Enciclopédia

Enciclopédia (em grego clássico: εγκυκλοπαιδεία; transl.: enkyklopaideía, formado a partir de ἐγκυκλο "circular" + παιδεία "educação") é uma coletânea de textos bastante numerosos, cujo objetivo principal é descrever o melhor possível o estado atual do conhecimento humano. Pode-se definir como uma obra que trata de todas as ciências e artes do conhecimento do homem atual.[1][2] Pode ser tanto um livro de referência para praticamente qualquer assunto do domínio humano como também uma obra na internet.

As enciclopédias podem ser divididas em dois grupos: genéricas, que coletam conhecimentos de todo o conhecimento humano (como, por exemplo, a Encyclopædia Britannica), ou especializadas, com tópicos relacionados a um assunto específico (como, por exemplo, uma enciclopédia de medicina ou de matemática).

O termo enciclopédia começou a ser utilizado em meados do século XVI, embora trabalhos de formato similar já existissem em épocas anteriores.

Etimologia

A palavra "enciclopédia" provém do Grego Clássico ἐγκύκλιος παιδεία" (transliterado: "enkyklios paideia"), literalmente "educação circular", isto é, "conhecimento geral". Embora a noção de um compêndio de conhecimento remonte a milhares de anos, o termo foi utilizado pela primeira vez no título de um livro publicado em 1541 por Joachimus Fortius Ringelbergius, Lucubrationes vel potius absolutissima kyklopaideia (Basileia, 1541). A palavra "enciclopédia" foi utilizada primeiramente como um substantivo, no título do livro do enciclopedista croata Skalić, Encyclopaedia seu orbis disciplinarum tam sacrarum quam prophanarum epistemon (Enciclopédia, ou conhecimento do mundo das disciplinas, Basel, 1559). Um dos mais antigos usos em francês foi realizado por François Rabelais em sua obra Pantagruel, em 1532.[3][4]

Várias enciclopédias têm nomes que incluem o sufixo -pedia, como por exemplo a Banglapedia, uma enciclopédia sobre as questões relevantes para Bengala, ou a própria Wikipédia, uma enciclopédia redigida com o sistema wiki.

Características

A enciclopédia como conhecemos hoje foi desenvolvida a partir do dicionário no século XVIII. Um dicionário concentra-se principalmente em palavras e as suas definições e, normalmente, dá uma informação limitada, a análise do uso linguístico ou o contexto para cada termo definido. Essa definição linguística pode deixar de informar, ao leitor, o significado, a importância ou as limitações de um termo, ou as relações do termo com um vasto campo de conhecimento.

Soviet Lithuanian Encyclopedia.Lietuviskoji tarybine enciklopedija
"Enciclopédia Lituano-Soviética", Lietuviskoji tarybine enciklopedija

Para fazer face a essas necessidades, um artigo de enciclopédia aborda, além da palavra, o próprio conceito e também o tema ou disciplina, tratando-os com profundidade, a fim de transmitir o conhecimento acumulado sobre esse tema. Uma enciclopédia, muitas vezes, também inclui mapas e ilustrações, bem como bibliografias e estatísticas. Historicamente, tanto a enciclopédia como o dicionário foram pesquisados e escritos com o fim de contribuir para a educação e informação, muitas vezes com a contribuição de peritos, ou especialistas.

Algumas obras intituladas "dicionário" são, de facto, similares a uma enciclopédia, especialmente as ligadas a área determinada (como os Dictionary of the Middle Ages, Dictionary of American Naval Fighting Ships e Black's Law Dictionary). O Dicionário Macquarie, reconhecido como o dicionário oficial da Austrália, tornou-se um dicionário enciclopédico após a sua primeira edição, em reconhecimento do uso de nomes próprios e de palavras derivadas de tais nomes próprios, típico de uma obra enciclopédica.[5]

História

Antiguidade

Erya Zhushu - Chinese Dictionary Museum
Erya Zhushu (爾雅 注疏) em exposição no Museu do Dicionário Chinês, na Casa do Chanceler Huangcheng, em Beiliu, em Shanxi, na China.

