Epístola aos Gálatas

A Epístola aos Gálatas, geralmente referida apenas como Gálatas, é o nono livro do Novo Testamento[1] da Bíblia, e provavelmente a primeira carta que o apóstolo Paulo redigiu aos cristãos. Era endereçada inicialmente às igrejas da Galácia[2][3], uma região que na época era habitada por um grupo étnico de origem celta, localizada na região central da atual Turquia.

Novo Testamento
Evangelhos

Mateus · Marcos · Lucas · João

Livro Histórico
Epístolas Universais
Livro Apocalíptico

Estrutura

A Tradução Brasileira da Bíblia organiza os capítulos da seguinte maneira:

Capítulo 1[4]

  • versículos 1-5 - Prefácio e saudação
  • versículos 6-17 - A inconstância dos gálatas. Paulo defende a sua autoridade
  • versículos 18-24 - Paulo visita Jerusalém, Síria e Cilícia

Capítulo 2[5]

  • versículos 1-10 - A autoridade de Paulo é reconhecida em Jerusalém
  • versículos 11-21 - Paulo repreende a Pedro. O homem justificado pela fé em Cristo Jesus

Capítulo 3[6]

  • versículos 1-14 - A Lei é impotente para salvar. O justo viverá da fé
  • versículos 15-22 - A Lei não pode invalidar as promessas
  • versículos 23-29 - A Lei é pedagogo para nos conduzir a Cristo

Capítulo 4[7]

  • versículos 1-7 - Não somos mais escravos, mas filhos
  • versículos 8-11 - Os ritos exteriores sem valor
  • versículos 12-20 - Paulo está perplexo
  • versículos 21-31 - Sara e Agar são uma alegoria das duas alianças

Capítulo 5[8]

  • versículos 1-12 - Na observância da Lei não há lugar para Cristo
  • versículos 13-15 - A liberdade é limitada pelo amor
  • versículos 16-26 - As obras da carne e o fruto do Espírito

Capítulo 6[9]

  • versículos 1-5 - Devemos mostrar simpatia para com os que caem
  • versículos 6-10 - O que o homem semear, isso também ceifará
  • versículos 11-16 - Paulo gloria-se na cruz de Cristo
  • versículos 17-18 - A bênção

Contexto Histórico

Há dúvidas com relação a data em que a epístola foi escrita. A hipótese mais comum é de que ela teria sido escrita no ano de 49 D.C., após o retorno do apóstolo Paulo de sua primeira viagem missionária, quando ele permaneceu por um tempo em Antioquia. Durante essa viagem Paulo passou pelas cidades de Antioquia da Pisídia, Icônio, Listra e Derbe, todas localizadas na província da Galácia.

Outra hipótese é de que ela poderia ter sido escrita por volta dos anos de 55-60 D.C., durante a terceira viagem missionária, logo após Paulo ter escrito a Epístola aos Romanos, devido a semelhança entre as duas cartas.

Conteúdo

Seu propósito era combater os "judaizantes" (judeus que afirmam que os gentios para serem salvos, tinham que ser circuncidados e guardar todas as leis de Moisés). A epístola é uma defesa da doutrina da justificação pela fé, contém advertências contra a reversão ao judaísmo e onde há a reivindicação do apostolado de Paulo.

Esta carta tem sido chamada de A carta magna da igreja por alguns escritores. Seu principal argumento é a defesa da liberdade cristã em oposição ao ensino dos judaizantes. Os mestres judaizantes insistiam que a observância das cerimônias da lei era parte essencial do plano de salvação.

Na parte pessoal é semelhante a II Coríntios, onde Paulo conta sua conversão, defende o seu apostolado, denuncia os falsos mestres etc. Já na parte doutrinária e prática é semelhante à Epístola aos Romanos – defende a justificação pela fé em Jesus Cristo, explica a função da lei e ensina sobre a santificação.

