Mês

Mês é o tempo aproximado necessário à lua para efetuar uma volta ao redor da terra. Em anos normais, um mês tem em média 30 dias e 10 horas (730 h), e, em um ano bissexto, um mês tem em média 30 dias e 12 horas (732 h). Um mês corresponde a 1/12 de um ano.

História

A marcação do tempo, nas sociedades humanas desde tempos imemoriais, baseou-se em duas unidades: na óbvia alternância entre dia e noite e na quase tão óbvia distinção entre a lua cheia e a lua nova. A alternância entre verão e inverno, ou entre estações secas e úmidas, só seria cuidadosamente determinada após a invenção da agricultura. Várias sociedades atuais, que vivem da caça e da pesca, não tem noções de tempo para além do mês e da estação, e consideram que períodos de cinco ou de cinquenta anos são designados pelas mesmas palavras, "um tempo longo".[1]

Todas culturas que desenvolveram a agricultura concluíram que o retorno das estações se dava após doze ou treze lunações, mesmo antes de conseguirem computar corretamente a duração do ano trópico. Os antigos gregos e romanos, e o Islão,[Nota 1] calculam o tempo pelos movimentos da lua.[1]

Vários povos adotaram o calendário luni-solar, em que cada mês é baseado nas fases da lua (mês lunar) e o ano é baseado nas estações (ano trópico).[Nota 2] Este calendário foi usado pelos gregos, romanos, chineses, tártaros, japoneses e judeus.[1]

O calendário romano, atribuído a Rômulo, tinha dez meses, de março a dezembro, com um total de 304 dias. Numa Pompílio reformou este calendário, acrescentando dois meses, Janeiro no início e Fevereiro no fim, com meses lunares de 29 ou 31 dias, sendo necessárias várias correções, até que Fevereiro passou a ser o segundo mês.[1]

Júlio César, diante de um erro acumulado, que fazia com que o início do ano, que deveria ocorrer no inverno, estava ocorrendo no outono, aplicou uma correção, de modo que 47 a.C., ou o ano 707 A.U.C., tivesse 445 dias. Para evitar erros futuros, as durações dos meses foram fixadas, e foi definida a correção do ano bissexto. O primeiro ano deste calendário novo foi 46 a.C., um ano bissexto.[1]

O sistema proposto por César continuou sendo usado após seu assassinato, porém de forma errada, pois, em vez de um ano bissexto a cada quatro anos, foi adotado um ano bissexto a cada três anos. Este erro foi descoberto trinta e sete anos depois, e o calendário só voltou a seguir as regras atuais a partir de 7 a.C., um ano bissexto.[1]

Quantidade de dias

A quantidade de dias dos meses do ano varia entre 28 e 31, conforme o Calendário Gregoriano:

Ordem dos meses Mês Dias
1 Janeiro tem 31 dias
2 Fevereiro tem 28 dias (29 dias nos anos bissextos)
3 Março tem 31 dias
4 Abril tem 30 dias
5 Maio tem 31 dias
6 Junho tem 30 dias
7 Julho tem 31 dias
8 Agosto tem 31 dias
9 Setembro tem 30 dias
10 Outubro tem 31 dias
11 Novembro tem 30 dias
12 Dezembro tem 31 dias

Nomes dos Meses

O calendário que usamos foi uma evolução do antigo calendário romano e os nomes utilizados vieram dos deuses.

Janeiro: O nome vem do deus romano Jano com duas faces que era um "porteiro celestial". A palavra ianua significa porta e o mês de janeiro representa justamente a entrada do ano.

Fevereiro: O termo vem da palavra februum que significa purificar; neste mês acontecia um ritual de purificação romana.

Março: O nome vem do deus da guerra Marte; neste mês começa a primavera no hemisfério norte, que é uma ótima época para iniciar campanhas militares.

Abril: Neste mês existem duas versões aceites. Uma delas é que o nome do mês vem de aperire que significa abrir, que lembraria o desabrochar das flores na primavera. Na outra o nome vem de aprilis, uma comemoração feita para a deusa Vênus.

Maio: Era uma homenagem a duas deusas, Maia e Flora, que acreditavam serem responsáveis pela primavera e o crescimento das flores.

Junho: Era uma homenagem a deusa Juno que era protetora da família e dos partos. Também pode ter derivado do clã romano junius.

