Arenito

Arenito[1] ou grés é uma rocha sedimentar que resulta da compactação e litificação de um material granular da dimensão das areias. O arenito é composto normalmente por quartzo, mas pode ter quantidades apreciáveis de feldspatos, micas e/ou impurezas. É a presença e tipo de impurezas que determina a coloração dos arenitos; por exemplo, grandes quantidades de óxidos de ferro, fazem esta rocha vermelha. O arenito é usado em diversas construções civis.

O arenito é depositado em ambiente continental, nos rios e lagos, ou em ambiente marinho, em praias, deltas ou nas sequências turbidíticas do talude continental.

Os arenitos são rochas lapidificadas constituídas por areias aglutinadas por um cimento natural, que geralmente caracteriza a rocha. São rochas também designadas por grés e muitas vezes são classificadas pela natureza do cimento. Os arenitos argilosos têm um cimento constituído por argilas.

Os arenitos calcários são fundidos por rochas magmáticas e granito de cimento, em geral, de carbonato de cálcio (calcite) fazer efervescência fácil com os ácidos. Se o cimento do arenito for dolomite (carbonato de cálcio e magnésio) a efervescência é menos nítida.

Economicamente, o arenito pode ter interesse se for associado a jazidas minerais do tipo plácer, onde os metais interessantes se depositam como os grãos de areia, integrando depois o arenito.

Em Sapucaia do Sul, município brasileiro do estado do Rio Grande do Sul, próximo a Porto Alegre, há uma grande mineração de arenito, pedras que são extraídas, recortadas e que servem à construção civil, como pedras de alicerce. O arenito encontrado naquela região é do tipo eólico, pertencente à Formação Botucatu. Formou-se pela compactação de areias de um vasto deserto arenoso que existiu onde é hoje a América do Sul no período Triássico e que foi coberto pelas lavas basálticas da Formação Serra Geral.

Os arenitos são rochas silicosas sedimentares, constituídos por grãos de sílica ou quartzo, ligados por cimento silicoso, argiloso ou calcário. São empregados em revestimentos, resistindo bem aos ataques de agentes agressivos da atmosfera.

LionHeadSandstone
Arenito
Cabeças de águia do Parque Estadual do Guartelá
Formações em arenito que se assemelham a cabeças de águias no Parque Estadual do Guartelá.
Vila Velha2
A Taça, afloramento de arenito e cartão-postal do Parque Estadual de Vila Velha

Referências

  1. «Arenito». Departamento de Petrologia e Metalogenia - IGCE/UNESP. Consultado em 23 de fevereiro de 2014. Arquivado do original em 4 de abril de 2014
Albarracín

Albarracín (Albarrazín em aragonês) é um município da Espanha na província de Teruel, comunidade autónoma de Aragão, de área 448,73 km² com população de 1025 habitantes (2004) e densidade populacional de 2,28 hab/km².Possui ruas inclinadas e estreitas, e uma arquitectura muito peculiar que se adapta ao terreno, em madeira e arenito, com saliências desniveladas. Igrejas e edifícios religiosos, senhoriais e também populares, como a Casa da Julianeta. Albarracín é candidata pela UNESCO a património mundial pela beleza e importância do seu património histórico.Faz parte da rede de Aldeias mais bonitas de Espanha.

Areia

Areia é um conjunto de partículas de rochas degradadas, um material de origem mineral finamente dividido em grânulos ou granito, composta basicamente de dióxido de silício, com 0,063 a 2 mm.

Forma-se à superfície da Terra pela fragmentação das rochas por erosão, por ação do vento ou da água. Por meio de processos de sedimentação pode ser transformada em arenito.

É utilizada nas obras de engenharia civil, aterros, execução de argamassas, concretos e também na fabricação de vidros. O tamanho de seus grãos tem importância nas características dos materiais que a utilizam como componente.

Constituída por fragmentos de mineral ou de rocha, cujo tamanho varia, conforme a escala de Wentworth, maior que 64 µm (1/16 mm) e menor que 2 mm.