Grande parte dos escritos que procuravam englobar o conhecimento humano na Antiguidade eram de estilo específico, ou especializado (geralmente relacionados à natureza ou à filosofia). Alguns dos grandes filósofos da Antiguidade já haviam tentado escrever sobre todos os campos de conhecimento estudados.

Na China antiga, no século III AEC, foi escrita a enciclopédia chinesa mais antiga conhecida, o Erya. O autor do livro é desconhecido, embora seja tradicionalmente atribuída ao Duque de ZhouConfúcio ou os seus discípulos.

Aristóteles escreveu um conjunto de obras sobre os seres vivos, que foram preservadas: De anima, Parva naturalia, Historia animalium, De partibus animalium, De motu animalium, De incessu animalium e De generatione animalium. Muitas delas tratam de assuntos bastante teóricos, discutindo os motivos dos fenômenos da vida; outras são mais descritivas, compreendendo um vasto volume de fatos. Em Historia animalium, o filósofo grego apresentou uma descrição muito detalhada de aproximadamente 550 espécies, incluindo vertebrados e invertebrados. Também tratou de descrever as aparências externa e interna, os costumes dos animais, redigiu uma comparação detalhada entre as espécies e tentou descrever suas principais características e diferenças.[6]

Quatro séculos após a obra de Aristóteles ser publicada, Plínio, o Velho coligiu, em sua obra Naturalis historiae, todas as informações que pôde encontrar sobre plantas, animais, minerais e diversos outros tópicos, repartidos em 37 partes. A primeira obra apresenta um índice e uma bibliografia por completo. Os livros II a VI tratam, respectivamente, sobre a astronomia e a geografia; os livros VII a XI, tratam sobre a zoologia; os XII a XIX, sobre a botânica e a agricultura; os XX a XXVII, sobre apenas a botânica médica; os livros XXVIII a XXXII descrevem diferentes remédios e antídotos retirados de diferentes animais e do próprio homem; e os livros XXXIII a XXXVII tratam unicamente sobre mineralogia e metais. Essa obra, em conjunto, é considerada uma grande enciclopédia sobre a natureza.[6][7]

Idade Média

No século X, em Constantinopla, apareceu uma obra coletiva greco-bizantina de grande interesse para o conhecimento da Antiguidade Grega.[8] Trata-se de uma compilação de obras e personagens classificadas de forma inovadora por ordem alfabética que se apresenta, portanto, como a primeira enciclopédia: a Suda. Apesar de várias imprecisões e erros, a Suda contém informações inestimáveis, uma vez que seus autores tiveram acesso a obras agora perdidas. Esse cobiçado livro, nos dias atuais, é conhecido como a primeira enciclopédia de que se tem notícia, pela amplidão de conhecimento atingido (porém, não se extinguem possibilidades de terem existidas outras obras, talvez mais completas, de não tanto sucesso).

Santo Isidoro de Sevilha, um dos maiores estudiosos do início da Idade Média, é amplamente reconhecido como sendo o autor da primeira enciclopédia de que se tem conhecimento dos tempos medievais, o Etymologiae[9] (publicado em torno do ano de 630), no qual ele compilou a mais ampla possível aprendizagem disponível na sua época, criando uma enorme leva de conhecimento de 448 capítulos em 20 volumes; é muito valioso não só pela sua importância, mas também por causa das citações e fragmentos de textos de outros autores que teriam sido perdidos não fosse o trabalho de Santo Isidoro.[10]

De Rerum proprietatibus (1240) de Bartolomeu da Inglaterra foi a mais lida e citada enciclopédia na Baixa Idade Média,[11][12][13] enquanto Speculum Majus (1260) de Vicente de Beauvais foi a mais ambiciosa enciclopédia do período tardo-medieval, com mais de 3 milhões de palavras.[11]

