Edom

Edom (em edomita: 𐤀𐤃𐤌; transl.: ’Edām; em hebraico: אֱדוֹם, ʾĔḏôm, "Vermelho"; em acádio: 𒌑𒁺𒈠𒀀𒀀 e 𒌑𒁺𒈪, Uduma e Udumi; em siríaco: ܐܕܘܡ; em grego clássico: Ἰδουμαία, Idoumaía; em latim: Idumæa ou Idumea) foi um país da Transjordânia na Idade do Ferro. Fazia fronteira com Moabe a nordeste, Arava a oeste e o deserto da Arábia a sul e leste.

Reino de Edom
século XIII a.C.125 a.C. 
Blank.png
Kingdom of Edom 830 map-pt

Edom ca. 831 a.C.
Região
Capital
  • Bozra
  • Selá (ca. 838 a.C.)
País atual

Línguas oficiais Edomita
Religião

Forma de governo Monarquia
Rei

Período histórico Antiguidade
• século XIII a.C.  Estabelecido
• 125 a.C.  Conquista asmoneia

Etimologia

Edom é o nome que foi dado a Esaú, o primogênito de Isaque, que vendeu seu direito de primogenitura a seu irmão Jacó por um prato de sopa, cuja cor vermelha deu seu nome - "Adom". O país que mais tarde Esaú e seus descendentes habitaram se chamava "o campo de Edom" ou "a terra de Edom", com o topônimo também equivalendo a edomitas (citados uma única vez na Bíblia como "filhos de Edom").[1] Esse topônimo foi traduzido como Udumi (𒌑𒁺𒈪) ou Udumu (𒌑𒁺𒈬) em acadiano,[2] Aduma em egípcio,[3] dwm (ܐܕܘܡ) em siríaco,[4] Idumeia em grego (Ἰδουμαία) e latim (Idumaea ou Idumea). Pensa-se que o nome, à parte de sua etimologia bíblica, tenha se originado do arenito avermelhado típico da região.[5]

O país já foi chamado de Monte Seir, homógrafo portanto ao monte que separada Edom de Judá. O topônimo Seir derivou, de acordo com a Bíblia, do progenitor dos horeus, que habitaram Edom antes dos edomitas. Segundo Flávio Josefo, o nome Seir se deve ao fato de que Esaú era peludo, mas segundo Gênesis XIV:6, se chamava Seir muito antes do nascimento de Esaú.[1]

Geografia

As fronteiras de Edom foram definidas concisamente. Se estendia ao longo rota seguida pelos israelitas da península do Sinai a Cades, isto é, ao longo do lado oriental do vale de Arava. Ao sul alcançou até Elate, que era porto de Edom. No norte de Edom estava o reino de Moabe. O limite entre Moabe e Edom era o ribeiro de Zerede. A antiga capital de Edom era Bozra. No tempo de Amassias (838 a.C.), Selá era sua principal fortaleza, enquanto Elate e Eziom-Géber eram seus portos.[1][6]

Referências

  1. a b c Gottheil 1906.
  2. LeBlanc 2017, p. 118.
  3. Müller 1893, p. 135.
  4. Thales 2019.
  5. King 1988, p. 56.
  6. Negev 2001, p. 149-150.

Bibliografia

  • King, Philip J. (1988). Amos, Hosea, Micah: An Archaeological Commentary. Filadélfia: The Westminster Press
  • LeBlanc, Paul D. (2017). Deciphering the Proto-Sinaitic Script: Making Sense of the Wadi el-Hol and Serabit el-Khadim Early Alphabetic Inscriptions. Canadá: Subclass Press
  • Müller, Wilhelm Max. Asien und Europa nach altägyptischen denkmälern mit einem vorwort von Georg Ebers. Lípsia: W. Engelmann
  • Negev, Avraham; Gibson, Shimon (2001). Edom; Edomites. Archaeological Encyclopedia of the Holy Land. Nova Iorque e Londres: Continuum. ISBN 0-8264-1316-1
Antípatro (pai de Herodes)

Antípatro era um idumeu, que prosperou na corte dos últimos soberanos hasmoneus, passou a governar a Judeia após a ocupação romana e foi o pai de Herodes, o Grande. Foi posto por Pompeu como procurador da Palestina em 67 a.C..