Brasão de armas da Índia

O Brasão de armas da Índia é uma adaptação do Sarnath Lion Capital da Ashoka. O Imperador Ashoka, ergueu o grande capital acima de Ashoka colocando um pilar para assinalar o local onde primeiro Gautama Buda ensinou o Dharma, e onde o budista Sangha foi fundado. No original, há quatro leões, em pé em volta virados de costas uns aos outros, montado sobre um ábaco com um frieze transportando esculturas em alto relevo de um elefante, um cavalo galopante, um touro e um leão, separados por mais de um sino em forma de lótus. Esculpido num único bloco de arenito polido, o capital é coroado pela Roda da retidão/justiça (Dharmachakra).

Foi adotado como o Emblema Nacional da Índia em 26 de Janeiro de 1950, o dia em que a Índia tornou-se uma república.

Carbonato de cálcio

Carbonato de cálcio é uma substância química de fórmula CaCO3. É o principal componente de rochas como os calcários. Tem características alcalinas (ou seja, é um sal com características básicas que aumenta o pH de uma solução aquosa) e é resultado da reação do óxido de cálcio (cal virgem) com dióxido de carbono. CaO + CO2 → CaCO3 Quando em solução aquosa sofre uma hidrólise salina, produzindo uma base forte. CaCO3 + H2O → CO2 + Ca(OH)2 Esta característica básica é utilizada para reduzir a acidez do solo para a agricultura.

Danxia da China

Danxia da China é um tipo único de paisagem, no formato de danxia, formado por arenito vermelho e caracterizado por falésias íngremes, originadas por forças endógenas (incluindo levantamento tectónico) e exógenas (incluindo meteorização e erosão.

Deserto Oriental Africano

O Deserto Oriental Africano (em árabe: الصحراء الشرقية), por vezes chamado de Deserto Arábico localiza-se a leste do rio Nilo, e a oeste do mar Vermelho, sendo limitado a sul pelo deserto da Núbia. Estende-se do do norte de Egito até o sul da Eritreia e o nordeste do lago Nasser, e parte em Sudão e Etiópia, tendo 22 000 km².A sua maior altitude localiza-se no monte Gebel Shayib al-Banat, a sul de Hurghada, com 2 187 metros.

Este deserto é rico em recursos naturais, há grandes campos de petróleo no Egito (onshore e offshore no Golfo do Suez) e depósitos de fosfato, tungstênio, amianto, manganês, molibdênio, urânio e, a mineração de ouro era abundante na Antiguidade.

Na área da colina do mar Vermelho são ocas, alabastro, pórfiro, granito e arenito que foram usados desde o período faraônico e romano.

As cidades da região estão quase todas no litoral, de norte a sul, são estas: Ras Gharib (a maior), Hurghada, Safaga, Quseir, Marsa Alam, Medinet-el Haras (Berenice), Shalatin. Muitas áreas são desabitadas, devido às frequentes tempestades de areia e poeira, ventos fortes, baixa precipitação e grandes variações de temperatura diária.

Estrato geológico

Na geologia, os estratos geológicos, camadas de rochas, leitos, níveis estratigráficos ou estratos rochosos compõem conjuntos diferenciados de rochas sedimentares com características físicas e com registos fósseis distintos de outras camadas que as podem preceder ou suceder. As camadas sucessivas de rochas podem contar a história geológica do local estudado. O seu conteúdo de fósseis pode indicar a idade da camada e até mesmo o tipo de ambiente que originou aquela rocha.Estas camadas podem ter espessuras variáveis: desde estratos menores que um centímetro até camadas com vários metros de profundidade. Não ocorrendo falhas ou dobras na rocha, a camada mais antiga será aquela que está mais abaixo, e a mais recente a que está por cima.

relacionado com este tema estão os princípios da horizontalidade dos estratos e sobreposição dos estratos, ambos concluídos por Nicolau Steno.