Árabes e Persas

As primeiras compilações de conhecimento muçulmanas de que se tem notícia na Idade Média incluíam muitas obras já completas, e um desenvolvimento respeitosamente vasto do que, agora, chamamos método científico, método histórico, e citação. Por volta do ano 960, os Irmãos da Pureza de Baçorá[14] se empenharam na confecção de sua obra "Enciclopédia dos Irmãos da Pureza". Outras obras notáveis foram: a enciclopédia de ciências de Rasis, a prolífica produção de Alcindi de 270 livros, e a enciclopédia médica de Avicena, que foram, por séculos, padrões de referência para trabalhos. Também notáveis são obras de história universal (ou sociologia), como História de Profetas e Reis dos Axaritas, Atabari, Almaçudi, ibne Rusta, Ali ibne Alatir, e ibne Chaldune, cuja Muqadimmah contém alertas quanto à confiança em registos escritos que permanecem totalmente aplicáveis hoje. Esses estudiosos tiveram uma incalculável influência sobre os métodos de investigação e edição, em parte devido à prática islâmica isnad, que destacou a fidelidade do registo escrito, verificando fontes, e céticos inquéritos.

Idade Moderna

Hoje em dia, é creditada a criação da primeira enciclopédia moderna à Encyclopédie, de 28 volumes, 71 818 artigos, e 2 885 ilustrações, editada por Jean le Rond d’Alembert e Denis Diderot em 1772, tendo como colaboradores Rousseau, Voltaire, Montesquieu e outros ensaístas ilustres. Porém, antes destes respeitáveis iluministas terem atingido um grau de amplitude muito superior, John Harris havia escrito anteriormente, em 1704, a Lexicon technicum, e a ele é creditado o estabelecer do formato moderno de uma enciclopédia, tal como a conhecemos hoje.

No século seguinte, George Wilhem Hegel publicou a sua Enciclopédia das Ciências Filosóficas, em que se cristaliza a ideia de enciclopédia como apresentação sistemática de uma ciência ou de um conjunto de ciências.

Formatos contemporâneos

Encyclopedia Britannica in the library of The Kings School, Goa
A Encyclopædia Britannica é composta tradicionalmente de 32 volumes. É a enciclopédia impressa mais antiga do mundo.

O formato hierárquico e sua natureza em permanente evolução tornam obras enciclopédicas alvos perfeitos para publicação em formato digital. Praticamente todas as grandes enciclopédias tiveram uma versão em CD-ROM no final do século XX. A versão em CD-ROM conta com a vantagem de ser portátil e de produção extremamente econômica. Além disso, uma enciclopédia em formato digital pode ter conteúdos como animações e áudio, impossíveis de serem inseridos numa tradicional publicação escrita. A inclusão de hyperlinks ligando artigos relacionados também é uma enorme vantagem do formato digital.

Por fim, o advento da internet possibilitou a criação das enciclopédias livres, sendo atualmente as mais conhecidas: a Everything2, a Encarta, a h2g2 e a Wikipédia. Nestas, pela primeira vez na história da humanidade, qualquer pessoa pode fazer contribuições e corrigir e/ou ampliar as entradas já existentes, o que resulta num banco de dados universal que é continuamente aperfeiçoado. Este tipo de enciclopédia permite ainda que o significado de um determinado verbete seja consultado em vários idiomas, expandindo os resultados da pesquisa. As enciclopédias impressas modernas do século XX realmente não têm mais valor. Os negociantes de livros em segunda mão não podem vendê-los, e até mesmo algumas associações de caridade as recusam como doações.[15]

