Marinha Real Australiana

A Marinha Real Australiana (RAN) é o ramo naval das Forças Armadas da Austrália. Após a Federação da Austrália, em 1901, os navios e os recursos das marinhas coloniais separadas foram integrados em uma força nacional: a Commonwealth das Forças Navais. Originalmente destinada à defesa local, a Marinha recebeu o título de "Royal Australian Navy" em 1911, e tornou-se cada vez mais responsável pela defesa da região.[1]

A Marinha Real Britânica continuou a apoiar a RAN e a fornecer capacidade de defesa adicional de águas azuis no Pacífico até os primeiros anos da Segunda Guerra Mundial. Então, a expansão rápida da guerra viu a aquisição de embarcações de grande superfície e a construção de navios de guerra muito menores. Na década seguinte à guerra, a RAN adquiriu um pequeno número de porta-aviões, o último destes pagando em 1982.

Hoje, a RAN é uma das maiores e mais sofisticadas forças navais no Círculo do Pacífico, com uma presença significativa no Oceano Índico e com operações em todo o mundo, em apoio a campanhas militares e missões de paz. O chefe atual da Marinha é o vice-almirante Ray Griggs.

Marinha Real da Austrália
Naval Ensign of Australia

Insígnia Naval da Marinha Real Australiana
País  Austrália
Corporação Marinha
Subordinação Forças Armadas da Austrália
Sigla RAN
Criação 1911
Aniversários 10 de Julho
Logística
Efetivo 14 215 militares
Navios comissionados 48
Comando
Comandante Vice-almirante Tim Barrett
US Navy 100624-N-6854D-014 HMAS Newcastle (FFG 06) pulls into Joint Base Pearl Harbor-Hickam, Hawaii, to support RIMPAC 2010
Uma fragata da marinha australiana.

Referências

  1. History | Royal Australian Navy. Página acessada em 1 de junho de 2013.

Ligações externas

Austrália na Segunda Guerra Mundial

A Austrália entrou na Segunda Guerra Mundial em 3 de setembro de 1939, após a aceitação do governo da declaração de guerra do Reino Unido à Alemanha Nazista. Após os ataques contra os países aliados, o governo australiano declarou mais tarde a guerra contra outros membros das potências do Eixo, incluindo o Reino da Itália em 11 de junho de 1940 e o Império do Japão em 8 de dezembro de 1941. No final da guerra, quase um milhão de australianos serviram nas forças armadas, cujas unidades militares lutaram principalmente na Frente Europeia, Campanha Norte-Africana e na Frente do Sudoeste do Pacífico. Além disso, a Austrália sofreu um ataque direto pela primeira vez em sua história pós-colonial. Suas baixas de ação inimiga durante a guerra foram de 27.073 mortos e 23.477 feridos.As unidades do Exército Australiano foram gradualmente retiradas do Mediterrâneo e da Europa após o início da guerra com o Japão. No entanto, as unidades da Real Força Aérea Australiana e a Marinha Real Australiana continuaram a participar na guerra contra a Alemanha e a Itália. De 1942 até o início de 1944, as forças australianas desempenharam um papel fundamental na Guerra do Pacífico, compondo a maioria das forças aliadas durante grande parte dos combates na Frente do Sudoeste do Pacífico. Enquanto as forças armadas foram largamente relegadas a frentes de subsidiárias a partir de meados de 1944, continuaram as operações ofensivas contra os japoneses até o fim da guerra.

A Segunda Guerra Mundial contribuiu para grandes mudanças na economia do país, militar e política externa. A guerra acelerou o processo de industrialização, levou ao desenvolvimento de um exército em tempo de paz maior e deu início ao processo com o qual a Austrália mudou o foco de sua política externa da Grã-Bretanha para os Estados Unidos. Os efeitos finais da guerra também contribuíram para o desenvolvimento de uma sociedade australiana mais diversificada e cosmopolita.

Forças Armadas da Austrália

As Forças Armadas da Austrália, mais conhecidas como Forças de Defesa Australianas (ADF) são uma organização militar responsável pela defesa da Austrália. Esta consiste da Marinha Real Australiana (RAN), do Exército Australiano, da Força Aérea Real Australiana (RAAF) e de um número de unidades "triplo-serviço". A ADF tem uma força ligeiramente inferior a 81 mil militares em tempo integral e reservistas ativos, e é apoiada pelo Departamento de Defesa e várias outras agências civis.Durante as primeiras décadas do século 20, o Governo Australiano estabeleceu as forças armadas como organizações separadas. Cada um dos serviços tinha uma cadeia de comando independente. Em 1976, o governo fez uma mudança estratégica e estabeleceu a ADF, a fim de colocar os ramos militares em um único quartel general. Com o tempo, o grau de integração aumentou e a logística, o quartel general e as instituições de formação têm suplantado muitos serviços simples de estabelecimentos.