Litoral do Espírito Santo

O litoral do Espírito Santo é rochoso ao sul, com falésias de arenito, e também na parte central, com grandes morros e afloramentos granitícos a beira mar, o litoral sul-central é muito recortado com muitas enseadas e baías protegidas por rochas e afloramentos rochosos a beira mar, é arenoso ao norte, com praias cobertas por uma vegetação rasteira e extensas dunas, principalmente em Itaúnas e Conceição da Barra. A 1.140 quilômetros da costa, em pleno Oceano Atlântico, encontram-se a Ilha da Trindade (12,5 km²) e as Ilha de Martim Vaz, situadas a 30 quilômetros de Trindade. Essas ilhas estão sob a administração do Espírito Santo.

Pedreira

Uma pedreira é um tipo de mineração a céu aberto de onde rochas ou minerais são extraídos. As pedreiras são usadas para extrair materiais de construção, tais como pedras decorativas. As pedreiras são geralmente menos profundas do que outros tipos de minas a céu aberto.

O impacto visual das pedreiras é habitualmente grande. Noutros casos, como o da imagem da pedreira da Serra dos Candeeiros próximo de Rio Maior passa despercebido, já que ainda se encontra rodeado por montanhas.

As poeiras causadas pela extracção de pedra podem ser significativas assim como a erosão causada no solo.

Por vezes, a rocha granítica explorada apresenta-se em bolas de grande tamanho, ocorrentes à superfície do maciço. É possível a obtenção de grandes blocos, ao que se segue a sua serragem para posterior comercialização.

As pedreiras em áreas niveladas têm frequentemente problemas de drenagem. A pedreira de coquina na imagem à direita está escavada a mais de vinte metros abaixo do nível de mar.

Muitas pedreiras enchem-se com água para se tornarem lagoas ou pequenos lagos após o abandono para finalidades de mineração. Outras são transformadas em aterro sanitário. Porém há casos onde o lugar passa a ter utilidade comercial ou turística, como no Parque das Pedreiras em Curitiba, Paraná, que abriga a um imenso local para espetáculos a céu aberto (a Pedreira Paulo Leminski) e um teatro (a Ópera de Arame), ou como no hotel de luxo que está sendo construído nos arredores de Xangai, China.

Tipos de rochas extraídas das pedreiras incluem:

Ardósia

Arenito

Basalto

Calcário

Coquina

Mármore

Granito

Planalto

Planalto, também chamado altiplano ou platô, é a classificação dada a uma forma de relevo constituída por uma superfície elevada, com cume quase nivelado, geralmente devido à erosão eólica ou pelas águas. São como topos retos, superfícies topográficas, que podem ser regulares ou não.

É convencional designar planalto apenas as formações com altitudes maiores que 300 metros. Podemos considerar, por exemplo, o planalto do Tibete, o maciço central da França ou mesmo a Meseta Ibérica como superfícies planálticas importantes.

Planaltos podem ser formados por um grande número de processos, incluindo, emersão de magma, dispersão de magma, e erosão por água ou derretimento de geleiras. Magma emerge do manto causando a elevação do terreno, desta forma, largas rochas são elevadas. Planaltos podem ser construídos devido a processos erosivos de glaciações em áreas montanhosas, neste caso os planaltos encontram-se ao redor de montanhas. Água também pode erodir montanhas e outras formas de relevo em planaltos.

Planalto Meridional

O Planalto Meridional recobre a maior parte do território da Região Sul do Brasil, alternando extensões de arenito com outras extensões de basalto. O basalto é uma rocha de origem vulcânica responsável pela formação de solos de terra roxa, que são bastante férteis. Na Região Sul, excluindo-se o norte e oeste do Paraná, são poucas as áreas que possuem tais solos, pois muitas vezes as rochas basálticas são recobertas por arenitos.

A elevação de maior destaque no Planalto Meridional é a Serra Geral, que no Paraná e em Santa Catarina aparece à retaguarda da Serra do Mar, mas no Rio Grande do Sul termina junto ao litoral, formando costas altas como as que aparecem nas praias da cidade de Torres, no Rio Grande do Sul. Para facilitar sua caracterização, o Planalto Meridional costuma ser dividido em duas partes: Planalto Arenito-basáltico e Depressão Periférica.