Algumas enciclopédias famosas

Ver também

Referências

  1. Priberam.pt. «Definição da palavra "enciclopedia" no dicionário de português europeu Priberam». Consultado em 20 de março de 2009
  2. Dicionário Michaelis, UOL. «Definição da palavra "enciclopedia" no dicionário de português brasileiro Uol Michaelis». Consultado em 20 de março de 2009
  3. Bert Roest (1997). «Compilation as Theme and Praxis in Franciscan Universal Chronicles». In: Peter Binkley. Pre-Modern Encyclopaedic Texts: Proceedings of the Second Comers Congress, Groningen, 1–July 4, 1996. BRILL. 213 páginas. ISBN 90-04-10830-0
  4. Sorcha Carey (2003). «Two Strategies of Encyclopaedism». Pliny's Catalogue of Culture: Art and Empire in the Natural History. [S.l.]: Oxford University Press. 17 páginas. ISBN 0199259135
  5. Macquarie Dictoinary. «Dicionário Macquarie Online». Consultado em 27 de março de 2009[ligação inativa] (em inglês)
  6. a b Roberto de Andrade Martins. «Uma comparação entre Aristóteles e Plínio, o Velho» (PDF). Consultado em 21 de março de 2009[ligação inativa]
  7. Pesquisa de livros do Google. «Naturalis Historia completo em latim». Consultado em 28 de março de 2009 (em latim)
  8. Suda On Line, SOL. «História da Suda». Consultado em 28 de março de 2009 (em inglês)
  9. Isidoro de Sevilha, repassado ao site "The latin library". «Etymologiae transcrito por completo em latim». Consultado em 1 de abril de 2009 (em latim)
  10. Texts and Documents Research Guide. «Explicação do Etymologiae». Consultado em 1 de abril de 2009. Arquivado do original em 6 de novembro de 2007 (em inglês)
  11. a b Ver "Encyclopedia" em Dictionary of the Middle Ages.
  12. Website Bartholomeus Anglicus' De Proprietatibus Rerum. «Explicação do De Rerum proprietatibus no site dedicado a este livro». Consultado em 1 de abril de 2009 (em inglês)
  13. Pesquisa de livros do Google. «Livro autêntico De Rerum propritatibus completo em latim». Consultado em 1 de abril de 2009 (em latim)
  14. P.D. Wightman (1953), O Nascimento das Ideias Científicas (título original, em inglês: The Growth of Scientific Ideas)
  15. Encyclopaedias now virtually 'worthless' as Wikipedia celebrates 16th anniversary por Emma Wynne, publicado por ABC Radio Perth (2017)

Ligações externas

Enciclopédias online em português (acesso gratuito)
Enciclopédias online em inglês (acesso gratuito)
Enciclopédias online em alemão (acesso gratuito)
Enciclopédias online em português (necessário registro)
Projectos
Dicionário Histórico da Suíça

O Dicionário histórico da Suíça (em alemão, Historisches Lexikon der Schweiz - HLS) é uma publicação em forma de enciclopédia sobre a história da Suíça.

A enciclopédia é publicada por uma fundação patrocina pela Academia suíça de humanidades e ciências sociais e pela Sociedade suíça de história e financiada pela Confederação Suíça. A equipe editorial inclui cerca de quarenta colaboradores e no total mais 2500 autores participam no projeto.

Doutor da Igreja

Doutor da Igreja (em latim: doctor - "professor"; de docere - "ensinar") é um título conferido por uma variedade de igrejas cristãs a indivíduos de reconhecida importância, particularmente nos campos da teologia ou doutrina católica.

Enciclopédia Católica

A Enciclopédia Católica: Um trabalho de referência internacional sobre a Constituição, Doutrina, Disciplina, e História da Igreja Católica (do inglês The Catholic Encyclopedia: An International Work of Reference on the Constitution, Doctrine, Discipline, and History of the Catholic Church), também referida como Antiga Enciclopédia Católica e Enciclopédia Católica Original, é uma enciclopédia em inglês publicado no Estados Unidos. O primeiro volume apareceu em março de 1907 e os últimos três volumes em 1912, seguindo-se um volume mestre de índices, em 1914, e mais tarde volumes suplementares. Foi projetada para "dar aos seus leitores a informação completa e autorizada sobre o ciclo de interesses católicos, sua ação e doutrina".

Enciclopédia Conhecer

A Enciclopédia Conhecer é uma enciclopédia em língua portuguesa publicada no Brasil pela primeira vez em 1966 pela Abril Cultural, posteriormente Nova Cultural.