A ADF é tecnologicamente sofisticada, mas relativamente pequena. Apesar de contar com 59.023 militares da ativa em tempo integral, 21.850 reservistas ativos e 22.166 reservistas em espera, tornando-se a maior força militar na Oceania, é ainda menor do que a maioria das forças armadas da Ásia. No entanto, a ADF é suportada por um orçamento significativo para os padrões em todo o mundo e é capaz de mobilizar forças em diversos locais fora da Austrália.

HMAS Melbourne (R21)

O HMAS Melbourne, foi um porta-aviões leve da Classe Majestic da Marinha Real Australiana. Operado de 1955 até 1982, participou do Confronto Indonésia-Malásia de 1965-1966.

Ilha Sandy

A Ilha Sandy (por vezes escrito em francês: "Île de Sable") é uma ilha fantasma que supostamente seria localizada entre a Austrália e Nova Caledônia no Mar de Coral. A ilha aparece em alguns mapas do mundo, incluindo o Google Maps, mesmo que ela tenha sido retirada dos mapas oficiais em 1979.No Google Earth, na visão padrão, a área da ilha é coberta por pixels pretos, mas característica do programa imagens históricas que tem um satélite com uma imagem da porção sul tomada pelo DigitalGlobe em 3 de Março 2009 apresentando um mar escuro. A ilha já foi removida em 1999 do Times Atlas of the World, Edição 10, como foi observado por entusiastas de rádio amadores em um DX-pedition em abril de 2000, mas todos os mapas foram posteriormente atualizados. A ilha aparece em outras edições do Atlas of the World, lá chamada "Île de Sable", nome francês para "Sandy Island".A redescoberta da ausência da ilha foi feita em 2012 por cientistas australianos a bordo do Surveyor RV Sul que estavam estudando placas tectônicas no Mar de Coral. Durante a viagem, eles notaram uma discrepância entre diferentes mapas e decidiu-se navegar para o local para investigar a suposta ilha. Nenhuma ilha foi encontrada e as cartas de navegação mostraram uma profundidade de 1.400 metros (4.300 pés).O Serviço Hidrográfico Australiano, um departamento da Marinha Real Australiana, disse que o mapeamento de uma ilha como uma armadilha para violadores de direitos autorais - uma prática em cartografia para colocar uma "armadilha fictícia" no mapa com o propósito de "enganar" violadores de direitos autorais em potencial - não tem sido prática comum em cartas náuticas, e sua presença pode ser simplesmente devida a erro humano. Se a ilha

realmente existiu, teria sido dentro de águas territoriais francesas.Segundo Shaun Higgins, um pesquisador do Museu de Auckland que liderou uma investigação, tudo não passa de uma confusão causada pelos dados coletados por um navio baleeiro, em 1876. Para ele, o registro dessa “ilha” se deve a anotações feitas pelo capitão do baleeiro Velocity, como forma de alertar futuros navegadores sobre os perigos de ilhotas ou quebra-mares existentes no local.

Jervis Bay Village

Jervis Bay Village é uma vila no Território da Baía de Jervis. A base HMAS Creswell da Marinha Real Australiana situa-se nessa localidade. Além da base da marinha há uma comunidade aborígene. É a maior localidade do Território da Baía de Jervis com 250 habitantes (seguida de Wreck Bay Village com 215 habitantes).

Kevin Scarce

Kevin John Scarce (4 de maio de 1952) é um oficial aposentado da Marinha Real Australiana e o atual governador da Austrália Meridional. Foi eleito em 8 de agosto de 2007.

Lista de classes de fragatas por país

A Lista de fragatas por país contém todas as classes de fragatas, organizadas por seu país de origem.

Lista de navios comissionados em 1948

A seguir está uma lista com os navios comissionados no ano de 1948.

Lista de navios comissionados em 1952

A seguir está uma lista com os navios comissionados no ano de 1952.