Segundo Aroldo de Azevedo (1949), o Planalto Meridional é uma das cinco partes do Planalto Brasileiro. Por sua vez, o Planalto Meridional pode ser subdividido em duas subunidades:

a Depressão Periférica: possui as denominações locais de Depressão Paulista, Planalto dos Campos-Gerais (ou Segundo Planalto paranaense), Depressão do Jacuí (no Rio Grande do Sul);

o Planalto Arenito-Basáltico: delimitado pelas “cuestas” (serras de Maracaju, Caiapó, Itaquerí, São Pedro, Botucatu, Fartura, Esperança, Geral, Botucaraí, São Xavier, etc.), possui as denominações regionais de Planalto do Alto Paraná, Triângulo Mineiro, Planalto Ocidental de São Paulo, sudeste de Mato-Grosso, Planalto de Guarapuava (ou Terceiro Planalto paranaense), e Planalto do Alto Uruguai (ou das Missões).O ponto mais alto é o Pico do Monte Negro com 1410 metros, localizado no 2º Distrito do município de São José dos Ausentes, a 45

quilômetros da sede urbana e próximo à divisa com Santa Catarina.

Planalto arenito-basáltico

O Planalto Arenito-Basáltico (ou Planalto Arenítico-Basáltico) é um acidente geográfico no Planalto Meridional onde a diferença de resistência à erosão entre o basalto e o arenito forma as cuestas, localmente conhecidas como "serras". Exemplo: Serra Geral, em Santa Catarina.

planalto basáltico: dataçao: mesuzóico

rochas:rochas eruptivas básicas e ácidas e sedimentares na base.

Dataçao geomorfológica: Meso-cenozóico

Processos morfogenéticos: corrida de lavas em fissuras. rearivaçao tectonica

Rocha

Rocha é um agregado sólido que ocorre naturalmente e é constituído por um ou mais minerais ou mineraloides. A camada externa sólida da Terra, conhecida por litosfera, é constituída por rochas. A rocha mais antiga da Terra, uma lasca de 2 centímetros coletada pelos astronautas da Apollo na Lua, é um fragmento de 4 bilhões de anos.

O estudo científico das rochas é chamado de petrologia, um ramo da geologia. Os termos populares pedra e calhau se referem a pedaços ou fragmentos soltos de rochas. Para ser considerada como uma rocha, esse agregado tem que ter representatividade à escala cartográfica (ter volume suficiente) e ocorrer repetidamente no espaço e no tempo, ou seja, o fenômeno geológico que forma a rocha ser suficientemente importante na história geológica para se dizer que faz parte da dinâmica da Terra.

As rochas podem ser classificadas de acordo com sua composição química, sua forma estrutural, ou sua textura, sendo mais comum classificá-las de acordo com os processos de sua formação. Pelas suas origens ou maneiras como foram formadas, as rochas são classificadas como ígneas, sedimentares, e rochas metamórficas. As rochas magmáticas foram formadas de magma, as sedimentares pela deposição de sedimentos e posterior compressão destes, e as rochas metamórficas por qualquer uma das primeiras duas categorias e posteriormente modificadas pelos efeitos de temperatura e pressão. Nos casos onde o material orgânico deixa uma impressão na rocha, o resultado é conhecido como fóssil.

Salamanca (província)

Salamanca é uma província raiana da comunidade autónoma de Castela e Leão, na Espanha e situa-se a nordeste de Portugal. Também é influenciada pela bacia do rio Douro, em Espanha ele é chamado Douro, sua denominação em idioma local antigo era DOIRI. Região que chegou a sofrer influências romanas, árabes e diversas outras mais sutilmente. A cidade de Salamanca ostenta o título de "LA DORADA", admitida pela UNESCO como patrimônio histórico da humanidade.

Terra de clima ameno e topografia variada. Sendo a cidade situada em local mais plano mas com montanhas ao norte e ao sul. Dona da penúltima catedral gótica construída na Espanha. Como seus maiores tesouros encontraremos a Universidade de Salamanca (a segunda universidade mais antiga da Europa, fundada no ano 1218 por Alfonso IX de Leão), as Catedrais Nova e Velha, Plaza Mayor, Ponte Romana e outros sem fim. Seu título se deve ao fato de o arenito utilizado em suas antigas construções apresentar coloração levemente dourada clara,de acordo com a luz pode-se verificar que o título faz juz a sua beleza.