Referências

  1. «A Formação do Novo Testamento». Portal da Sociedade Bíblica do Brasil
  2. Pearlman, Myer (2006). Através da Bíblia. Livro por Livro 23 ed. São Paulo: Editora Vida. 439 páginas. ISBN 9788573671346
  3. Echegary, J. González et ali (2000). A Bíblia e seu contexto. 2 2 ed. São Paulo: Edições Ave Maria. 1133 páginas. ISBN 9788527603478
  4. «Gálatas 1, Tradução Brasileira da Bíblia». YouVersion - Life.Church
  5. «Gálatas 2, Tradução Brasileira da Bíblia». YouVersion - Life.Church
  6. «Gálatas 3, Tradução Brasileira da Bíblia». YouVersion - Life.Church
  7. «Gálatas 4, Tradução Brasileira da Bíblia». YouVersion - Life.Church
  8. «Gálatas 5, Tradução Brasileira da Bíblia». YouVersion - Life.Church
  9. «Gálatas 6, Tradução Brasileira da Bíblia». YouVersion - Life.Church

Ligações externas

Antioquia da Pisídia

Antioquia da Pisídia (em grego Ἀντιόχεια τῆς Πισιδίας) foi uma cidade da antiga região da Pisídia, bem na fronteira com a antiga região da Frígia. Situava-se numa região montanhosa, erigida numa altitude de cerca de 1.200 metros. As ruínas dessa cidade ficam perto de Yalvaç, na Turquia.

Campanha da Fraternidade de 2014

A Campanha da Fraternidade de 2014 é um evento organizado pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) com o tema Fraternidade e Tráfico Humano. O lema da campanha é um versículo da Epístola aos Gálatas: É para a liberdade que Cristo nos libertou (Gl 5, 1). A exemplo das campanhas anteriores, o evento teve início na quarta-feira de cinzas e se estendeu por todo o período da quaresma.

Cristianismo primitivo

Cristianismo primitivo é o nome dado a uma etapa da história do cristianismo de aproximadamente três séculos (I, II, III e parte do IV), que se inicia após a Ressurreição de Jesus (30 d.C.) e termina em 325 com a celebração do Primeiro Concílio de Niceia. É tipicamente dividido em Era Apostólica e o Período Ante-Niceno (desde a Era Apostólica até Niceia). A mensagem inicial do Evangelho foi espalhada oralmente, provavelmente em aramaico. Os livros do Novo Testamento Atos dos Apóstolos e Epístola aos Gálatas registam que a primeira comunidade da igreja cristã foi centrada em Jerusalém e tinha entre seus líderes Pedro, Tiago, João, e os apóstolos.Os primeiros cristãos, como descrito nos primeiros capítulos dos Atos dos Apóstolos, ou eram judeus ou eram gentios convertidos ao judaísmo, conhecidos pelos historiadores como judeus-cristãos. Tradicionalmente, o Cornélio, o Centurião, é considerado o primeiro gentio convertido. Paulo de Tarso, depois de sua conversão ao cristianismo, reivindicou o título de Apóstolo dos Gentios. A influência de Paulo no pensamento cristão se diz ser mais significativa do que qualquer outro autor do Novo Testamento. Até ao final do século I, o cristianismo começou a ser reconhecido interna e externamente como uma religião separada do judaísmo rabínico. Como mostrado pelas numerosas citações nos livros do Novo Testamento e outros escritos cristãos do século I, os primeiros cristãos tinham como regra de fé e prática os ensinamentos da Bíblia judaica - Antigo Testamento, e em geral eles liam ou a versão grega (Septuaginta) ou a tradução aramaica (Targum), boa parte da qual está escrita em forma narrativa onde "na história bíblica Deus é o protagonista, Satanás (pessoas ou poderes malévolos) é o antagonista, e o povo de Deus são os agonistas".

Foi nesse período que o cânon do Novo Testamento foi desenvolvido, com as cartas de Paulo, os quatro evangelhos, e várias outras obras dos seguidores de Jesus que também foram reconhecidas como Escrituras Sagradas. Das cartas de Paulo, especialmente a de Romanos, os cristãos criaram uma teologia baseada na obra expiatória de Cristo e na justificação pela fé. Essa teologia objetivava explicar todo o significado e os objetivos da Lei Mosaica. A relação de Paulo de Tarso e o Judaísmo é ainda hoje objeto de debates entre os cristãos protestantes, principalmente no que se refere a alteração do dia de descanso do sábado para o domingo. Os pais da igreja desenvolveram a teologia cristã e as bases para a doutrina da Trindade.