Aolibama

Áolibamá ou Ôlibamá (Hebraico: אהליבמה; transl.: 'áolîḇāmá, 'oolîḇāmāh; lit. Tenda do lugar alto.) nome de dois personagens que aparecem na Bíblia. Em Gênesis 36:1-43, que diz; foi filha de Aná filha de Zibeão, o heveu (ou hivita) e esposa de Esaú (tb. Edom), cujos filhos foram; Jeús, Jalão e Coré. E em 1 Crônicas 1:52; como sendo um dos príncipes edomitas.

Basemate

Basemate (em hebraico: בָּשְׂמַת, hebraico moderno: Basmat, tiberiano: Bāśəmáṯ, "doce cheiro", em árabe: بسمة, "doce sorriso") é uma personagem do livro do Gênesis. Ela era filha de Ismael e terceira esposa de Esaú. (Gênesis 36:2-3).

Antes de Esaú se casar com sua terceira esposa, ele havia nomeado uma de suas esposas cananéias após Basemate, provavelmente porque conhecia ela, uma vez que eram primos. A mulher que Esaú nomeou como Basemate foi Ada, a hetéia, sua primeira esposa. Então, após se casar com sua terceira esposa, Esaú mudou o nome de Basemate, o nome ismaelita, para Maalate. Esaú buscou esta união com uma não-cananéia, como um esforço para conciliar o seu relacionamento com seus pais, nomeadamente com o seu pai Isaque de quem buscou suas bênçãos. (Gênesis 28:6-9) No entanto, não há registro de sua aprovação dos pais para a união de Esaú e Basemate (Maalate). Ela deu à luz um filho a Esaú, Reuel. (Gênesis 36:4)

Bozra

Bozra, ou Botsra, Botzrah, Bozrah (em hebraico:בצרה, em árabe: بلدة بُصرة) é uma antiga cidade bíblica na Jordânia, situada a sudeste do mar Morto e hoje chamada de Buseirah ou Bouseira, entre Tafilah (Tophel) e Shobak.

Dedã

Dedã é um termo bíblico, e o seu significado é "terra baixa". Aparece recorrentemente na Bíblia, de diferentes modos:

Um filho de Raamá (Gênesis 10:7). Seus descendentes são mencionados em Isaías 21:13, Ezequiel 25:13 e Ezequiel 27:15. Eles provavelmente se estabeleceram entre os filhos de Cuxe, na costa noroeste do presente Golfo Pérsico.

lugar onde vivia os Dedanitas (Is.21.13) eram um povo Árabe descendente de Cam filho de noé, através de Cuxe (Gênesis 10:7; 1 Crônicas 1.9),que se casaram com o descendente de Abraão(Jocsã, 1 Crônicas 1:32) através de Quetura (Gn 25.3) Seus descendentes, parece certo que o nome Dedã não representa dois povos separados nessas genealogias pelo fato de, nos dois casos, o irmão de Dedã ser chamado de Sebá.

Eles construíram a cidade de Dedã a 160 Km a sudeste de Tema (q.v.) em um oásis (Al-'Ulan, a cerca de 280 quilômetros ao noroeste de Medina,e 560 km a sudeste de Petra ),na rota das caravanas para o sul da Arábia usadas pela rainha de Sabá. Assim, ficaram conhecidos por suas caravanas e pelo seu comércio (Is 21.13; Ez 27.20; 38.13) .

A cidade de Dedã é mencionada nas profecias contra Edon (Jr 49.8; Ez 25.13) indicando seus laços íntimos com os Edomitas, e levando à especulação de que alguns dedanitas haviam se estabelecido em Edom. Ela também é mencionada em algumas inscrições na língua proto-árabe de Sabá e de Minean (que fica no sul da Arábia), o que mostra contatos próximos com esses sucessivos governantes do sul da Arábia.

Elifaz (livro de Jó)

Elifaz, segundo o relato da Bíblia, foi um dos três companheiros de Jó. (Jó 2:1)

Era provavelmente descendente de Abraão e um parente distante de Jó.1. Elifaz, o temanita, como dizem as escrituras sagradas no capítulo 4 do livro de Jó, era neto de Isaac filho de Abraão; no livro de Gênesis 36:4,15, a Bíblia nos mostra claramente os descendentes de Esaú e nós podemos entender mais sobre Elifaz.

Dentre os três “consoladores”, Elifaz era o mais importante e influente, o que sugere que talvez tenha sido também o mais idoso, por exemplo:

Ele fala primeiro, nas três fases do debate;

Os seus discursos são mais extensos.Analistas consideram que Elifaz representa a sabedoria de Edom; deste modo ele tem o mesmo nome que Elifaz (filho de Esaú).

