um consumo diferenciado. Enquanto que algumas variedades atingem o ponto de colheita em 50 dias, produzindo cabeças reduzidas, a sua conservação é mais difícil, devendo ser consumidas rapidamente depois de colhidas. Outras variedades são colhidas cerca de 80 dias depois do seu transplante, produzindo cabeças de maiores dimensões e mais duradouras.

O repolho pode ser semeado directamente, ainda que o normal seja o plantio em canteiros, fazendo-se, posteriormente, mudas que são transplantadas definitivamente, com o devido espaçamento entre as plantas, para que se possam desenvolver de forma adequada.

O controlo de pragas (míldio, afídeos, mosca-branca, lagartas, nóctuas e roscas) é importante, principalmente em caso de produção para venda posterior, já que os consumidores evitam as folhas danificadas.

Doenças

  • Malíldio (Peronospora parasitica)
  • Potra ou hérnia ou verme da couve (Plasmodiophora brassicae)

Pragas

Tipos

Todos os tipos de repolhos são parecidos no quesito nutricional. Em geral, existem cinco tipos de repolho:[2]

  • repolho-roxo: é um repolho mais escuro, com tons de roxo escuro e pontos brancos. Beneficia na prevenção do envelhecimento precoce, reduz as chances de câncer, melhora a saúde da pele e dos olhos, ajuda na perda de peso, estimula o sistema imunológico, ajuda a construir ossos mais fortes, desintoxica o organismo, previne diabetes , melhora a saúde do coração, retarda o aparecimento da doença de Alzheimer, e trata úlceras.[3]
  • repolho-liso: um dos mais comuns de serem encontrados, em coloração verde-claro.
  • repolho-crespo: um pouco mais escuro, além de ser bem mais enrugado do que o liso. Possui folhas crespas e crocantes, que além de ornamentar os pratos apresenta sabor suave.[4]
  • repolho-chinês: é esverdeado, porém, tem um tamanho bem menor do que os demais, tem forma pontiaguda, sabor suave, mais suculento e mais fácil de digerir do que os demais.[5]
  • repolho-de-bruxelas: é pequeno e costuma ter formato arredondado, com as folhas bem próximas uma das outras.

Uso medicinal

Pode ser usado no combate a úlceras internas, abcessos, enfermidades do estômago, nevralgias faciais e dentárias, hemorroidas, tuberculose, gota, reumatismo, erisipela, distúrbios intestinais. Também pode ser usado em cataplasmas em abcessos.[1]

Referências

  1. a b http://www.livrodereceitas.com/diversos/alimentos/repolho.htm
  2. Treino Mestre
  3. [www.saudedica.com.br/os-beneficios-do-repolho-roxo-para-saude/amp/ Saude dica]
  4. http://[www.revistacampoenegocios.com.br/repolho-crespo-um-novo-nicho-de-mercado/ Revista Campo e negocios]
  5. Love my salad

Ligações externas

Brassica-garden
Diversas variedades de Brassica oleracea, incluindo plantas do grupo Acephala, couves-de-bruxelas, couves-de-sabóia, e couve-chinesa-kairan
Abel Repolho Correia

Abel Repolho Correia (Gondomar, Rio Tinto, 8 de Setembro de 1926) foi um economista português. Ocupou o cargo de Ministro do Comércio e Turismo no IV Governo Constitucional.

Alcuíno de Iorque

Alcuíno de Iorque (em latim: Alcuinus) foi um monge da Nortúmbria atual (Grã-Bretanha) em 735 e estudou na escola da Catedral de Iorque. Lecionou posteriormente nessa mesma instituição durante quinze anos e ali criou uma das melhores bibliotecas da Europa, tendo transformado a Escola em um dos maiores centros do saber. Foi também ordenado diácono.