Em suas terras são produzidas uvas, vinho, azeite e alguma pecuária de ovinos e caprinos. Não possui temperaturas extremas de calor e frio e recebe pouca afluência de chuvas, menos de 400mm ao ano. Já em suas montanhas pode-se verificar mais abundância pluvial, chegando mesmo a 1000 mm em determinadas regiões.

O mais rico de Salamanca talvez seja sua história secular, onde se verificaram acontecidos inusitados, Cristóvão Colombo mesmo chegou a passar pela cidade, nela tivemos a inquisição, judeus, portugueses, árabes e tantos outros mais compuseram seu quadro histórico, também devido sua localização geográfica foi em dados momentos e ocasiões local com influência de correntes celtas. Talvez daí venha sua significação, Salamanca, local onde se reunem as bruxas. Hoje, local onde se encontram turistas, sonhos ,belezas e histórias.Dentro desta cidade de cerca de 300.000 habitandes reside um maravilhoso celeiro cultural da humanidade.

Sistema Aquífero do Arenito Núbio

O Sistema Aquífero do Arenito Núbio é o maior aquífero de água fóssil do mundo, isto é, a maior reserva de água subterrânea não reabastecida por outras fontes. Cobre cerca de 2.000.000 km² na parte oriental do Deserto do Saara, entre a Líbia, Egipto, Chade e Sudão. Estima-se que contenha 150.000 km³ de água.

Tradição Humaitá

A Tradição Humaitá - populações que viveram a partir de 6600 anos. Eram extrativistas (caçadores, pescadores e coletores de frutos), produziam instrumentos em pedras (facas, raspadores, machados, quebra-coquinho,pontas de lanças). É caracterizada por instrumentos morfologicamente maciços sobre uma massa central (blocos ou seixos), sendo normalmente desprovida de pontas de projétil de pedra. As pessoas tinham em média 1,60 de altura e uma expectativa de vida inferior a trinta anos. Puderam-se definir três fases desse povo. Na primeira, a alimentação era baseada principalmente em moluscos e crustáceos e, os instrumentos eram quase exclusivamente feitos em pedras. A fase seguinte caracteriza-se pela alimentação baseada em peixes e na produção de instrumentos feitos de ossos edentes de peixe, destacando-se as pontas de ossos longos, esporões de raia e bico de peixe agulha. Por último, a caça foi introduzida na alimentação, permanecendo estável a produção de instrumentos empedras e ossos, acrescentando apenas a utilização de dentes de mamíferos terrestres, possivelmente para adorno. Dentro da tradição Humaitá percebeu-se a presença de varias culturas dentre as quais estão à cultura Altoparanaense e o complexo Itaqui.

A cultura Altoparanaense tem como características principais a localização em outros países que fazem fronteira com o Brasil, como: Argentina e Paraguai. A localização e o tempo de habitação no local dar-se a cor do solo, pois se o mesmo estiver mais escuro significa que a população que ali habitou, ficaram por um período longo. Enquanto a alimentação a cultura Altoparanaense estava em um local propicio a coleta de vegetais e a agricultura. “A indústria é nucleiforme, sendo as lascas muito raras, a não ser em poucas exceções ”... (Prous, p. 156).

O complexo Itaqui corresponde à cultura Cuareimense, da Argentina, incluindo ai as indústrias do sudoeste gaucho. Temos neste complexo (Itaqui I, II).

Complexo Itaqui I é caracterizado pela indústria feita a partir de seixos, os instrumentos são de grandes dimensões e bem patinados. O sitio arqueológico é encontrado em uma profundidade acentuada.

O complexo Itaqui II é caracterizado por uma indústria que comporta uma porcentagem maior de lascas retocadas retiradas de núcleos de arenito metamorfizado. Quanto a característica do sitio, diferentemente do Itaqui I, o complexo Itaqui II é um sitio mais raso.