== Referências ==

Lista de navios comissionados em 1955

A seguir está uma lista com os navios comissionados no ano de 1955.

Lista de navios comissionados em 1968

A seguir está uma lista com os navios comissionados no ano de 1968.

Lista de navios comissionados em 1969

A seguir está uma lista com os navios comissionados no ano de 1969.

Lista de navios comissionados em 1971

A seguir está uma lista com os navios comissionados no ano de 1971.

McDonnell Douglas A-4G

O McDonnell Douglas A-4G Skyhawk é uma variante do avião de ataque Douglas A-4 Skyhawk desenvolvido pela Marinha Real Australiana (RAN). O modelo foi baseado na variante A-4F do Skyhawk e foi equipado com aviônicos ligeiramente diferentes, bem como a capacidade de operar mísseis ar-ar AIM-9 Sidewinder. A RAN recebeu dez A-4Gs em 1967 e outros dez em 1971, e operou o tipo de 1967 a 1984.

No serviço australiano, os A-4G formaram parte do grupo aéreo do porta-aviões HMAS Melbourne, e foram usados ​​principalmente para fornecer defesa aérea para a frota. Eles participaram de exercícios em toda a região do Pacífico e também apoiaram a formação de navios de guerra da RAN, bem como outros elementos do exército australiano. Os Skyhawks não viram combate, e um planejado desdobramento de alguns de seus pilotos para lutar na Guerra do Vietnã; foi cancelado antes que ocorresse. Dez A-4Gs foram destruídos como resultado de falhas de equipamento e acidentes em combate durante o serviço do tipo com a Marinha, causando a morte de dois pilotos.

A RAN não tinha necessidade da maior parte de seus aviões de asa fixa depois que Melbourne foi desativada em 1982, e os dez A-4Gs restantes foram vendidos à Força Aérea Real da Nova Zelândia (RNZAF) em 1984, onde foram inicialmente utilizados para fins de treinamento. Entre 1986 e 1991 essas aeronaves foram atualizadas e re-designadas A-4Ks. Dois dos antigos A-4G caíram em 2001, resultando na morte de um piloto. Os Skyhawks da RNZAF foram aposentados em 2001. Oito A-4Ks, incluindo seis ex-A-4Gs, foram vendidos para Draken International em 2012 e estão em serviço de apoio aos exercícios de treinamento militar dos Estados Unidos.

NAeL Minas Gerais (A-11)

O NAeL Minas Gerais (A-11) foi um porta-aviões (Navio-Aeródromo Ligeiro) da Marinha do Brasil (1960-2001). Da Classe Colossus, serviu anteriormente como o HMS Vengeance (R71) na Marinha Real Britânica (1945-1952) e depois na Marinha Real Australiana como o HMAS Vengeance (1952-1955) antes de ser vendido ao governo brasileiro em 1956.

Porta-helicóptero

Porta-helicóptero é um termo relativo a um porta-aviões cujo objetivo principal é transportar helicópteros. Às vezes o termo é usado também para navios de assalto anfíbio.

RAN

RAN é uma abreviatura e pode referir-se a:

Regional Area Network, rede de computadores de uma região geográfica específica;

Marinha Real Australiana (em inglês: Royal Australian Navy), ramo naval das Forças Armadas da Austrália;

Academia de Ciências da Rússia (em inglês: Russian Academy of Sciences), academia nacional de ciências da Rússia

Roy Dowling

Vice-Almirante Sir Roy Russell Dowling, KCVO, KBE, CB, DSO (28 de Maio de 1901 – 15 de abril de 1969) foi um comandante sênior na Marinha Real Australiana (RAN). Ele serviu como Chefe Naval de Pessoal, a mais alta patente na RAN, de 1955 até 1959, e como Presidente do conselho dos Caciques do Comité Pessoal (COSC), precursor do papel de Chefe da Força de Defesa australiana, de 1959 até 1961.

USS Frank E. Evans (DD-754)

O USS Frank E. Evans (DD-754) foi um Destroyer norte-americano que serviu durante a Segunda Guerra Mundial. Afundou após colidir com o porta-aviões da Marinha Real Australiana HMAS Melbourne (R21) no dia 3 de Junho de 1969, causando a morte de 74 tripulantes.

Noutras línguas

This page is based on a Wikipedia article written by authors (here).
Text is available under the CC BY-SA 3.0 license; additional terms may apply.
Images, videos and audio are available under their respective licenses.