Ponto quente

Pontos quentes (em inglês: hotspot) são pontos de anomalia termal no interior da Terra, ligados a sistemas de convecção mantélica e responsáveis pelo vulcanismo que ocorre no interior de placas tectônicas. Considera-se que a irregularidade térmica é devido à elevação de convecção pós-térmica do manto superior, denominado pluma térmica. Em regiões oceânicas, encontram-se vulcanismos basálticos de composição álcali-olivina basáltica e toleítica. Em regiões continentais, observam-se vulcanismos de basalto toleítico, álcali-olivina basáltivo, fonolítico e carbonatítico. Observa-se um rastro que assinala o movimento da placa tectónica sobre o ponto quente.

A teoria dos pontos quentes[1] foi postulada pelo geofísico canadense J. Tuzo Wilson em 1963 para explicar a existência de celas de vulcões formando linhas coincidentes com a direção geral de movimento das placas sobre as quais assentam, e teve como modelo o arquipélago do Havaí. Nestas áreas, os vulcões parecem indiciar a passagem da crosta terrestre sobre uma pluma de material magmático, essencialmente fixa no manto terrestre, que ao ascender à superfície origina sucessivos edifícios vulcânicos.

A origem das plumas mânticas foi durante muito tempo atribuída à formação de uma estrita coluna ascendente de material mais quente desde a zona de fronteira entre o manto e o núcleo terrestre que ascenderia até à superfície. Dados recentes colocam em causa a existência destas estruturas profundas, apontando como origem das plumas a formação de zonas estáveis de convecção térmica nas camadas mais externas do manto terrestre.

Estão identificados cerca de 50 pontos quentes na Terra, a maioria dos quais associada à presença de ilhas oceânicas, tais como os Açores, Madeira, Cabo Verde, Islândia, Fernando de Noronha, Havaí, Reunião, e de cadeias vulcânicas como as de Yellowstone e do Monte Camarões. Yellowstone[2], inclusive, é conhecido por ser um dos únicos pontos quentes do mundo com Índice de Explosividade Vulcânica (IEV) 8, o maior existente[3].

A partir da década de 1930, Holmes aventou a ideia da movimentação do Homem motivada por diferenças térmicas, que dão origem a correntes de convecção num meio sólido, porém dotado de plasticidade, com elevado grau de viscosidade, que caracteriza o manto superior. Tais ideias têm em comum que os movimentos verticais e horizontais da litosfera são originados por correntes e deslocamentos de massas que se substituem mutuamente nas profundidades, situadas abaixo da delgada crosta terrestre. Os blocos siálicos seriam afetados por estas correntes, podendo ser arrastados pelo fluxo horizontal que se desliza por baixo, ou mesmo soerguidos ou abatidos, conforme a direção destas correntes. Essa teoria está diretamente ligada à teoria da migração continental. A película terrestre é insignificante em relação às regiões profundas, gigantescas. Tendo a crosta uma constituição pouco rígida, é por isso relativamente sensível às correntes profundas, cuja natureza é admitida como sendo de diversas causas. Acredita-se que esse processo funcione de uma forma parecida com a seguinte: as massas profundas ao receberem um aumento térmico, proveniente das maiores profundidades do manto ou da desintegração radioativa, sofrem, por conseguinte, um impulso para subir, segundo o princípio de Arquimedes. Por outro lado as mais elevadas condensam-se e tendem a afundar.

Hotspots
Mapa mundial que mostra a localização de alguns dos pontos quentes mais conhecidos.
Portal A Wikipédia tem os portais:
  • Ciências da Terra
  • Vulcões

Ver também

Referências

  1. https://pubs.usgs.gov/gip/dynamic/hotspots.html
  2. http://community.dur.ac.uk/g.r.foulger/Offprints/Yellowstone.pdf
  3. Newhall, Christopher G.; Self, Stephen (1982). «The Volcanic Explosivity Index (VEI): An Estimate of Explosive Magnitude for Historical Volcanism» (PDF). Journal of Geophysical Research. 87 (C2): 1231–1238. Bibcode:1982JGR....87.1231N. doi:10.1029/JC087iC02p01231

Ligações externas

Arquipélago da Madeira

O arquipélago da Madeira constitui um conjunto de ilhas de Portugal, situado no oceano Atlântico. É formado por um total de sete ilhas e dois ilhéus, das quais as duas principais e duas secundárias as únicas habitadas a título permanente são as ilhas da Madeira e de Porto Santo, a Selvagem Grande e Selvagem Pequena. Política e administrativamente, o arquipélago constitui atualmente a Região Autónoma da Madeira.