Temos ainda varias outras manifestações da tradição Humaitá. No estado do Rio Grande do Sul, a fase Camboatá, nos vales dos rios Antas e Pelotas, os raros sítios pré-cerâmicos formam a fase Antas, temos ainda a fase Canhembora no Rio Grande do Sul e a fase Inajá, cujos sítios ocupam um baixo terraço do Paranapanema.

Wulingyuan

Wulingyuan é uma região de interesse paisagístico e histórico na província de Hunan, China, que foi declarado Património Mundial em 1992. O local é conhecido pelos mais de 3.000 pilares de arenito, gargantas e cumes, muitos com mais de 200 metros de altura. Entre os desfiladeiros existem piscinas e cachoeiras, umas 40 cavernas, e duas grandes pontes naturais. Além da beleza notável da sua paisagem, a região é também importante pelo fato de abrigar várias plantas e espécies animais em risco de extinção. Wulingyuan abrange o Parque Nacional Florestal de Zhangjiajie, a Reserva Natural de Suoxiyu, a Reserva Natural de Tianzishan e a Reserva Natural de Yangjiajie. A maior parte do sítio é esparsamente povoada e mantém ainda os seus aspectos originais.

Segundo os geólogos, mais de 300 milhões de anos atrás, a região era um oceano. Posteriormente, o oceano retrocedeu e deixou expostas as rochas sedimentares, que se tornaram finalmente os actuais picos, precipícios e pontes ou portas de pedra através das erosões de chuva e vento durante milhões de anos. Há ainda até as linhas sedimentares das águas do oceano em alguns penhascos e fósseis de corais.

Zona Costeira Brasileira

A Zona Costeira Brasileira é uma unidade territorial, definida em legislação para efeitos de gestão ambiental, que se estende por 17 estados e acomoda mais de 400 municípios distribuídos do norte equatorial ao sul temperado do Brasil..

Na região norte do Brasil o material particulado em suspensão, oriundo da Bacia Amazônica e dos sistemas estuarinos do Maranhão, origina fundos ricos em matéria orgânica. Esse tipo de hábitat oferece boas condições de alimento para peixes de fundo e camarões explorados pela pesca industrial e artesanal.

A região costeira do Amapá e o setor ocidental da região costeira do Pará é denominada golfo Marajoara. Mais da metade dos manguezais brasileiros concentram-se nesta região. É uma área de baixa densidade demográfica.

Os hábitats marinhos da região nordeste do Brasil são típicos de áreas tropicais e caracterizam-se pela grande diversidade biológica. Há recifes de coral e de algas calcáreas, praias arenosas interrompidas por falésias, arrecifes de arenito e pequenos sistemas estuarino-lagunares margeados por manguezais. A alta ocupação urbana, o turismo, sobrepesca, obras portuárias, mineração e ocupação de áreas de manguezais para a carcinocultura, impactam a região.

A Região Costeira Central assemelha-se à Região Costeira do Nordeste, porém com maiores flutuações climáticas. Na parte sul desta região, ocorre a ressurgência de Cabo Frio, e a temperatura na parte próxima à costa pode baixar até 16°C. Este evento natural torna esta região extremamente produtiva.

A Plataforma Continental estende-se desde 10 km próximo a Salvador, até cerca de 190 km ao sul da Bahia, devido à ocorrência dos Bancos de Abrolhos onde predominam fundos de algas calcáreas e de recifes de coral. Na área mais próxima da costa, predominam praias arenosas, estuários e baías margeadas por manguezais.

A região sul do Brasil, na faixa subtropical da costa brasileira, localiza-se entre o litoral norte do Rio de Janeiro e o litoral do Rio Grande do Sul. Há aí grande variabilidade sazonal das condições climáticas, pela confluência da corrente do Brasil com a corrente das Malvinas, e da hidrografia da plataforma: drenagem continental do Rio da Prata, da Lagoa dos Patos e do Complexo Estuarino Paranaguá-Cananeia. O assoalho marinho da plataforma continental é predominantemente arenoso.