Logo no começo, os cristãos sofreram perseguições esporádicas, porque se recusavam a adorar os deuses romanos e homenagear o imperador como um ser divino. Eles são considerados mártires. No século IV, Constantino aliou-se politicamente com o cristianismo e terminou com a perseguição aos cristãos promulgando o Édito de Milão. O que começou como um movimento religioso dentro do judaísmo do primeiro século tornou-se, até ao final deste período, a religião oficial do Império Romano. Segundo Will Durant, a Igreja cristã prevaleceu sobre Paganismo porque oferecia uma doutrina muito mais atraente e porque os líderes da igreja se dirigiam as necessidades humanas melhor do que seus rivais. O Primeiro Concílio de Niceia marca o fim desta era e o início do período dos sete primeiros concílios ecumênicos (325 - 787). Foram três os historiadores que mais nos deixaram informações sobre esse período: Lucas, Hegésipo e Eusébio.

Cônia

Cônia (pt-BR) ou Cónia (pt) (em turco: Konya, Koniah, Konieh, Qunia; em turco otomano: قونیه), chamada historicamente de Icônio (pt-BR) ou Icónio (pt), em latim: Iconium; em grego: Ικόνιον; transl.: Ikónion , lit. imagem) é uma cidade da Turquia situada na região de Anatólia Central, capital da área metropolitana (em turco: büyükşehir) e da província de Cônia, a maior da Turquia em superfície. Em 2009, a população do conjunto dos distritos urbanos era de 1 003 373. A altitude média da cidade é 1 030 m.

Gálata

Gálata (em turco: Galata) é um bairro do distrito de Beyoğlu, em Istambul, na Turquia.[a] Encontra-se na margem norte do Corno de Ouro, separado da península histórica da antiga Constantinopla. Há várias pontes que cruzam o Corno de Ouro, entre elas a de Gálata. Gálata foi uma colônia da República de Gênova entre 1273 e 1453. A famosa Torre de Gálata foi construída pelos genoveses em 1348 na parte mais setentrional e elevada da cidadela.

Gálatas 1

Gálatas 1 é o primeiro capítulo da Epístola aos Gálatas, de autoria do Apóstolo Paulo, no Novo Testamento da Bíblia.

Gálatas 2

Gálatas 2 é o segundo capítulo da Epístola aos Gálatas, de autoria do Apóstolo Paulo, no Novo Testamento da Bíblia.

Gálatas 3

Gálatas 3 é o terceiro capítulo da Epístola aos Gálatas, de autoria do Apóstolo Paulo, no Novo Testamento da Bíblia.

Gálatas 4

Gálatas 4 é o quarto capítulo da Epístola aos Gálatas, de autoria do Apóstolo Paulo, no Novo Testamento da Bíblia.

Gálatas 5

Gálatas 5 é o quinto capítulo da Epístola aos Gálatas, de autoria do Apóstolo Paulo, no Novo Testamento da Bíblia.

Gálatas 6

Gálatas 6 é o sexto e último capítulo da Epístola aos Gálatas, de autoria do Apóstolo Paulo, no Novo Testamento da Bíblia.

Incidente em Antioquia

O Incidente em Antioquia é o título-padrão que os historiadores se utilizam para se referir à disputa, nos primeiros anos da Igreja, entre os apóstolos Paulo e Pedro, que ocorreu na cidade de Antioquia por volta do meio do século I d.C. A fonte primária para o incidente é a Epístola aos Gálatas, de Paulo (Gálatas 2:11-14). Desde F.C. Baur, os acadêmicos encontraram evidências de conflitos entre os líderes da igreja antiga. Como exemplo, James D. G. Dunn propôs que Pedro seria um "intermediário" entre as visões conflitantes de Paulo (mais próxima dos gentios) e Tiago, o Justo (mais próxima dos judeus).

João Marcos

João Marcos é uma personagem da Bíblia. Alguns o identificam com Marcos, o Evangelista e com Marcos, primo de Barnabé. Entretanto, não há evidências suficientes para se afirmar que se trate da mesma pessoa. Ele é um dos Setenta Discípulos.