Arquipélago do Havaí

O Arquipélago do Havaí é um arquipélago de 19 ilhas e atóis, numerosos pequenos ilhéus, e montes submarinos situado ao norte do Oceano Pacífico, estendendo cerca de 2 400 km da Ilha Havaí do sul para o ponto mas ao norte, Ilha Kure. Excluindo o Midway, que é um território não-incorporado dos Estados Unidos, o arquipielago do Havaí forma o estado estado-unidense do Hawaiʻi. Antigamente era conhecido como Ilhas Sandwich, depois o arquipélago recebeu o nome a partir da maior ilha do grupo.

Este arquipélago representa os picos expositórios de uma grande cordilheira submarina conhecida como o monte submarino Hawaiian-Emperador, que é formada pela atividade vulcânica de um ponto quente no manto da Terra. A cerca de 3 000 km do continente mais perto, o arquipélago do Havaí é o grupo de ilhas mais isolado da Terra.

Caldeira de Yellowstone

A Caldeira de Yellowstone é uma caldeira vulcânica situada no Parque Nacional de Yellowstone, no estado do Wyoming, nos Estados Unidos, por vezes designada como Supervulcão de Yellowstone.

Yellowstone é considerado um supervulcão, pois uma possível erupção sua poderia durar semanas provocando efeitos globais, que persistiriam por meses ou até por anos. Sua cratera tem 90 quilômetros de extensão, e sua caldeira é 40 vezes maior do que a do Monte Santa Helena, sendo que boa parte de seu magma é eruptivo.

O vulcão e sua caldeira situam-se no Parque Nacional de Yellowstone, que ocupa grande parte da região noroeste no Wyoming, além de pequenas partes dos estados de Idaho e Montana, nos Estados Unidos da América.

Uma erupção de tal magnitude teria efeitos catastróficos em todo o planeta. Seus efeitos durariam décadas para se normalizar e trariam mudanças bruscas na Terra, desde a morte de milhões de pessoas à extinção em massa de plantas e animais.

Complexo de Marromeu

O Complexo de Marromeu é um conjunto de áreas de conservação declarado sítio Ramsar, ou seja, uma terra húmida de importância internacional, localizado no distrito do mesmo nome, em Moçambique. Foi registado pela Convenção em 2004 .

Cobrindo uma área de 6880 km², na margem sul do delta do Zambeze, o Complexo é formado pelas Coutadas Oficiais 10, 11, 12 e 14 e pela Reserva Especial de Protecção de Búfalos de Marromeu. É limitado a sul pela escarpa de Cheringoma. O meio ambiente é muito variado, incluindo savanas, pântanos, florestas de miombo e mangais, proporcionando habitats para uma grande número de espécies, incluindo espécies protegidas.

O Complexo é considerado um “ponto-quente” de biodiversidade abrigando vários mamíferos de grande porte, como o búfalo-africano, hipopótamo, zebra, leão e pala-pala. A avifauna é igualmente rica e a região é utilizada para nidificação de cerca de 20% da população de grou-carunculado, Bugeranus carunculatus, do mundo, e ainda do pelicano-branco, Pelecanus onocrotalus, e cinzento, Pelecanus rufescens, enquanto os mangais abrigam a águia-pescadora-africana, Haliaeetus vocifer, garças, guarda-rios, flamingos, incluindo o flamingo-pequeno e o comum, maçaricos e corvos marinhos.

Havaí

O Havaí (pt-BR) ou Havai (pt) (em inglês: Hawaii; em havaiano: Hawai'i) é um dos 50 estados dos Estados Unidos. O Havaí localiza-se em um arquipélago no meio do Oceano Pacífico, podendo ser considerado o estado norte-americano mais isolado em relação ao resto do país. Sua capital e maior cidade, Honolulu, localiza-se a mais de 3100 km de qualquer outro Estado norte-americano. O Havaí é o Estado mais meridional de todo o país, sendo considerado parte dos Estados do Pacífico. Sua economia está baseada primariamente no turismo. Barack Obama é o único presidente dos Estados Unidos nascido no estado do Havaí.