Primeiramente a enciclopédia era publicada em fascículos organizada por temas. A Conhecer acabou por tornar-se uma referência para trabalhos escolares.

Tornou-se um sucesso, vendendo mais de 100 milhões de exemplares e tendo treze edições em trinta anos.

Enciclopédia Judaica

Enciclopédia Judaica (Jewish Encyclopedia) uma enciclopédia publicada originalmente entre 1901 e 1906 em 12 volumes por Funk & Wagnall, contém 15.285 artigos e muitas ilustrações, preparada por mais de 400 estudiosos e especialistas. É um registro descritivo da história, religião, literatura e costumes do povo judeu desde os tempos antigos até os dias atuais; até 1906 — logo não cobre assuntos posteriores a essa data — agora em domínio público.

Enciclopédia Treccani

A Enciclopedia Italiana di Scienze, Lettere ed Arti (do italiano "Enciclopedia italiana de Ciências, Letras e Artes"), mais conhecida como Treccani pelo seu desenvolvedor Giovanni Treccani, ou Enciclopédia Italiana, é uma enciclopédia em língua italiana. A publicação Encyclopaedias: Their History Throughout The Ages, considera-a uma das meirandes enciclopédias, junto com a Encyclopædia Britannica Undécima Edição e a Enciclopedia universal ilustrada europeu-americana.

Enciclopédia da Vida

A Encyclopedia of Life (EOL) (Em português: Enciclopédia da Vida) é um projeto de enciclopédia online, que tem como proposta ser uma fonte de referência especializada. A edição e inclusão de imagens, vídeos e som será realizada por colaboradores especialistas e não-especialistas, incluindo pesquisadores contratados para discriminar cada espécie conhecida no planeta Terra. O projeto não permitirá contribuições diretas dos usuários, como ocorre com a Wikipédia.

Enciclopédia dos Municípios Brasileiros

A Enciclopédia dos Municípios Brasileiros é uma obra de referência editada pelo IBGE sobre os municípios do Brasil.

Encyclopædia Britannica

A Encyclopædia Britannica é uma enciclopédia generalista de língua inglesa publicada pela Encyclopædia Britannica, Inc., uma editora privada. Os verbetes na Britannica têm como público alvo diretamente os leitores adultos cultos; a enciclopédia é escrita por 19 editores em tempo integral e conta com a colaboração de mais de quatro mil peritos. É amplamente considerada como a mais acadêmica das enciclopédias.A Britannica inicialmente foi publicada entre 1768 e 1771, em Edimburgo, Reino Unido, e depressa aumentou em popularidade e tamanho, com a sua terceira edição, em 1801, alcançando os vinte volumes. O aumento de tamanho implicou a contratação de colaboradores, e as suas 9.ª (1875–1889) e 11.ª edições (1911) são consideradas como marcos no que toca a enciclopédias acadêmicas e de estilo literário. Começando com a 11.ª edição, a Britannica foi gradualmente diminuindo e simplificando os seus artigos a fim de os tornar mais acessíveis, e alargar a sua expansão ao mercado nos Estados Unidos. Em 1933, a Britannica tornou-se a primeira enciclopédia a adotar a política "em contínua revisão", que resulta em que a enciclopédia seja continuamente reimpressa e cada verbete seja atualizado regularmente.A edição atual (a 15.ª) tem uma única estrutura dividida em três partes: a Micropædia, de 12 volumes, contém verbetes menores (geralmente tendo menos de 750 palavras), a Macropædia, de 17 volumes, com longos artigos (tendo de duas a 310 páginas cada) e a Propædia, num só volume, que pretende fornecer um esboço do conhecimento humano, de modo hierárquico. A Micropædia é destinada a pesquisa rápida e a servir como guia para a Macropædia; os leitores são aconselhados a estudar o esboço da Propædia a fim de entender o contexto do assunto e para encontrar outros artigos, mais detalhados. O tamanho da Britannica tem-se mantido muito constante ao longo dos últimos 70 anos, com cerca de 40 milhões de palavras e meio milhão de tópicos. Embora a sua publicação tenha sede nos Estados Unidos desde 1901, a Britannica manteve a ortografia inglesa tradicional.Ao longo da História, a Britannica tem tido dificuldade em permanecer rentável — um problema enfrentado por muitas enciclopédias. Alguns verbetes, em determinadas edições anteriores da Britannica, foram acusados de imprecisão, viés ou falta de qualificação dos colaboradores. A precisão de partes da edição mais recente (de 2005) tem sido igualmente questionada, embora tais críticas tenham sido contestadas pela gestão da Britannica. Apesar disso, a Britannica mantém a sua reputação como fonte de pesquisa confiável. Em 3 de março de 2012, foi anunciado que a Encyclopædia Britannica, agora com sede em Chicago, não iria publicar mais versões impressas em papel focando-se apenas na sua versão online.