Esaú

Esaú, personagem do Antigo Testamento, era filho de Isaac e Rebeca e irmão gémeo de Jacó, com quem se zangou por este lhe ter usurpado a bênção dada por seu pai, Isaque. Esaú em hebraico,עֵשָׂו (peludo), foi também chamado de Edom em hebraico אֱדוֹם (vermelho), o pai dos Edomitas que habitaram uma região que hoje é conhecida por Aqaba. Esaú nasceu ruivo e peludo.

Esaú era um perito caçador e amado do seu pai, enquanto Jacó habitava em tendas e era amado por sua mãe. Esaú vendeu a Jacó seu direito a primogenitura por um prato de lentilhas.

Ele tomou sua prima Maalate como mulher: Vendo também Esaú que as filhas de Canaã eram más aos olhos de Isaque seu pai, Foi Esaú a Ismael, e tomou para si por mulher, além das suas mulheres, a Maalate filha de Ismael, filho de Abraão, irmã de Nebaiote..

Esaú teve um filho chamado Elifaz, muitas vezes confundido com Elifaz, o Temanita (por habitar na região mais a sul da península arábica (Teman), hoje conhecida como Iémen). Este, considerado um sábio, é personagem importante no livro de Job.

Hadade (filho de Bedade)

Hadade, filho de Bedade (em hebraico: הֲדַד בֶּן-בְּדַד), foi um rei de Edom mencionado na Bíblia. . Ele conseguiu Husão na realeza aparentemente eletivo dos edomitas. Ele é descrito como tendo se mudado para a capital de Edom para Avite e de derrotar os midianitas em Moabe. Ele foi sucedido por Samlá de Masreca.

A data do seu reinado são desconhecidos.

Horeu

Horeu ou Horim foi um povo heveu mencionado na bíblia hebraica (Gênesis 14:6, 36:20, Deuteronômio 2:12) que habitavam as áreas ao redor do monte Seir. Eles foram identificados com referências egípcias à Khar (formalmente traduzido como Harri), que diz respeito a uma região do sul de Canaã. Apesar de ampla influência dos hurritas, um povo mais ao norte, estes não eram provavelmente os mesmos que os horeus.

Segundo o relato da Torá, o Senhor os tinha expulsado diante dos edomitas, descendentes de Abraão, algum tempo antes do êxodo. Seu antepassado é Hori, filho de Lotã, filho de Seir cujos descendentes pré-edomitas, "príncipe dos horeus na terra de Seir", são listados em Gen. 36:20-29 e 1 Crônicas 1:38-42. Apesar de a própria descendência de Seir nunca ter especificado diretamente, a tradição rabínica claramente deriva-se da parte de sua genealogia que corresponde ao que foi dado para a esposa hevita de Esaú (Oholibamah bat Anah bat Zibeon ben Seir) em Gen. 36:2.

O território dos heveus ( o monte Seir) foi habitado pelos edomitas, ficando conhecido como terra de Edom. Aconteceu muito cedo na história dos edomitas, o ter possuído aquelas terras,ainda quando seu patriarca Esaú estava vivo, e quando este povo tinha apenas quatrocentos homens, conforme fonte em Gênesis 32:3, ocasião em que Jacó envia alguns dos seus a Esaú que já habitava a região de Seir. Os heveus tiveram suas terras invadidas. Isso é descrito na Bíblia Sagrada, como se lê em "Deuteronômio 2.12 Outrora os horeus também habitaram em Seir; porém os filhos de Esaú os lançaram fora, e os destruíram de diante de si, e habitaram no seu lugar, assim como Israel fez à terra da sua herança, que o SENHOR lhes tinha dado. 22 Assim como fez com os filhos de Esaú, que habitavam em Seir, de diante dos quais destruiu os horeus, e eles os lançaram fora, e habitaram no lugar deles até este dia".

Idumeia

A Idumeia (Terra dos Edomitas), no período dos Macabeus e Romanos se localizava na região que havia sido o território das tribos israelitas de Simeão e Judá, não sendo incluído o coração da antiga Edom, chegando ao redor de Hébron até Betsur cerca de 26 km ao sudoeste de Jerusalém. Os Idumeus eram os remanescentes dos Edomitas. João Hircano I havia invadido a Iduméia no segundo século a.C e este permitiu que vivessem sob a condição de que deveriam seguir a Lei Judaica o qual foi aceita pelo povo.