O arquipélago que forma o Havaí é conhecido historicamente pelo nome de 'Ilhas Sanduíche' ("Sandwich Islands"). O arquipélago havaiano era povoado por polinésios, sendo que a região era governada por vários chefes polinésios locais, até 1810, quando Kamehameha I centralizou o governo do arquipélago, e instituiu uma monarquia. O Havaí é o único Estado dos Estados Unidos cujos nativos utilizaram-se da monarquia como forma de governo. Em 1894, o arquipélago tornou-se uma república, e quatro anos depois, em 1898, foi invadido militarmente e anexado pelos Estados Unidos, tornando-se um território estadunidense em 1900. Desde então, grande número de pessoas com ascendentes europeus, vindos de outras partes do país, bem como imigrantes asiáticos, instalaram-se no Havaí, dando à população local um aspecto altamente multicultural.

A base naval norte-americana de Pearl Harbor foi atacada por aeronaves da Marinha Imperial Japonesa, em 7 de dezembro de 1941. O ataque fez com que os Estados Unidos entrassem oficialmente na Segunda Guerra Mundial. Mais de 2400 pessoas morreram no ataque. Em 21 de agosto de 1959, o Havaí tornou-se o 50.º e último Estado a entrar à União.

Hotspot

Whotspot, que numa tradução livre do inglês pode significar ponto quente, ponto de acesso ou ponto de extensão, pode referir-se a:

HotSpot, máquina virtual Java

Hotspot (Wi-Fi)

Hotspot (geologia)

Movimento HotSpot, concurso cultural multimídia.

Ilhas de Sotavento (Havai)

As Ilhas de Sotavento do Havai (em inglês: Northwestern Hawaiian Islands ou Leeward Islands) são as ilhas, atóis, recifes e bancos de areia do arquipélago havaiano localizadas a noroeste das ilhas de Kauai e Niihau.

As ilhas são desabitadas (exceto a guarnição militar em Midway) e administradas pelo estado norte-americano do Havai, com exceção do atol Midway, administrado diretamente pelo Fish and Wildlife Service do Departamento do Interior dos Estados Unidos. A área das ilhas de Sotavento é de 8,04 km2.

John Tuzo Wilson

John Tuzo Wilson (Ottawa, 24 de outubro de 1908 — Toronto, 15 de abril de 1993) foi um geólogo e geofísico canadense.

Tornou-se notável pelo desenvolvimento da teoria da tectónica de placas e pelo postulado, no âmbito daquela teoria, que as ilhas do Hawaii resultam da passagem da placa oceânica onde elas se inserem por sobre um ponto quente inserido no manto terrestre que, ao injectar magma mais fluido, provocou o aparecimento de vulcanismo persistente ao longo de uma linha correspondente ao percurso da placa por sobre o hotspot.

Mauna Loa

Mauna Loa é um vulcão que se situa na Ilha Havaí, uma das ilhas do arquipélago do Havai. É, em volume, o maior vulcão em escudo na Terra, atingindo os 4169 m de altitude (10.000 metros desde a base) e 90 km de largura.

É ultrapassado em altitude pelo Mauna Kea, na mesma ilha, que é, todavia, um vulcão inativo ou em fase pós-escudo.

Trata-se de um vulcão pouco inclinado, possuindo no seu interior um lago constituído de lava fundida incandescente.

Ocasionalmente a lava sobe, transbordava sob a forma de escoadas rápidas e fluídas (a lava tem pouca viscosidade) - rios de lava que podem atingir grandes distâncias, queimando tudo por onde passam.

Crê-se que o vulcão Mauna Loa está ativo há pelo menos 700 000 anos e terá emergido do fundo do mar há 400 000 anos, embora as mais antigas rochas datadas não tenham mais de 200 000 anos. A mais recente erupção decorreu entre 24 de março a 15 de abril de 1984 (Lockwood, 1995).