No inverno 780, foi enviado a Roma pelo arcebispo Eambaldo de Iorque, para receber das mãos do Papa o pálio, uma sobrepeliz de lã, com uma cruz bordada e que era o símbolo dessas altas funções. Em março de 781, cruzou-se com o beato Carlos Magno em Parma, e foi convidado pelo monarca para o ajudar a instruir e reformar a corte e o clero do seu reino. Entre outros empreendimentos, fundou o Palácio-escola (Aula Palatina) da Catedral de Aquisgrão, no qual eram ensinadas as sete artes liberais: o trívio (gramática, lógica e retórica) e o quadrívio (aritmética, geometria, astronomia e música). Contribuiu bastante para a Renascença carolíngia. Foi também conselheiro do imperador.

É atribuída a ele a versão mais antiga do problema do fazendeiro, o lobo, o carneiro e a alface:

Um homem, um lobo, uma cabra e um repolho tem que atravessar um rio em um pequeno barco. No barco, o homem só pode levar ou o lobo, ou a cabra, ou o repolho, e ele não pode deixar, do lado do rio, o lobo sozinho com a cabra, nem a cabra sozinha com o repolho. Como fazer esta travessia?O problema está no livro Proposições para Instruir os Jovens.É-lhe igualmente atribuído para a consolidação na Europa das bases para um ramo da matemática chamado análise combinatória – tipo de cálculo que está por trás da programação de computadores e da criptografia moderna.

Depois de ter se retirado da corte carolíngia, foi abade de um mosteiro na cidade francesa de Tours. Com toda a justiça, Santo Alcuíno tornou-se o patrono das universidades cristãs. Morreu no dia 19 de maio de 804.

Borsch

O borsch, borscht, ou borche, também grafado como borshtch (em russo e ucraniano: борщ, /borʃ/ pronúncia ; em polaco: barszcz; em lituano: barščiai; em romeno: borș), é uma sopa original da Ucrânia que é tradicional em diversos países do Leste Europeu como a Ucrânia, Polônia, Rússia, Romênia, entre outros.A sopa é normalmente preparada com beterraba que lhe dá um forte coloração vermelha. Outros ingredientes costumeiros são o repolho, cenoura, pepino, batata, cebola, tomate, cogumelo e carne, vinagre (alternativamente, algumas receitas indicam limão), às vezes feijão.O prato costuma ser servido com nata (creme de leite) e batatas cozidas, ou kasha, uma papa de cereais.

Brócolis

Os brócolis (pt-BR) ou brócolos (pt) (do italiano broccolo, no plural broccoli) são vegetais da família Brassicaceae, uma das formas cultivadas de couve, tal como a couve-flor, o repolho, couve-de-bruxelas, couve-nabo entre outras.

As folhas, as flores e os pedúnculos florais são comestíveis. O cruzamento dos brócolos ou brócolis com o kai lan asiático gera o brocollini, que possui talos comestíveis.

Originários da Europa, também são usados em medicina graças ao seu elevado teor de cálcio que é - dependendo da variedade e da forma de preparo em média 47 mg por cada 100 gramas de flores e 51 miligramas em cada 100 gramas de folhas, o que representa cerca de cinco vezes a dose existente no leite. Por isso, este vegetal é um bom construtor e formador dos ossos e dos dentes.[carece de fontes?]De acordo com pesquisas publicadas recentemente, os brócolos ou brócolis e o repolho ajudam a evitar o câncer de próstata se forem consumidas pelo menos três porções diárias desses vegetais. Essa pesquisa baseou-se num estudo do Centro de Pesquisas do Câncer Fred Hutchinson, de Seattle, nos Estados Unidos.[carece de fontes?]Há algumas evidências preliminares que o consumo regular de brotos desta planta poderiam erradicar Helicobacter pylori.Os brócolis ou brócolos são utilizados no preparo de saladas, podendo também ser utilizados em pratos como folhados e massas. Assim como a couve-flor, também podem ser cozidos no vapor, o que ajuda a manter seus componentes nutricionais.

Cachorro-quente

Um cachorro-quente (também conhecido pelo anglicismo hot dog) é uma comida típica dos Estados Unidos em que se coloca salsicha dentro de um pão sovado.