Encyclopædia Britannica (edição de 1911)

A décima primeira edição da Encyclopædia Britannica, escrita entre 1910 a 1911, e publicada em 1911, é talvez a mais famosa edição da Encyclopædia Britannica. Constituiu-se de 28 volumes, escritos em inglês, mais o volume de índice. Teve como chefes de edição Hugh Chisholm, em Londres, e Franklin Henry Hooper, em Nova Iorque.

A maioria dos artigos foram escritos por uma equipe formada por jornalistas, pelo pessoal da equipe do Museu Britânico e por acadêmicos. Foi a primeira edição da enciclopédia a contar com um número expressivo de colaboradores do sexo feminino (43).

A 11ª edição introduziu um mudança importante no formato da Britannica, foram lançados todos os volumes ao mesmo tempo, anteriormente cada volume era lançado à medida em que ficava pronto.

Alguns de seus artigos foram escritos pelos mais afamados acadêmicos da época e apresentam, ainda hoje, valor e interesse; entretanto, parte de seu conteúdo está desatualizado e apresenta problemas para serem utilizados como fonte e referência acadêmica.

O conteúdo da 11ª edição se encontra em domínio público e apresenta a seguinte proporção de artigos:

Geografia – 29%

Ciências puras e aplicadas – 17%

História – 17%

Literatura – 11%

Belas Artes – 9%

Ciências sociais – 7%

Psicologia – 1,7%

Filosofia – 0,8%

Flora Europaea

A Flora Europaea é uma enciclopédia de plantas, em 5 volumes, publicada entre 1964 e 1993 pela Cambridge University Press.

Gran Enciclopèdia Catalana

A Grande Enciclopèdia Catalana (GEC) é uma enciclopédia geral escrita em língua catalã. Recolhe alfabeticamente toda a classe de entradas históricas, geográficas, culturais etc. de todo mundo, vistas, quando se presta, com uma óptica catalã, e muito especialmente novas semelhantes do âmbito catalão. Também contém um amplo dicionário de léxico comum que foi revisto na primeira edição da obra por Ramon Aramon i Serra. Posteriormente, saíram diversas edições e volumes de apêndice e também possui uma versão digital. No ano 1991 foi galardoada com o Prêmio Acreditou de Sant Jordi.

Grande Enciclopédia Portuguesa e Brasileira

A Grande Enciclopédia Portuguesa e Brasileira é uma enciclopédia de língua portuguesa cuja publicação se iniciou em 1936.

Grande Enciclopédia Soviética

A Grande Enciclopédia Soviética, em russo: Большая советская энциклопедия, ou БСЭ, transliterado Bolshaya sovetskaya entsiklopediya, é uma das maiores e mais completas enciclopédias em russo e do mundo, editada pelo governo soviético de 1926 a 1990, retomada em 2002, agora com o título Bolshaya Rossiyskaya entsiklopediya ou Grande Enciclopédia Russa.