Julho: No calendário romano, o primeiro, esse mês era chamado quintilis, porque era o quinto mês. Séculos depois foi rebatizado em homenagem ao imperador Julius Caesar que tinha sido assassinado.

Agosto: No primeiro calendário ele se chamava sextilis, porque era o sexto mês. Também foi rebatizado em homenagem ao imperador Augusto.

Setembro a Dezembro Setembro vem da palavra septem, que significa sete, outubro vem de octo, que significa oito e assim por diante. Hoje o nome conserva a mesma posição que o mês tinha no calendário romano.

Grafias na língua portuguesa

Há duas formas de escrever os meses na língua portuguesa: tradicionalmente, no Brasil a primeira letra é minúscula e em Portugal e nos países africanos de expressão portuguesa era maiúscula. Com a adoção do Acordo Ortográfico, passou-se a grafar com letra minúscula em todos os países lusófonos.

Por exemplo:

  • Brasil: fevereiro
  • Portugal e países africanos: Fevereiro (AO:1990: fevereiro)

Nomes em diversas línguas

Na maioria das línguas, principalmente nas europeias, os meses apresentam nomes similares aos do Português, sendo facilmente identificáveis mesmo por pessoas exclusivamente lusófonas. As grafias apresentam similaridades, os sons se assemelham, mesmo quando as línguas usam escritas diferentes do Alfabeto latino.[2]

Isso ocorre na totalidade das línguas Latinas, das Germânicas, em parte da Eslavas, em línguas da África e da Ásia influenciadas por colonização européia; em outras como o Húngaro, o Estoniano, o Letão, o Grego; nas línguas do Cáucaso (Armênio, Georgiano, Azeri), algumas Línguas crioulas do Terceiro Mundo, as Línguas artificiais (ex. Esperanto).

São assim também as modernas formas de denominar os meses do Calendário Gregoriano em Hebraico, em Hindi e no Árabe do Egito, Sudão, Iêmem, Somália, embora cumpra-se lembrar que há os calendários Hebraico e Árabe-Islâmico com nomenclatura própria para o ano de 354 dias (6 meses de 30 dias, 6 de 29 dias).

Porém, aqui se apresentarão, algumas línguas nas quais os nomes dos meses são diversas desse padrão Ocidental e Cristão, tendo denominações próprias:[3]

Mês Lunar

Mês lunar é o mês baseado no ciclo da Lua. Um mês lunar corresponde em média a 29 dias, 12 horas, 44 minutos e 2,9 segundos. Esse tipo de mês também é conhecido como lunação.

Notas e referências

Notas

  1. No livro de Prinsep e Prinsep, o Islão é citado, pejorativamente, como "algumas nações menos civilizadas".
  2. Ano trópico é o termo mais preciso. Prinsep e Prinsep usam a expressão ambígua ano solar.

Referências

  1. a b c d e f James Prinsep e Henry Thoby Prinsep, Essays on Indian antiquities, historic, numismatic, and palæographic, of the late James Prinsep: to which are added his useful tables, illustrative of Indian history, chronology, modern coinages, weights, measures, etc (1858), Eras of Ancient and Modern Times, Indian Chronology, Eras dependent on the solar year, ra1-p.132 [google books]
  2. «Omniglot». Consultado em 13 de outubro de 2010. Arquivado do original em 5 de novembro de 2010
  3. English Word Info

Ligações externas

Abril

Abril é o quarto mês do calendário gregoriano e tem 30 dias. O seu nome deriva do Latim Aprilis, que significa abrir, numa referência à germinação das culturas. Outra hipótese sugere que Abril seja derivado de Aprus, o nome etrusco de Vénus, deusa do amor e da beleza. Outra versão é que se relaciona com Afrodite, nome grego da deusa Vênus, que teria nascido de uma espuma do mar que, em grego antigo, se dizia "abril".

A Igreja dedica o mês de Abril á Eucaristia e ao Divino Espirito Santo.

Agosto

Agosto, do latim augustus, é o oitavo mês do calendário gregoriano. É assim chamado por decreto em honra do imperador César Augusto. Antes dessa mudança, agosto era denominado Sextilis ou Sextil, visto que era o sexto mês no calendário de Rômulo. É dito com frequencia que o mês possui 31 dias porque César Augusto queria o mesmo número de dias do seu antecessor, porém, agosto (Sextilis) tem 31 dias desde a reforma feita por Júlio César. Esta teoria falsa foi inventada por Sacrobosco no século XIII e há bastante tempo que foi contestada.