Contam-se 33 erupções do Mauna Loa em tempos históricos. Nenhuma erupção recente causou mortes, mas as de 1926 e de 1959 destruíram várias aldeias, e a cidade de Hilo está parcialmente construída sobre as correntes de lava de finais do século XIX. Por causa dos perigos que corre a presença humana na região, o Mauna Loa é parte do programa Vulcões da Década, que motiva o estudo dos mais perigosos a nível mundial. O Mauna Loa tem sido intensamente observado pelo Observatório Havaiano de Vulcões (HVO) desde 1912. As observações da atmosfera são recolhidas pelo Observatório Mauna Loa, e do sol pelo Observatório Solar Mauna Loa, ambos localizados perto do topo do vulcão. O Parque Nacional dos Vulcões do Havai cobre o cume e a encosta sudeste do vulcão e inclui ainda o Kilauea.

O magma provém de um ponto quente do manto terrestre muito abaixo da ilha, o qual é responsável pela criação da cadeia de ilhas do Havaí, há dezenas de milhões de anos. Pensa-se que o lento fluxo da placa tectônica do Pacífico conduzirá eventualmente ao afastamento deste ponto quente e extinguir-se-á dentro de 500.000 a um milhão de anos.

Mehetia

Mehetia ou Me'eti'a é uma ilha vulcânica nas Ilhas de Barlavento, no leste do Arquipélago da Sociedade na Polinésia Francesa, um território francês no exterior, localizado no Oceano Pacífico. Essa ilha é um estratovulcão muito jovem 110 km ao leste da Península do Tahiti. A ilha pertence ao hotspot Teahiti'a-Mehetia.

A ilha tem uma área de 2,3 km quadrados e tem seu ponto mais alto 435 m. A bem definida cratera vulcânica contém um "ponto quente" muito ativo. Em 1981 a ilha foi o centro de terremotos.

Monte Camarões

O Monte Camarões, ou Monte Camaroun, localmente conhecido por Monte Fako, é um estratovulcão ativo, cuja última erupção foi em 1999-2000, que atinge presentemente uma altitude de 4095 m. Situa-se na zona costeira dos Camarões, cerca de 230 km a oeste da cidade capital de Yaoundé, na costa ocidental da África.

O Monte Camarões integra-se numa zona de atividade vulcânica, associada a um hot spot (um "ponto quente"), conhecida pela Linha vulcânica dos Camarões, que se estende desde as ilhas de São Tomé e Príncipe até às montanhas do Tibesti, no Chade. Esta linha inclui o lago Nyos, onde uma súbita libertação de gases provocou em 1986 a morte a pelo menos 1800 pessoas nas aldeias vizinhas.

Nos flancos do vulcão e nas áreas circundantes existem mais de 100 cones parasitas, alguns de grandes dimensões, alinhando-se ao longo de linhas de fractura. O edifício total do Monte Camarões tem um volume estimado de 1400 quilómetros cúbicos, fazendo dele um dos grandes vulcões da Terra.

Uma segunda zona de erupção, mais antiga e agora inativa, denominada Monte Etindi (ou Pequeno Camarões), localiza-se no flanco sul, próximo à costa. O Monte Etindi atinge os 1715 m de altitude.

O vulcão tem produzido essencialmente materiais basálticos e traquibasálticos, formando um horst vulcânico sobre as rochas metamórficas do Pré-Câmbrico, recobertas por sedimentos datando do Cretáceo ao Quaternário, pré-existentes na região.

O Monte Camarões é o vulcão mais ativo do oeste africano, tendo numerosas erupções registadas (1650, 1807, 1825, 1838, 1852, 1865, 1866, 1871, 1909, 1922, 1925, 1954, 1959, 1982, 1999 e 2000), a mais antiga das quais ocorreu no século V a.C. e foi observada pela expedição cartaginesa capitaneada por Hanno.

Na antiguidade clássica o Monte, com o seu cume fumegante, de que só havia notícia incerta, era conhecido pelo "Carro dos Deuses", uma alusão ao carro que transportava o Sol no seu movimento diurno.

Nos tempos mais recentes têm ocorrido erupções de explosividade moderada e erupções com simples efusão a partir da cumeeira do vulcão e de cones parasitas no seu flanco. Em 1922 uma erupção no flanco sudoeste produziu uma corrente de lava que atingiu o mar. Uma escoada da erupção de 1999, originária do flanco sul, imobilizou-se a 200 m da costa.