Nos Estados Unidos, o preparo típico do cachorro-quente é colocando a salsicha com o molho agridoce, picles à base de pepino, mostarda e ketchup. Também são muito utilizados o chucrute (repolho azedo) e o chili, espécie de massa de feijão com carne moída picante. No Brasil, a forma de se fazer o cachorro-quente depende da região do país.

No estado de São Paulo, o preparo do prato utiliza purê de batata, enquanto que, no Rio de Janeiro, usa-se ovo de codorna. Já em Minas Gerais e Goiás, é servido com milho verde e batata palha e na Paraíba, é feito com carne moida e/ou frango desfiado, com carne moída e verdura picada por cima da salsicha. Em Pernambuco, o recheio do pão de cachorro-quente é uma mistura a base de carne moída e salsicha, ou apenas uma delas. Em Santa Catarina, especialmente durante a realização da Oktoberfest, na cidade de Blumenau, além dos ingredientes tradicionais, acrescenta-se o chucrute (conserva de repolho fermentado típica da culinária germânica).

Em geral, acompanha-se o cachorro-quente com maionese, ketchup, mostarda, molhos à base de tomate (quente ou frio), pimentão e cebola ou ainda outros ingredientes como batata palha, salpicão, maionese caseira, maionese temperada, tomate, beterraba, pepino, picles, ervilha, milho, purê de batata, toucinho, requeijão, farofa, entre outros.

Chucrute

O chucrute (em alemão: Sauerkraut) é, tradicionalmente, uma conserva de repolho fermentado. Pode ser feito também com folhas de repolho firmes e com outros vegetais em conjunto. O repolho é uma fonte natural de vitamina C. Entretanto, pelo processo de fermentação, o chucrute aumenta o seu teor de vitaminas pela atividade das bactérias, que produzem também vitaminas do complexo B e enzimas.

Atualmente, é considerado prato típico da culinária da Alemanha, e é consumido em todo o mundo. Há diversas receitas para prepará-lo: a mais tradicional utiliza apenas repolho, água e sal; as mais elaboradas utilizando vinho branco, farinha de trigo, creme ácido (ou nata azeda), gengibre, cravo-da-índia e alcaravia ("Kümmel"). É feito em muitas regiões da Europa e dos Estados Unidos, por um processo simples, tanto em escala comercial como para uso caseiro.Durante a Primeira Guerra Mundial, e depois também na Segunda Guerra Mundial, soldados alemães ganharam apelidos como chucrutes ou krauts referentes ao prato, originário de sua cultura.

Couve

Couve é o nome vulgar, genérico, das diversas variedades cultivares da espécie Brassica oleracea L., (ou Brassica sylvestris (L.) Mill.) da família das Brassicaceae, a que também pertence o nabo e a mostarda. É uma planta muito utilizada como verdura na cozinha, para sopas (como a couve-galega para o caldo verde) e conservas (como o repolho para o chucrute), entre outros acompanhamentos, como a couve à mineira.

Couve-flor

A couve-flor é uma hortaliça do tipo inflorescência (conjunto de flores) que pertence à espécie Brassica oleracea (couves), assim como o repolho, os brócolos, o romanesco, etc., cuja textura delicada e tenra exige cuidado e atenção na sua preparação. Pertence ao grupo Botrytis.

Culinária da Bielorrússia

A culinária da Bielorrússia baseia-se nos vegetais e cereais típicos da região, tais como a batata, a beterraba, cogumelos, bagas, cevada e centeio, acompanhados por carne de porco, em várias preparações (como as salsichas, ou kolbasy), de vaca, galinha, peixes de água doce (como a truta, perca e carpa) e ainda por leite e seus derivados (o tvorog, ou queijo-fresco, a smetana, ou nata-azeda, e o queijo fermentado, ou siyr). As batatas merecem uma menção especial, uma vez que são a base de vários pratos da cozinha bielorrussa. Uma preparação que é por vezes considerada o prato nacional da Bielorrússia é a draniki, uma espécie de patanisca de batata, em que este ingrediente, em puré ou grosseiramente ralado, é misturado com farinha de trigo e ovos, temperado e frito, por vezes com recheios variados. Outros pratos à base de batata incluem vários tipos de pasteis, geralmente recheados e fritos ou cozidos, e a babka-de-batata, uma espécie de pudim feito com puré de batata, ovos, cebola e bacon, geralmente assado no forno (o significado de “babka” é “bolo” e é nesta acepção que é usada nos países vizinhos). Os pratos de carne são normalmente servidos com batatas оu vegetais, como cenoura, repolho, rábano, ervilhas ou outros. Também é característico que muitos pratos de vegetais e carne são preparados em louça de barro tradicional.