Itaú Cultural

O Instituto Itaú Cultural, concebido por Olavo Egydio Setúbal e criado pela Lei nº 7505, de 3 de outubro de 1986, tem por objetivo o mapeamento de manifestações artísticas e incentivar a pesquisa e a produção artísticas e teóricas relacionadas aos mais diversos segmentos culturais."O Instituto Itaú Cultural tem por objeto incentivar, promover e pesquisar linguagens artísticas e eventos culturais, bem como preservar o patrimônio cultural do país, em atuação direta ou de forma associada...(...)" - Estatuto de Criação.O mapeamento de segmentos é realizado a partir do programa Rumos, artes visuais, cinema, dança, educação, jornalismo cultural, literatura, música, pesquisa, teatro, a bienal de arte e tecnologia Emoção Art.ficial e suas enciclopédias online, que formam os seus grandes eixos de atuação.

Foi eleita pelo Great Place to Work Institute (GPTW) como uma das cem melhores empresas para se trabalhar no Brasil.O local é um instituto direcionado para pesquisas e produção de conteúdo, e consegue receber até três exposições (sempre gratuitas) simultaneamente, que normalmente trazem a trajetória de músicos, atores, pintores, artistas, entre outras personalidades que contribuíram para o conhecimento nacional. As mostras são voltadas para jovens que futuramente se utilizam delas para suas próprias produções. O Itau cultural também tem programações de cinema, restaurantes e café.Os visitantes têm, por meio da midiateca, acesso ao acervo de mais de trinta mil documentos falando sobre arte e cultura brasileira em livros, filmes e coleções de cd's e dvd's, que podem ser tanto alugados quanto usados no local. O museu Itaú Numismática - Museu Herculano Pires também pode ser visitado e possui uma media de 7 mil itens, entre eles moedas, condecorações e medalhas.

LIBRIS

O LIBRIS - Library Information System - é uma base de dados bibliográficos da Suécia, gerido pela Biblioteca Nacional da Suécia.

Contem aproximadamente 6,5 milhões de títulos.

A Biblioteca Nacional publica desde 1972 um boletim informativo – LIBRIS-meddelanden.

MedlinePlus

MedlinePlus é um website mantido pela National Library of Medicine (em português: Biblioteca Nacional de Medicina dos Estados Unidos da América) que contém informações (em inglês e castelhano) sobre saúde. É atualizado diariamente.

Criada pelo intuito de ajudar na localização de informações oficiais, a MedlinePlus disponibiliza (seleção):

Informações do National Institutes of Health e de outras fontes declaradas confiáveis sobre doenças

Informações sobre medicamentos e estudos clínicos

Clipping de notícias e informações sobre a saúde da imprensa online.

Diretório de sites contendo links selecionados com critérios

Enciclopédia Médica A.D.A.M. (em inglês: Animated Dissection of Anatomy for Medicine), com cerca de 4.000 verbetes.

Dicionário Merriam-Webster

Nationalencyklopedin

Nationalencyklopedin ou NE - em português Enciclopédia Nacional Sueca - é uma enciclopédia sueca contemporânea.A versão impressa abrange 172.000 artigos, e a versão de internet contem 264.000 entradas (em julho de 2014).

O projeto iniciou-se em 1980 por iniciativa do governo, tendo um acordo de publicação sido assinado com a editora Bra Böcker em 1985.

Entre 1989 e 1996, foram editados os 20 volumes desta obra, com cerca de 170 000 verbetes.

Em 1997 a primeira versão digital da enciclopédia foi lançado em 6 CD-ROMs (posteriormente em DVD).

Em 2000, a Enciclopédia Nacional Sueca iniciou a sua publicação na Internet - http://www.ne.se.ezproxy.ub.gu.se - com uma versão completa para sócios assinantes e uma versão abreviada para para visitantes não assinantes.

É a terceira maior enciclopédia sueca de todos os tempos, sucedendo ao Nordisk familjebok (1875) e ao Svensk Uppslagsbok (1929).