Entre os Guanches das Ilhas Canárias, o mês de agosto recebeu em nome de Beñesmer ou Beñesmen, que também foi o festival de colheita realizado este mês.A Igreja dedica o mês de Agosto ás Vocações e ao Santíssimo Sacramento.

== Referências ==

Box Office Mojo

Box Office Mojo é um site estadunidense que mostra a evolução das receitas das bilheterias de uma forma sistemática. Brandon Gray começou o site em agosto de 1998 e, atualmente, o site recebe mais de um milhão de visitantes por mês. Os fóruns são um lugar popular para "fanáticos" do cinema e é o lar de vários jogos populares (como o "Fantasy Box Office" e "Create A Year of Movies"). A atualização é feita quase diariamente. É possível observar a tendência geral de um filme pela "trajetória das receitas". Em julho de 2008, o site foi comprado pela Amazon.com através da sua subsidiária da Internet Movie Database.

Calendário gregoriano

O calendário gregoriano é um calendário de origem europeia, utilizado oficialmente pela maioria dos países.

Foi promulgado pelo Papa Gregório XIII (1502–1585) a 24 de Fevereiro do ano 1582 pela bula Inter gravissimas em substituição do calendário juliano implantado pelo líder romano Júlio César (100–44 a.C.) em 46 a.C..[carece de fontes?]Como convenção e por praticidade, o calendário gregoriano é adotado para demarcar o ano civil no mundo inteiro, facilitando o relacionamento entre as nações. Essa unificação decorre do fato de a Europa ter, historicamente, exportado seus padrões para o resto do globo.

Calendário judaico

Calendário judaico ou hebraico (do hebraico: הלוח העברי) é o calendário utilizado dentro do judaísmo. O povo de Israel utiliza o calendário lunissolar há mais de 3 milênios para determinação das datas de aniversário, falecimento, casamento, festividades, serviços religiosos e outros eventos da comunidade.

O calendário hebraico é um calendário do tipo lunissolar cujos meses são baseados nos ciclos da Lua, enquanto o ano é adaptado regularmente de acordo com o ciclo solar. Por isso ele é composto alternadamente por anos de 12 ou 13 meses.

Calendário juliano

O calendário juliano foi criado pelo líder romano Júlio César no ano 46 a.C., na qualidade de pontífice máximo da República Romana, a quem competia a tarefa de decidir quando se introduziam os meses intercalares no calendário romano tradicional, um calendário de tipo lunissolar.

A reforma do calendário juliano entrou em vigor no dia 1 de janeiro do ano 45 a.C., tornando o calendário romano num calendário solar, alinhado pelas estações do ano, à semelhança do calendário egípcio já então em vigor. As principais características desta foram:

Fixar o calendário anual em 365 dias que se designa ano comum.

Fixar o calendário anual em 12 meses, abandonando completamente o sistema de meses intercalares, e distribuindo os dias de diferença entre o valor médio do calendário tradicional e o novo pelos vários meses do ano, acrescentando-os em 1 ou 2 dias,

Acrescentar 1 dia de 4 em 4 anos (4 x 6 horas = 24 horas, 1 dia), resultante da diferença de aproximadamente 6 horas entre os 365 dias do novo calendário e o valor médio do ano trópico de 365 dias e 6 horas, ou 365 dias e 1/4 ou 365,25 dias. O dia a intercalar ocorria no 6º (sexto) dia (VI) antes das calendas de março ou 24 de fevereiro no nosso calendário. O dia repetido dizia-se o dia bissexto antes das calendas de março, o que passou a identificar quer o dia assim acrescentado (dia bissexto) quer o ano em que se fazia essa intercalação (ano bissexto). Quando se abandonou a forma de contagem regressiva típica do calendário romano e se passou a usar a contagem contínua dos dias do mês, do primeiro ao último dia, o dia a acrescentar passou a ser intercalado depois do último dia do mês de fevereiro, antes do mês de março, como ainda hoje usamos.

O primeiro dia do ano passa a ser o dia das calendas de janeiro ou 1 de janeiro no nosso calendário, 8 dias depois do solstício de inverno, calculado para coincidir com o 8º dia (VIII) antes das calendas de janeiro ou 25 de dezembro no nosso calendário, tal como as outras estações deveriam igualmente ocorrer por volta do oitavo dia antes dos meses de abril, julho e outubro.O calendário juliano, com as modificações feitas por Augusto, continua sendo utilizado pelos cristãos ortodoxos em vários países. Nele, os anos bissextos ocorrem sempre de quatro em quatro anos, enquanto no calendário gregoriano não são bissextos os anos seculares exceto os múltiplos de 400, o que hoje acumula uma diferença para o calendário gregoriano de 13 dias. Assim, o dia 11 de outubro de 2019, no calendário juliano é dia 28 de setembro de 2019.