As encostas do Monte Camarões estão recobertas por densas florestas, evoluindo na sua zona alta para savana e pastagens do tipo alpino. A encosta sudoeste recebe, devido ao efeito orográfico sobre a precipitação, cerca de 10000 mm, fazendo da região uma das mais pluviosas do planeta. Apesar da proximidade do Equador, com frequência o cume recobre-se de neve.

As últimas erupções do Monte Camarões ocorreram a 28 de Março de 1999 e a 28 de Maio de 2000; 03 de Fevereiro de 2012.

Monte Terror

O monte Terror é um vulcão localizado na Antártida. É um vulcão em escudo dormente, possivelmente extinto, com 3230 m de altitude. Foi escalado pela primeira vez em 1959 por uma equipe de montanhistas neo-zelandeses.

O monte Terror encontra-se, junto com o monte Érebo, na extremidade dos Montes Transantárticos. É provável que exista um ponto quente nessa zona que tenha originado ambos os vulcões.

Pico Vermelho (Ribeira Grande)

O Pico Vermelho (Ribeira Grande) é uma elevação portuguesa localizada no concelho da Ribeira Grande, na ilha de São Miguel, arquipélago dos Açores.

Este acidente geológico tem o seu ponto mais elevado a 269 metros de altitude acima do nível do mar. Encontra-se nas proximidades da zona termal das Caldeiras, e da vasta área florestal do Monumento Natural e Regional da Caldeira Velha.

As carateristias geológicas que se encontram subjacentes a esta formação permitem a acomulação abundante de águas, águas essas que pela sua qualidade de quantidade são usadas para o abastecimento público de várias localidades, nomeadamente: Rabo de Peixe, Pico da Pedra e Calhetas.

Igualmente devido as especificas carateristias deste local geologicamente um ponto quente, foi aqui construída pela multinacional israelita Ormat uma central geotérmica, a Central Geotérmica do Pico Vermelho.

Piton des Neiges

Piton des Neiges (tradução do francês significaria Pico das Neves) é um vulcão em escudo na parte central da ilha de Reunião, departamento ultramarino da França. Atinge no topo os 3069 m de altitude. Fica a cerca de 800 km a leste de Madagáscar.

O Piton des Neiges é o ponto mais alto de Reunião, e também de todas as ilhas do oceano Índico. Foi formado pelo ponto quente de Reunião emerso do mar há cerca de dois milhões de anos. Hoje está muito erodido, e inativo pelo menos há 20000 anos.

É rodeado por grandes vales de cratera, chamados Cirques. O Piton des Neiges forma a parte noroeste de Reunião, sendo responsável por dois terços da sua área, enquanto o muito ativo Piton de la Fournaise formou o resto da ilha. Apesar do nome, praticamente não neva no topo.

Placa Somali

A placa somali é uma placa tectónica que se está a formar à medida que a placa africana se está a partir ao longo do Rifte da África Oriental. A porção da placa africana situada do outro lado do rifte é por vezes chamada de placa da Núbia. Dado que o fissuramento está, em termos geológicos, apenas no seu início, estas duas parte da placa africana são geralmente vistas como protoplacas em lugar de placas totalmente definidas e independentes.[carece de fontes?]A placa somali é limitada a oeste pelo Rifte da África Oriental, que se estende para sul pela África Oriental desde o ponto triplo na depressão de Afar, e uma continuação submarina do rifte que se estende para sul ao largo da costa. A fronteira norte é a dorsal de Aden ao longo da costa da Arábia Saudita. A fronteira leste é a dorsal central indiana, a porção norte da qual é também conhecida como dorsal de Carlsberg. O limite sul é a dorsal indiana do sudoeste. A datação de vulcanismo nas ilhas Comoros e de vulcões do norte de Madagáscar, indica uma velocidade de deslocamento para este sobre um ponto quente de aproximadamente 45 mm/ano.

Planalto de Kerguelen

O planalto de Kerguelen é uma meseta submarina de origem vulcânica, situada no oceano Índico meridional. Fica a cerca de 3000 km a sudoeste da Austrália, estendendo-se ao longo de 2200 km na direção noroeste-sudeste, com mais de um milhão de quilómetros quadrados.A origem desta meseta deve-se ao ponto quente de Kerguelen, que terá começado a funcionar após a rotura de Gondwana há 130 milhões de anos. O planalto emerge sobre a superfície oceânica e forma as ilhas Kerguelen e as ilhas Heard e McDonald, onde há atividade vulcânica de forma intermitente.