Para além das batatas, os bielorrussos adotaram várias preparações baseadas em farinhas de cereais, para além do pão que, tradicionalmente era de centeio maltado, como as blini (panquecas de massa levedada), cuja massa pode ser simples ou misturada com batata, maçã ou queijo; outro caso é a lazanki, ou “lasanha bielorrussa”, e os kalduni, aparentados com os pelmeni russos. Zacirka é uma espécie de massa alimentícia típica deste país e muito apreciada com leite ou toucinho salgado.

Culinária da Eslovênia

A culinária da Eslovênia é uma coleção de costumes culinários autóctones (nativos) desse país, podendo ser encontradas influências da culinária da Áustria-Hungria.

Os pratos principais costumam ter como ingredientes batatas, repolho, queijo (geralmente de ovelha, porco, cordeiro e aves).

São muito populares na Eslovênia as sopas, como a mineštra.

Culinária da Polônia

Culinária da Polônia (polonês: kuchnia polska) é uma mistura de tradições culinárias eslavas ocidentais e estrangeiras. Surgida da mistura dos diversos costumes culinários das várias regiões da Polônia e culturas vizinhas, ela utiliza uma grandes variedade de ingredientes. É rica em carne de todos os tipos e temperos, bem como de tipos diferentes de massas e bolinhos, sendo o mais popular deles o pierogi (massa cozida, com recheio de requeijão e batata, acompanhado de molho de linguiça, nata e bolas de requeijão). Assemelha-se a outras culinárias eslavas quanto ao uso de mingaus (kasza) e de outros cereais, mas teve também uma grande influência das culinárias turca, alemã, húngara, judaica, russa, francesa e culinárias coloniais do passado. No geral, a culinária da Polônia é rica, substancial e relativamente alta em gorduras. O polonês dedica uma parte generosa de seu tempo para desfrutar suas refeições.

Um almoço típico é normalmente composto de pelo menos três pratos, começando com uma sopa, como barszcz (beterraba) ou żurek (um alimento feito de centeio triturado fermentado), seguido talvez em um restaurante por um aperitivo de salmão ou arenque (preparado com creme, óleo ou vinagre). Outros aperitivos populares são patês feitos de vários tipos de carnes, legumes ou peixes. O prato principal pode ser bigos (chucrute com pedaços de carne e linguiça) ou schabowy (bistecas de porco empanadas). Termina com uma sobremesa, que pode ser um sorvete ou, mais provavelmente um pedaço de (makowiec), bolo feito em casa com sementes de papoula, ou ainda drożdżówka, um tipo de bolo de levedo. Outras especialidades polonesas incluem chłodnik (uma sopa fria de beterraba para os dias quentes), golonka (juntas de carne de porco cozidas com legumes), kołduny (bolinhos de massa de carne), zrazy (bifes enrolados), salceson e flaki (tripas). Muitos pratos contêm queijo do tipo quark,também uma comida que os polonos costumam comer é tapioca.

Culinária do Kosovo

A culinária do Kosovo, para além das suas raízes albanesas e sérvias, teve a influência doutros vizinhos, como a Grécia, a Itália e a Croácia para além do Império Otomano. Os ingredientes principais da culinária do Kosovo incluem batata, feijão, pimento, carne, laticínios, legumes, arroz e massa de farinha para pasteis. O peixe não é popular no Kosovo, mas a carne é consumida quase diariamente, principalmente de vaca, carneiro e aves, normalmente em assados, por exemplo, como kebabs. No entanto, as salsichas, principalmente de carne de borrego, também são populares. Um prato digno de menção é o burjan, um arroz com espinafre e pedaços de carne de borrego, cozido no forno.