Isaac

Isaac ou Isaque ( /ˈaɪzək/; Hebraico: יִצְחָק, Moderno Yitsẖak Tiberiano Yiṣḥāq, ISO 259-3 Yiçḥaq, "ele vai rir"; em iídiche: יצחק, Yitskhok; em grego antigo: Ἰσαάκ, Isaak; em latim: Isaac; em árabe: إسحاق ou em árabe: إسحٰق[note A] ʼIsḥāq) assim como descrito na Bíblia Hebraica, foi o único filho de Abraão com sua esposa Sara e foi o pai de Esaú e Jacó. Isaac foi um dos três patriarcas israelitas. Segundo o Livro de Gênesis, Abraão tinha 100 anos quando Isaac nasceu e Sara já havia cessado o período fértil.

Isaac foi o único patriarca bíblico cujo nome não foi mudado e também o único que não deixou Canaã. Comparado com Abraão e Jacó, a história de Isaac relata poucos incidentes em sua vida. Morreu quando tinha 180 anos, tornando-se o patriarca de vida mais longa.

Jobabe

Jobabe foi o nome de muitas pessoas apresentadas pela bíblia. De acordo com Gênesis 10:29 e 1 Crônicas 1:23, Jobabe foi filho de Joctã, neto de Eber, bisneto de Arfaxade e trineto de Sem, filho de Noé.

Em Gênesis 36:33 e 1 Crônicas 1:44, Jobabe ben Zerá, foi um antigo rei de Edom. Em Josué 11:1, Jobabe foi um rei de Madom, que foi um dos reis que lutaram contra Israel.

Já em 1 Crônicas 8:9, Jobabe foi um dos filhos de Saaraim e Hodes. E em 1 Crônicas 8:18, Jobabe foi o terceiro filho de Elpaal.

Livro de Obadias

O Livro de Obadias faz parte da Bíblia hebraica, da qual é o menor livro, com apenas um capítulo, vem depois do Livro de Amós e antes do Livro de Jonas. Sua autoria geralmente é atribuída a um indivíduo chamado Obadias ("servo (ou fiel) do Senhor"), classificado como um "profeta menor" na Bíblia cristã, devido à brevidade de seu texto (apenas 21 versículos) e do seu conteúdo (material profético). Um profeta, no Antigo Testamento, não era apenas uma pessoa tida como capaz de ter visões divinas dos eventos futuros, mas também uma pessoa que Deus utilizava para declarar sua palavra.

Os primeiros nove versículos do livro preveem a destruição total na terra de Edom, pela mão de Deus. Obadias escreve que esta destruição será tão completa que será ainda pior que um ladrão que comete seu crime à noite, pois nem mesmo um ladrão destruiria tudo. Deus permitirá que todos os aliados da nação de Edom não só a abandonem como se voltem contra ela, ajudando a expulsar seu povo. Os versículos 10-14 explicam que quando Israel, o povo de Deus, foi atacado, Edom recusou-se a ajudá-lo, agindo assim como um inimigo. O fato complicante é que Edom e Israel partilham a mesma linhagem sanguínea, pelos seus fundadores - que eram dois irmãos, Jacó e Esaú. Por este tratamento inaceitável a um parente, Edom será coberta de vergonha e destruída para sempre. Os últimos versículos, do 15 ao 21, relataram a restauração de Israel e a aniquilação dos edomitas. O versículo 18 afirma que "ninguém mais restará da casa de Esaú". Israel se tornará um lugar santo, e seu povo retornará do exílio e habitará a terra que foi habitada pelos edomitas. O versículo final da profecia coloca Deus como o rei que governará sobre todas as montanhas de Edom.

Mizá

Mizá (em hebraico: שמה ומזה, "desespero", "terror", "desmaiar de medo") foi um chefe / duque de Edom.

Obadias

Obadias (em hebraico: עבדיה, Ovadyah, "Servo de Javé") é um profeta da Bíblia hebraica (na tradição cristã, parte do Antigo Testamento), considerado um dos "Profetas Menores" (o quarto, na ordem do cânone hebreu e na Vulgata, e o quinto na Septuaginta). O seu livro, constituído por apenas 21 versículos, é o menor do Antigo Testamento e trata do tema da falta de solidariedade do povo de Edom (descendentes de Esaú - Génesis 36:1) para com Israel, considerado como seu povo irmão. O livro se divide em duas partes: o "Profecia contra Edom" e a "Proclamação do Dia de Javé".