Classificação climática de Köppen-Geiger

Classificação climática de Köppen-Geiger, mais conhecida por classificação climática de Köppen, é o sistema de classificação global dos tipos climáticos mais utilizada em geografia, climatologia e ecologia. A classificação foi proposta em 1900 pelo climatologista russo Wladimir Köppen, tendo sido por ele aperfeiçoada em 1918, 1927 e 1936 com a publicação de novas versões, preparadas em colaboração com Rudolf Geiger (daí o nome Köppen-Geiger).

A classificação é baseada no pressuposto, com origem na fitossociologia e na ecologia, de que a vegetação natural de cada grande região da Terra é essencialmente uma expressão do clima nela prevalecente. Assim, as fronteiras entre regiões climáticas foram seleccionadas para corresponder, tanto quanto possível, às áreas de predominância de cada tipo de vegetação, razão pela qual a distribuição global dos tipos climáticos e a distribuição dos biomas apresenta elevada correlação.

Na determinação dos tipos climáticos de Köppen-Geiger são considerados a sazonalidade e os valores médios anuais e mensais da temperatura do ar e da precipitação. Cada grande tipo climático é denotado por um código, constituído por letras maiúsculas e minúsculas, cuja combinação denota os tipos e subtipos considerados. Contudo, a classificação de Köppen-Geiger, em certos casos não distingue entre regiões com biomas muito distintos, pelo que têm surgido classificações dela derivadas, a mais conhecida das quais é a classificação climática de Trewartha.

Clima tropical

Clima tropical é a designação dada aos climas das regiões intertropicais caracterizados por serem megatérmicos, com temperatura média do ar em todos os meses do ano superior a 18 °C, não terem estação invernosa e terem precipitação anual superior à evapotranspiração potencial anual.

Nas regiões de clima tropical a amplitude térmica diária é maior que a amplitude térmica anual da temperatura média, isto é, entre o mês mais quente e o mês mais frio do ano.

Os climas tropicais constituem a classe A da classificação climática de Köppen-Geiger, a mais conhecida em geografia e ecologia, sendo subdivididos da seguinte maneira:

Af (clima equatorial, tropical de floresta ou equatorial húmido) — A precipitação média mensal é superior a 60 mm em todos os meses do ano. Estes climas são típicos de regiões próximas do equador, não tendo estações do ano. As regiões que apresentam este clima tem em geral fraca variabilidade da precipitação ao longo do ano, mas podem ocorrer dois máximos de precipitação, coincidentes com o período em que a Zona de Convergência Intertropical e a célula de Hadley associada estão centradas sobre a região durante a sua oscilação latitudinal anual. São exemplos de cidades sitas em regiões com este clima: Singapura, Belém do Pará e Cabinda.

Aw/As (clima tropical de estações húmida e seca, tropical de savana, tropical com estação seca ou equatorial seco) — Grupo de climas megatérmicos com uma estação seca em que a precipitação média mensal é inferior a 60 mm em pelo menos um mês por ano. São exemplos de cidades sitas em regiões com este clima: Honolulu, Veracruz (no México) e Townsville (na Austrália). Estes climas subdividem-se em dois grupos:

Aw — a estação seca ocorre durante a época de Sol mais baixo e dias mais curtos (daí Aw, em que w é de winter, Inverno em inglês).

As — a estação seca ocorre durante a época de Sol mais alto e dias mais longos (daí As, em que s é de summer, Verão em inglês).

Am (clima tropical de monção ou clima monçónico) — Climas com pelo menos um mês com precipitação inferior a 60 mm, caracterizados pela existência de monções às quais se associa o período de máxima precipitação. Nalguns casos, a quase totalidade da precipitação anual está concentrada no período em que sopra a monção. Este tipo de clima, mais comum no sul da Ásia e leste da África, resulta dos ventos de monções que mudam de direcção de acordo com a estação do ano. São exemplos de cidades sitas em regiões com este clima: Manaus (Brasil), Bangalore ( Índia), Mombaça (Quénia) e Colombo (Sri Lanka).