Rifte

Rifte (em inglês: rift), em geologia, é a designação dada às zonas do globo, onde a crosta terrestre e a litosfera associada estão a sofrer uma fratura acompanhada por um afastamento em direções opostas de porções vizinhas da superfície terrestre..

Em resultado do afastamento das porções vizinhas da crosta, formam-se zonas de abatimento tendencialmente lineares, separadas por escarpas de falha, ou seja zonas de graben. Estas estruturas podem ter maior ou menor complexidade, mas, em geral, prolongam-se por muitas centenas ou mesmo por muitos milhares de quilómetros.

O alargamento da crosta cria condições propícias para a subida de magma, pelo que o eixo das zonas de rifte está em geral associado a linhas de vulcanismo ativo onde as erupções geram nova crosta para compensar o afastamento. O Vale do Rifte, que percorre cerca de 5000 km no Médio Oriente e no nordeste e centro da África, é o melhor exemplo de um rifte emerso.

Apesar das semelhanças estruturais, os vales de rifte são distintos das cristas médias oceânicas, onde nova crusta oceânica é continuamente formada para compensar o afastamento de placas tectónicas divergentes. Contudo, se o processo de formação do rifte prosseguir por tempo suficiente, criando uma ruptura que leve à formação de distintas placas tectónicas, pode originar uma crista capaz de gerar um novo oceano (tal parece ser a origem do Oceano Atlântico).

Quando a formação de riftes convergentes ocorre sobre um ponto quente, como é o caso da região dos Açores, existe geralmente a tendência de o processo continuar até que se desenvolva uma zona de ascensão de magma suficientemente poderosa para permitir a formação de uma crista oceânica, iniciando o afastamento das placas tectónicas vizinhas e a formação de crosta oceânica.

Exemplos de riftes:

O Grande Vale do Rifte, em África;

O Mar Vermelho

O Lago Baikal, cujo fundo constitui o mais profundo rifte da Terra;

O rifte do Rio Grande, no SW dos Estados Unidos;

O Golfo de Corinto, na Grécia;

O Rifte da Terceira, nos Açores.

Televisão na China

O setor de televisão na China inclui produção, transmissão e cobertura de programas de alta tecnologia. A China Central Television é a maior e mais poderosa estação de televisão nacional da China. Em 1987, dois terços das pessoas na China tinham acesso à televisão, enquanto hoje, mais de 3.000 canais estão disponíveis no país.

Os drama chinês também provou ser um ponto quente na cultura popular de hoje (semelhante ao K-dramas), com dramas de televisão chineses bem recebidos, como Princess Agents, Nirvana in Fire, The Journey of Flower, Eternal Love, The Princess Weiyoung, Love O2O, The Legend of Mi Yue, Scarlet Heart, General and I, e ganhando bilhões de visualizações entre os sites de vídeo mais populares da China, iQiyi, Youku, Tencent Video e Le Video. Alguns dramas têm sido tão populares e amplamente aclamados que eles foram refeitos em diferentes idiomas, assim como se desmembraram com uma continuação.

Programas de variedade chineses também se tornou amplamente bem sucedida como Happy Camp, Super Girl, Sing! China, ganhando reconhecimento mundial, milhões a bilhões de espectadores e inúmeros prêmios.

Vulcão em escudo

Um vulcão em escudo é um tipo de vulcão habitualmente constituído quase inteiramente por fluxos de lava fluidos. Os vulcões em escudo são designados deste modo porque a sua forma lembra a de um escudo deitado. A forma é causada pela escorrência da lava altamente fluida durante as erupções, que percorre maiores distâncias do que a lava eruptida a partir de um estratovulão. Os vulcões em escudo têm magma de baixa viscosidade, o que lhes permite ter lava máfica.

Noutras línguas

This page is based on a Wikipedia article written by authors (here).
Text is available under the CC BY-SA 3.0 license; additional terms may apply.
Images, videos and audio are available under their respective licenses.