Listra

Listra (em grego Λύστρα) era uma cidade localizada na antiga região da Licaônia e que passou a fazer parte do sul da província romana da Galácia, depois que esta província veio a ser ampliada, provavelmente na época de Augusto. Situava-se a cerca de 30 km a sul de Icônio, a atual Cônia. O sítio arqueológico da cidade ainda não foi escavado.

Papiro 51


O Papiro 51 (51) é um antigo papiro do Novo Testamento que contém fragmentos do primeiro capítulo da Epístola aos Gálatas (1:2-10.13.16-20).

Tiago, o Justo

São Tiago, o Justo (em hebraico: יעקב; em grego: Iάκωβος), morto em 62 d.C., também conhecido como Tiago de Jerusalém, Tiago Adelfo (de Tiago Adelphoteos) ou ainda Tiago, irmão do Senhor, foi uma importante figura nos primeiros anos do Cristianismo. A Enciclopédia Católica conclui que, baseado no relato de Hegésipo, Tiago, o Justo, é o mesmo que o apóstolo conhecido por Tiago Menor, e, em linha com a maior parte dos interpretes católicos, é também Tiago, filho de Alfeu e o Tiago, filho de Maria de Cleofas. Ele não deve ser confundido, porém, com o também apóstolo conhecido por Tiago Maior.

Tiago, o Justo, era o líder do movimento cristão em Jerusalém nas décadas seguintes à morte de Jesus, embora informação sobre a sua vida seja escassa e ambígua. Diversas fontes primitivas citam-no como sendo irmão de Jesus. Historiadores já interpretaram isto de diversas maneiras, como sendo irmão num "sentido espiritual", ou literalmente, significando que Tiago era mesmo um parente de Jesus - meio-irmão, irmão de criação, primo, outro parente e mesmo irmão de sangue. A mais antiga liturgia cristã sobrevivente, a chamada Liturgia de São Tiago , o chama de "irmão de Deus" (Adelphotheos).

Com exceção de um punhado de referências nos Evangelhos, as principais fontes de sua vida são os Atos dos Apóstolos, as Epístolas paulinas, o historiador Flávio Josefo e o autor cristão Hegésipo. Acredita-se que ele seja o autor da Epístola de Tiago no Novo Testamento, o primeiro dos Setenta Apóstolos e o autor do Decreto Apostólico de Atos 15. Na Epístola aos Gálatas, Paulo de Tarso o descreve em sua visita a Jerusalém, onde ele encontrou com Tiago e esteve com Simão Pedro.

Sua festa é junto com a do apóstolo Filipe.

Uncial 062

Uncial 062 (numeração de Gregory-Aland) é um manuscrito uncial grego do Novo Testamento. A paleografia data o codex para o século 5.

Virtude

Virtude (latim: virtus; em grego: ἀρετή) é uma qualidade moral particular, uma capacidade exclusivamente humana, ausente nos outros animais, os quais são regidos apenas pelo instinto. É uma disposição estável de praticar o bem; revela mais do que uma simples característica ou uma aptidão para uma determinada ação boa, trata-se de uma verdadeira inclinação. São todos os hábitos constantes que levam o homem para o bem, quer como indivíduo, quer como espécie, quer pessoalmente, quer coletivamente. Segundo Aristóteles, é uma disposição adquirida de fazer o bem, e se aperfeiçoa com o hábito.

Principais
divisões
Subdivisões
Desenvolvimento
Manuscritos
Listas
Ver também
Epístola aos Gálatas
Primeira Viagem Missionária de Paulo
Viagem até Derbe — (ca. 45-46 A.D.)
Atos 13 e 14
Retorno à Antioquia — (ca. 47 A.D.)
Atos 14
Em Antioquia — (ca. 47-51 A.D.)
Atos 15 e Gálatas 2
Vai ao Concílio de Jerusalém — (ca. 50 A.D.)
Atos 15

Noutras línguas

This page is based on a Wikipedia article written by authors (here).
Text is available under the CC BY-SA 3.0 license; additional terms may apply.
Images, videos and audio are available under their respective licenses.