Dezembro

Dezembro é o décimo segundo e último mês do ano no calendário gregoriano, tendo a duração de 31 dias. Deve o seu nome à palavra latina decem (dez), dado que era o décimo mês do calendário romano, que começava em março.

Em 21 de dezembro ou data próxima, o Sol atinge o ponto mais ao sul em sua trajetória pelo céu. É o solstício de inverno, começo do inverno no hemisfério norte e do verão no hemisfério sul.

A Igreja dedica o mês de Dezembro ao Advento e em devoção especial ao Imaculado Coração de Maria e ao Menino Jesus.

Epacta

Epacta palavra com origem na palavra grega ἐπακταί, com o sentido de dias acrescentados ou interpolados que deu origem à palavra latina epactae, -ārum, donde passou à língua portuguesa. É um conceito astronómico usado desde a antiguidade clássica para designar a idade da Lua em qualquer data ou dia do ano, ou também o número de dias que passaram desde a última Lua Nova ou novilúnio. Embora o seu uso original venha da astronomia, o seu uso alargou-se com os cristãos aos cálculos litúrgicos para melhorar o cálculo da data do domingo de Páscoa e ao Martirológio para indicar a idade da lua em dias em qualquer data do ano.

Fevereiro

Fevereiro é o segundo mês do ano, pelo calendário gregoriano. Tem a duração de 28 dias, a não ser em anos bissextos, em que é adicionado um dia a este mês. O nome fevereiro vem do latim februarius, inspirado em Fébruo, deus da morte e da purificação na mitologia etrusca. Originariamente, fevereiro possuía 29 dias e 30 como ano bissexto, mas por exigência do Imperador César Augusto, de Roma no ano 8 a.c, um de seus dias passou para o mês de agosto, para que o mesmo ficasse com 31 dias, semelhante a julho, mês batizado assim em homenagem a Júlio César.

A Igreja dedica o mês de Fevereiro á Sagrada Familia.

Janeiro

Janeiro é o primeiro mês do ano nos calendário juliano e gregoriano. É composto por 31 dias. O nome provém do latim Ianuarius, décimo-primeiro mês do calendário de Numa Pompílio, o qual era uma homenagem a Jano, deus do começo na mitologia romana, que tinha duas faces, uma olhando para trás, o passado e outra olhando para a frente, o futuro. Júlio César estabeleceu que o ano deveria começar na primeira lua nova após o solstício de inverno, que no hemisfério norte era a 21 de dezembro, a partir do ano 709 romano (45 a.C.). Nessa ocasião o início do ano ocorreu oito dias após o solstício. Posteriormente o início do ano foi alterado para onze dias após o solstício.

A Igreja dedica o mês de Janeiro ao Santíssimo nome de Jesus e á Paz Mundial.

Julho

Julho é o sétimo mês do ano no Calendário gregoriano, tendo a duração de 31 dias. Julho deve o seu nome ao Cônsul e ditador romano Júlio César (100-44 a.C) sendo antes chamado Quintilis em latim, dado que era o quinto mês do Calendário Romano, que começava em março. Também recebeu esse nome por ser o mês em que César nasceu.

Julho começa (astrologicamente) com o Sol no signo de Câncer e termina no signo de Leão.

Na roda do ano pagã julho termina Lughnasadh ou próximo dela no hemisfério norte e no Imbolc ou próximo dele no hemisfério sul.

Na Igreja Católica julho é dedicado ao Preciosíssimo Sangue de Jesus.

Lista de dias do ano

Esta é uma lista de todos os dias do ano. Caso você clique em um mês ou em algum dia deste mês, será aberta uma página com os respectivos eventos importantes da data ao longo dos anos.

Março

O mês de março (AO 1945: Março) é o terceiro mês do ano no calendário gregoriano e um dos sete meses com 31 dias.

Março inicia (astrologicamente, não sideral) com o sol no signo de Peixes e termina no signo de Áries. Astronomicamente falando, o sol inicia na constelação de Aquarius e termina na constelação de Pisces.

Março no Hemisfério norte é o sazonal equivalente a setembro no Hemisfério sul. Por volta de 21 de março, o Sol cruza o equador celestial rumo ao norte; é o equinócio de março, começo da primavera no Hemisfério Norte e do outono no Hemisfério Sul.