Para além da carne, vários laticínios fazem igualmente parte da dieta, incluindo iogurte e kaymak; os queijos são na maioria feitos com leite de ovelha, de massa mole e conservados em salmoura, mas o famoso Šarski é primeiro fumado, o que lhe dá consistência, e depois conservado em salmoura a que foi adicionado endro.

Os vegetais frescos são consumidos principalmente no verão, mas os vegetais em conserva, como turšija, são servidos durante o ano todo; por exemplo, os pimentos podem ser recheados com queijo, repolho, pepino e tomate verde e servidos como salada. As frutas frescas também são apreciadas, como as maçãs, cerejas, ameixas, peras, marmelos, uvas, melões e melancias, assim como vários tipos de bagas, que crescem espontaneamente.

As refeições são habitualmente acompanhadas de bebidas tradicionais, como boza. O chá russo, preparado em samovar, e servido quente com açúcar e limão, é também popular. Limonadas ou outras bebidas feitas com base em xaropes de frutas ou de pétalas de rosa fazem também parte final duma refeição. As bebidas alcoólicas são consumidas com moderação; a cerveja mais famosa do Kosovo é a Pećko; os vinhos e o brandy preparado com uvas incluem merlot, teran, borgonha, enquanto outros são cultivados em Rahovec, perto de Prizren, e nas regiões de Đakovica e Peć, conhecidas pela suas vinhas e pomares.

Dimetilsulfóxido

Dimetilsulfóxido ou sulfóxido de dimetilo (DMSO) é um composto muito usado como solvente aprótico e polar em laboratório e na indústria, com fórmula (CH3)2SO. É produzido pela oxidação do dimetilsulfureto (DMS ou sulfeto de dimetila), que por sua vez é produzido por alguns processos biológicos, inclusive no repolho.

Huehuetenango (Guatemala)

Huehuetenango é uma cidade da Guatemala, pertencente ao departamento homônimo, sendo a capital deste departamento. Localiza-se na região noroeste do país.

A economia de Huehuetenango baseia-se no cultivo do café (82%). Repolho, cenoura, beterraba, tomate, rabanete, batata-doce, feijão e batata aparecem com porcentagem menor.

Krautrock

Krautrock (Kosmische Musik, Kraut, ou ainda Krautwave) é um nome genérico atribuído às bandas experimentais na Alemanha do fim da década de 1960 e do começo da década de 1970. Originalmente era um termo utilizado de forma pejorativa pela imprensa musical inglesa, e acredita-se que tenha sido criado por ela a partir da expressão popular Kraut, que significa uma pessoa alemã, e por sua vez derivada do prato tradicional alemão chucrute, sauerkraut (literalmente "repolho azedo"). No entanto, muito por causa do sucesso dessas bandas, o termo ganhou mais tarde um significado positivo, sendo atualmente visto como um título de reconhecimento ao invés de insulto.Bandas tipicamente definidas como krautrock do começo de 1970 são Tangerine Dream, Faust, Amon Düül II e Can, além das associadas ao produtor Conny Plank, como Neu!, Kraftwerk e Kluster. Essas bandas manifestavam uma reação ao vácuo cultural na Alemanha pós-Segunda Guerra Mundial e de forma geral rejeitavam a cultura Anglo-Americana em favor de uma definição própria, mais radical e experimental, do que seria a nova cultura alemã.

O krautrock, em termos musicais, pode ser considerado uma síntese de influências que transitam entre a psicodelia de nomes como Pink Floyd (em sua fase inicial), La Monte Young e Velvet Underground, as vanguardas eruditas do século XX (músicas concreta e a eletroacústica), incluindo ainda passagens pelo minimalismo, pelo atonalismo e pelo free jazz. É caracterizado por um gosto obsessivo por dissonâncias, ruídos, colagens sonoras, improvisação e ritmo, frequentemente preocupando-se mais com o timbre do que com a melodia.