Palestina Salutar

Palestina Salutar, também chamada de Palestina III ou Palestina Tércia, foi uma província bizantina que abrangia a região do deserto de Negueve (Edom), a península do Sinai (com exceção da costa ocidental) e o sudeste do território transjordânico ao sul do Mar Morto. Ela era parte da Diocese do Oriente da Prefeitura pretoriana do Oriente e foi separada da Arábia Pétrea no século VI e existiu até a conquista muçulmana na década de 630.

Quenaz

Quenaz (Hebreu: קְנָז) foi o nome de muitas pessoas apresentadas pela bíblia. De acordo com Gênesis 36:11, 15, 42, Quenaz foi filho de Elifaz e neto de Esaú. Ele foi um líder edomita, e pode ter sido antepassado dos Quenezitas.

Em Josué 15:17, Quenaz é o irmão mais novo de Calebe, e pai de Otniel, cuja família foi de suma importância para Israel no tempo do rei David. Alguns pensam que Otniel, e não Quenaz, foi irmão de Calebe (Juízes 1:13) mas Quenaz na verdade, ali, é padrasto de Calebe. Em 1 Crônicas 4:15, Quenaz é neto de Calebe.

Seir

Seir (em hebraico: שֵׂעִיר, hebraico moderno: Se'ir tiberiano: Śēʻîr, "áspero, peludo"). Às vezes é usado como um termo alternativo para uma cabra, como em "Seir La'Azazel" (שעיר זאזל - bode expiatório).

Seir - "Príncipe" no egípcio antigo, um nome usado pelos egípcios para se referir ao deus dos mortos, conhecido pelos gregos como Osíris. O termo "Seir" também era usado pelos egípcios para se referir a constelação de Orion, que foi considerada uma representação do deus Osíris nos céus.

Na Astronomia Sagrada (a.k.a Astrologia bíblica ou Astronomia bíblica), Seir se refere ao nome de uma estrela na constelação de Órion, que é considerada uma figura messiânica que representa Cristo. A Astronomia sagrada é o estudo do que é conhecido popularmente como "o Evangelho nas Estrelas", um exame das constelações no céu noturno da Terra para perceber a mensagem alegórica escondida dentro delas do Deus Criador para o Seu povo. Por exemplo, no Zodíaco de Dendera, o símbolo do falcão para Canis Maior é identificada pela expressão "Naz Seir". Este símbolo de falcão representa a estrela Sirius na constelação de Cão Maior. Em egípcio, "Naz" significa "enviado", enquanto "Seir" significa "príncipe" ou "chefe". Portanto, o título de "Naz Seir" pode ​​significar "Príncipe Enviado". Uma vez que tanto "Naz" e "Zar" significam "Príncipe" em hebraico, Naz Seir também pode significar "príncipe dos príncipes", um título apropriado para Jesus Cristo como o Rei dos reis. Isso também pode ser a origem oculta do termo "nazareno" utilizado para identificar Cristo, o Naz, Zar, o Príncipe da paz.

Ancestral do "príncipes dos horeus" na terra de Seir, depois Edom (Gênesis 36:20-30).

Monte Seir, uma região montanhosa ocupada pelos edomitas, estendendo-se ao longo do lado oriental de Arabá a partir da extremidade sul-oriental do Mar Morto, perto da Akabah, ou o ramo oriental do Mar Vermelho. Foi originalmente ocupado pelo horeus (Gênesis 14:6), que foram depois expulsos pelos edomitas (Gênesis 32:3; Gênesis 33:14, Gênesis 16). Foi atribuído aos descendentes de Esaú (Deuteronômio 2:4, Deuteronômio 22; Josué 24:4, 2 Crônicas 20:10; Isaías 21:11; Ezequiel 25:8).

Seir (demônio), príncipe do inferno na demonologia.

Uma serra (não a serra edomita, Gênesis 32:3) situada entre a Wady Aly e Wady Ghurab (Josué 15:10).

Zerá

Zera ou Zerá (em hebraico: זֶרַח / זָרַח "nascer do sol", hebraico padrão: Zéraḥ / Záraḥ, tiberiano: Zéraḥ / Zāraḥ) refere-se a cinco pessoas diferentes na Bíblia hebraica.

Noutras línguas

This page is based on a Wikipedia article written by authors (here).
Text is available under the CC BY-SA 3.0 license; additional terms may apply.
Images, videos and audio are available under their respective licenses.