O nome "março" surgiu na Roma Antiga, quando era o primeiro mês do ano e chamava-se Martius, de Marte, o deus romano da guerra. Em Roma, onde o clima é mediterrânico, março é o primeiro mês da primavera, um evento lógico para se iniciar um novo ano, bem como para que se comece a temporada das campanhas militares.

O ano iniciava em 1 de março na Rússia até o final do século XV. O Reino da Grã-Bretanha e suas colônias continuaram a utilizar o dia 25 de março para iniciar o ano até 1752, no mesmo ano eles finalmente adotaram o calendário gregoriano. Muitas outras culturas e religiões ainda celebram até hoje o Ano-Novo em março.

Em finlandês, o mês é chamado de maaliskuu, que tem origem em maallinen kuu significando o mês terrestre. Isto é porque em maaliskuu a terra começa a aparecer sob a neve derretida.

Historicamente os nomes para março incluem o termo saxão Lenctmonat, dado ao equinócio. Os saxões também chamavam março de Rhed-monat ou Hreth-monath (devido a seu deus Rhedam/Hreth) e os anglos chamavam-no de Hyld-monath.

No calendário judaico, o fim de fevereiro e o começo de março é chamado de adar, o último mês, enquanto que o fim de março e começo de abril é chamado de nisã, e é considerado o primeiro mês.

A Igreja dedica o mês de Março em devoção especial á São José.

Novembro

Novembro é o décimo primeiro mês do ano no calendário gregoriano, tendo a duração de 30 dias. Novembro deve o seu nome à palavra latina novem (nove), dado que era o nono mês do calendário romano, que começava em março.

A Igreja dedica o mês de Novembro em oração ás pobres Almas do Purgatório.

Outubro

Outubro é o décimo mês do ano no calendário gregoriano, tendo a duração de 31 dias. Outubro deve o seu nome à palavra latina octo (oito), dado que era o oitavo mês do calendário romano, que começava em março.

Na religião católica, o mês de outubro é dedicado a Virgem do Rosário e anjos da guarda. “A Igreja reconheceu sempre uma eficácia particular ao Rosário, confiando-lhe, mediante a sua recitação comunitária e a sua prática constante, as causas mais difíceis”.Outubro começa sempre no mesmo dia da semana que o mês de janeiro, exceto quando o ano é bissexto.

Setembro

Setembro é o nono mês do ano no calendário gregoriano, tendo a duração de 30 dias. Setembro deve o seu nome à palavra latina septem (sete), dado que era o sétimo mês do calendário romano, que começava em Março. Na Grécia Antiga, Setembro chamava-se Boedromion.[carece de fontes?]Em 22 ou 23 de Setembro, o Sol cruza o equador celeste rumo ao sul; é o equinócio de setembro, começo do outono no Hemisfério Norte e da primavera no Hemisfério Sul.

A Igreja dedica o mês de Setembro á Biblia, ás Dores de Maria e aos Arcanjos.

Tempo Universal Coordenado

O Tempo Universal Coordenado, abreviadamente UTC (do inglês Coordinated Universal Time), também conhecido como tempo civil, é o fuso horário de referência a partir do qual se calculam todas as outras zonas horárias do mundo.

Corresponde à hora de inverno de Portugal Continental e Arquipélago da Madeira e à hora de verão do Arquipélago dos Açores.

O Parlamento Europeu decidiu que para todos os países da União Europeia seria uniformemente estabelecido que a hora de verão (em inglês: daylight savings time, DST) se inicia às 02:00 UTC do último domingo do mês de março, sendo acrescida de uma hora, e termina às 02:00 UTC do último domingo do mês de outubro.

Em relação ao horário de Brasília, o Tempo Universal Coordenado está três horas adiantado. Isto é:

20:35 em Brasília (sem horário de verão) → 23h35min no padrão UTC

Durante o horário de verão, que vigorava em algumas regiões do Brasil entre o terceiro domingo de outubro e o terceiro domingo de fevereiro, diminuía-se uma hora nessa diferença. Assim:

21:35 em Brasília → 23h35min no padrão UTC

O servidor da Wikipédia utiliza UTC como base para a sua lista de atualizações de artigos.

Meses e dias do ano
Janeiro
Fevereiro
Março
Abril
Maio
Junho
Julho
Agosto
Setembro
Outubro
Novembro
Dezembro

Noutras línguas

This page is based on a Wikipedia article written by authors (here).
Text is available under the CC BY-SA 3.0 license; additional terms may apply.
Images, videos and audio are available under their respective licenses.