Gêneros como o pós-punk (Pere Ubu, The Fall, Joy Division e PIL), música industrial (Einstürzende Neubauten), rock alternativo (Sonic Youth), eletrônico (Gary Numan, Throbbing Gristle e Cabaret Voltaire) ou mesmo o som de bandas como Mouse On Mars e Stereolab tiveram alguma inspiração no krautrock.

Um erro frequente é a classificação de toda a cena rock alemã dos anos 70 com a utilização da denominação krautrock: é quase normal encontrar artigos que tratam o termo como uma espécie de "saco sem fundo", e que terminam por incluir bandas de hard alemão como Lucifer's Friend e Eloy nessa categoria, o que é um grande erro. Tradicionalmente, o krautrock é sinônimo de ruptura com o paradigma "vejam o quão rápido podemos tocar", substituindo-o por "vejam o quão longe podemos ir". O uso da criatividade em detrimento da velocidade é ressaltado pelo uso frequente do chamado motorik, ou seja, batidas em tempo 4/4 muito utilizado pelas bandas da época.

Embora o termo Kosmische Musik tenha sido usado para designar as bandas do que era entendido (na época) como o rock progressivo da Alemanha, hoje é utilizado com um sinônimo para o Krautrock.

Um das compilações mais representativas do gênero pode ser encontrada na coletânea Space Box - 1970 & Beyond, lançada pela Cleopatra Records em 20 de agosto de 1997.

Marreco com repolho roxo

Marreco com repolho roxo é um prato típico da cozinha alemã. Também conhecido como Ente mit Rotkohl. A cidade de Brusque, em Santa Catarina, realiza anualmente em outubro a Festa Nacional do Marreco (Fenarreco), onde esse prato é o carro-chefe, acompanhado do tradicional Chope.É feito à base de marreco, marinado com temperos e vinho branco por 24 horas. Depois é cozido até que a carne fique macia (cerca de cinco horas e meia). Após cozido, o marreco é assado até dourar. Numa panela a parte é refogado repolho roxo com Maçã.O marreco é servido numa assadeira adornado pelo cozido de repolho roxo. O marreco pode ser recheado ou não, dependendo do gosto (Recheios como: coração de galinha, saladas, maionese, entre outros).

Quibala

Quibala ou Kibala é uma vila e município de Angola, na província de Cuanza Sul.

Tem 10 253 km² e cerca de 168 mil habitantes. É limitado a Norte pelo município de Libolo, a Este pelos municípios de Mussende e Andulo, a Sul pelos municípios da Cela e Ebo, e a Oeste pelos municípios de Quilenda e Quiçama. É constituído pelas comunas de Quibala, Cariango, Dala Cachibo e Lonhe.

O concelho foi criado em 1944.

Quibala produz mandioca, cana de açúcar, milho, ginguba, banana, batata doce, repolho, alho cebola, abacate, abacaxi, feijão e sisal.

Repolho (banda)

Repolho é uma banda brasileira de Chapecó, estado de Santa Catarina, fundada por Demétrio e Roberto Panarotto em 1991. O trabalho segue na linha do rock alternativo, misturando referenciais de diferentes estilos da música popular e com forte ênfase em um humor escrachado, mas inteligente e questionador. Principalmente a ela deve-se a renovação da cena roqueira na região do oeste catarinense e a inserção de Santa Catarina no mapa do pop brasileiro. Sua formação mudou várias vezes nas partes de baixo e bateria, e sua produção inclui quatro álbuns, intitulados Repolho Volume 1, 2, 3 e 4, três demo-tapes, participação em coletâneas, alguns videoclips e um filme de curta-metragem. Um projeto paralelo, integrado pelos irmãos Panarotto e convidados especiais, produziu três CDs: 2Violão e 1Balde, Chamando Chuva e Parangolés ... ou Bergamotiando. A Repolho conquistou um grande público para um grupo alternativo e independente, e recebeu elogios entusiasmados de vários músicos e críticos de destaque no país.

Noutras línguas

This page is based on a Wikipedia article written by authors (here).
Text is available under the CC BY-SA 3.0 license; additional terms may apply.
Images, videos and audio are available under their respective licenses.