Costões rochosos, praias arenosas, restingas, manguezais, baías e lagoas costeiras são ambientes comuns junto à linha de costa. A maior praia do mundo (Praia do Cassino) tem cerca de 200 km de extensão entre a saída da Lagoa dos Patos e o Chuí. Todos estes ecossistemas são importantes do ponto de vista ecológico e sócio-econômico (pesca, turismo e transporte). Várias unidades de conservação foram estabelecidas neste litoral e ajudam na preservação da biodiversidade marinha.

O último manguezal ao sul é na foz do rio Araranguá, em Laguna, Santa Catarina. O trecho entre Laguna e o Arroio Chuí, no Rio Grande do Sul, é constituído por planícies arenosas que isolam grandes brejos e lagunas intercomunicantes chamadas de banhados. Há grandes lagunas como a dos Patos e a Mirim e outras de pequeno tamanho, muitas das quais se comunicam com o mar por canais estreitos e rasos. Os banhados, importantes áreas úmidas litorâneas, abrigam uma rica avifauna, com várias espécies endêmicas.

Há três tipos de ilhas na costa brasileira. A maioria delas resulta do afogamento da costa, sendo, portanto, prolongamentos dos tipos de relevos litorâneos, de suas geologias e demais condicionantes tectônicas que determinam os ecossistemas.

ilhas que são cristas emersas das porções afogadas da serra do mar

ilhas sedimentares de baixa altitude: A Ilha Comprida do litoral paulista é um segmento de restinga isolado pelo mar

ilhas oceânicas, resultantes de fenômenos de vulcanismo que soergueram do fundo atlântico, como Fernando de Noronha e o Atol das Rocas, que são, por isso mesmo, completamente desvinculadas do relevo continental brasileiro. Embora semelhantes aos do continente, o isolamento funciona como barreira geográfica afetando o surgimento e distribuição de espécies. Por isso, nas ilhas oceânicas podemos encontrar endemismo. Na ilha de Trindade, por exemplo, ocorrem a samambaia-gigante (Cyathea copeland) e algumas aves, como a pardela (Pterodroma arminjonina) e o tesourão (Fregata ariel trindatis).

Ecossistemas comuns de se observar área legal da zona costeira:

sistemas lagunares;

manguezais e marismas;

costões e fundos rochosos;

recifes de coral e de arenito;

bancos de algas calcáreas;

plataformas arenosas;

praias (arenosas e lodosas) e falésias;

dunas e cordões arenosos;

ilhas costeiras e oceânicas;

estuários e lagoas costeiras;

restingas.Ecossistemas comuns de se observar nas ilhas:

restingas

mangues

costões rochosos

dunas

lagunas

brejos

Época Tinita

A Época Tinita, também chamada de Período Dinástico Precoce e Período Arcaico, é a era imediatamente posterior à unificação do Alto e do Baixo Egito c. 3 100 a.C. Geralmente, considera-se a inclusão da I e II dinastias, que duraram desde o final do período arqueológico de Nacada III até cerca de 2 686 a.C., quando se inicia o Reino Antigo. Com a Primeira Dinastia, a capital mudou de Tinis para Mênfis com um Egito unificado governado por um deus-rei Egípcio. Abidos continuou sendo a maior terra sagrada do sul. As marcas da antiga civilização Egípcia, como a arte, a arquitetura e muitos aspectos da religião, tomaram forma durante o período da dinastia inicial.

Antes da unificação do Egito, a terra foi assentada com aldeias autónomas. Com as primeiras dinastias, e durante grande parte da história do Egito, o país passou a ser conhecido como as Duas Terras. Os faraós estabeleceram uma administração nacional e nomearam governadores reais. Os edifícios do governo central eram tipicamente templos ao ar livre construídos de madeira ou arenito. Os primeiros hieróglifos egípcios aparecem pouco antes desse período, embora pouco se saiba da língua falada que eles representam.

Rochas sedimentares
Rochas metamórficas
Rochas magmáticas ou ígneas

Noutras línguas

This page is based on a Wikipedia article written by authors (here).
Text is available under the CC BY-SA 3.0 license; additional terms may apply.
Images, videos and audio are available under their respective licenses.