Wikipédia

A Wikipédia é um projeto de enciclopédia multilíngue de licença livre, baseado na web e escrito de maneira colaborativa. O projeto encontra-se sob administração da Fundação Wikimedia, uma organização sem fins lucrativos cuja missão é "empoderar e engajar pessoas pelo mundo para coletar e desenvolver conteúdo educacional sob uma licença livre ou no domínio público, e para disseminá-lo efetivamente e globalmente". Integrando um dos vários projetos mantidos pela Wikimedia, os mais de 43 milhões de artigos (1 014 080 em português, até 22 de setembro de 2019) hoje encontrados na Wikipédia foram escritos de forma conjunta por diversos voluntários ao redor do mundo. Quase todos os verbetes presentes no sítio eletrônico podem igualmente ser editados por qualquer pessoa com acesso à internet e ao endereço eletrônico. Em outubro de 2013, havia edições ativas da Wikipédia em 277 idiomas. A Wikipédia foi lançada em 15 de janeiro de 2001 por Jimmy Wales e Larry Sanger e tornou-se a maior e mais popular obra de referência geral na internet, sendo classificada em novembro de 2018, na quinta posição entre todos os websites do Alexa. Em 2010, tinha cerca de 365 milhões de leitores. A Wikipédia é uma ferramenta de pesquisa amplamente utilizada por estudantes e tem influenciado o trabalho de publicitários, pedagogos, sociólogos e jornalistas, que usam seu material, mesmo que nem sempre citem suas fontes.O nome Wikipedia foi criado por Larry Sanger e é uma combinação de wiki (uma tecnologia para criar sites colaborativos, a partir da palavra havaiana wiki, que significa "rápido") e enciclopédia. A palavra "Wikipédia" é uma adequação lusófona da forma original anglófona sobre a fusão dos dois nomes que formam o termo. Em português, o prefixo "Wiki" é somado ao sufixo de "enciclopédia", ganhando acento diacrítico agudo no e, para atender à gramática lusófona.

A Wikipédia afasta-se do estilo tradicional de construção de uma enciclopédia, possuindo uma grande presença de conteúdo não acadêmico. Quando a revista Time reconheceu "Você" como a Pessoa do Ano de 2006, devido ao sucesso acelerado da colaboração online e da interação de milhões de usuários ao redor do mundo, citou a Wikipédia como um dos vários exemplos de serviços da Web 2.0, juntamente com YouTube, MySpace e Facebook. A importância da Wikipédia tem sido notada não apenas como uma referência enciclopédica, mas também como um recurso de notícias atualizado com frequência, por conta da rapidez com que artigos sobre acontecimentos recentes aparecem. Estudantes têm sido orientados a escrever artigos para a Wikipédia como um exercício de explicar de forma clara e sucinta conceitos difíceis para um público não iniciado.Embora as políticas da Wikipédia defendam fortemente a verificabilidade e um ponto de vista neutro, seus críticos acusam-na de viés sistêmico e inconsistências (incluindo o peso excessivo dado à cultura de massa) e alegam que ela favorece o consenso sobre credenciais em seus processos editoriais. Sua confiabilidade e precisão também são alvo de críticas. Outras críticas apontam a sua suscetibilidade ao vandalismo e à adição de informações falsas ou não verificadas. No entanto, trabalhos acadêmicos sugerem que os vandalismos são geralmente de curta duração. Uma pesquisa de 2005 na revista Nature mostrou que os artigos científicos que eles compararam chegavam perto do nível de precisão da Encyclopædia Britannica e tinham uma taxa semelhante de "erros graves". Outra pesquisa de 2011 realizada pelo ForeSee Results e divulgada pela CNET mostrou que, em uma escala de satisfação de 0 a 100, os internautas atribuíram 78 pontos à Wikipédia, um resultado maior que o de outros sites consagrados, como YouTube e Facebook.

Noutras línguas

This page is based on a Wikipedia article written by authors (here).
Text is available under the CC BY-SA 3.0 license; additional terms may apply.
Images, videos and audio are available under their respective licenses.